quinta-feira, 1 de agosto de 2013

NÃO CURTI

O aplicativo para smartphone do Facebook sempre mostrou anúncios imiscuídos na linha do tempo. Agora a versão convencional da rede também faz o mesmo. Disfarçados como "sugestão de leitura" ou recomendações de amigos, lá estão eles à espera do seu clique. Por mim vão continuar esperando: até agora não encontrei um único interessante, muito pelo contrário. Entre o que foi empurrado para mim, estavam uma cantora evangélica e um site para conhecer mulheres maduras. Minha cara, não é mesmo? O que me levou a concluir que esse pânico universalizado de que o FB estivesse usando nossos dados e preferências para nos controlar à distância é completamente infundado. Esse povo de lá não faz a puta ideia de quem está do lado de cá. Ainda vai levar um tempo para o Zuckerberg dominar o mundo.

11 comentários:

  1. Eu já descurti o FB como um todo há alguns meses. Só tenho por causa do messenger. Mas deletei a porrada de gente com quem troquei um "oi" em 2006. Minha linha do tempo tem 5 ou 6 pessoas só. Não quero mais saber o que meus amigos estão comendo, malhando ou pensando (na maior parte das vezes é inutilidade mesmo).
    Até você eu acho que vou ocultar da minha TL simplesmente porque você tem cada amigo... E pra variar o app não tem a opção de "deixar de seguir" o post pra a gente poder soltar uma bomba e ir lavar a louça. Quando eu quiser, eu vou na sua página e leio seus pensamentos (apesar que prefiro o formato organizado do blog e do F5).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que desculpa mais imbecil essa de usar "só por causa do messenger". Não preciso te contar que vc pode usar outros mensageiros, né? Deleta essa porra de uma vez, caramba.

      Excluir
    2. Querido anônimo cheio de amor no <3.
      infelizmente eu não posso me trancar numa caverna e viver isolado do mundo. FB é uma plataforma popular e muita gente usa. Aliás, eu prefiro que certas pessoas só me contatem pelo FB messenger.
      Sim, eu tenho outros IMs. Este é APENAS MAIS UM. E está lá como mera caixa de recados.
      Ah, e Imbecil é você!

      Excluir
  2. Como todos conseguem aguentar o FB? Como torço p/ essa bagaça orkutizar e se autodestruir em poucos dias... Mas minhas preces estão fracas pelo visto... Que chato uma geração de gente carente vivendo e medindo suas vidinhas pelos 'curtir' e 'descurtir' alheios, que falta de segurança em si, que empulhação, que forçação ianque do 'ser popular'...

    ResponderExcluir
  3. Awwww... alguém aí curte as fotos desse anônimo, ele tá carente!

    ResponderExcluir
  4. Tony, não é que eles não façam a mais puta ideia... Estão apenas fingindo que não fazem (se é que), para ganhar sua confiança e conseguirem que você entregue mais e mais dados. Mas os dados são seus, você entrega a quem quiser, é claro.

    Já pensou no quão "sagazes" são as sugestões de novos amigos do FB? A busca do Google e o Gmail com certeza usam seus dados para selecionar os anúncios exibidos, e o Youtube abusa do direito de reforçar nossas "preferências". Mas o que me assustou um dia desses foi o Google Now, ainda mais do que o Glass. Conhece? http://tecnoblog.net/105793/google-now-informacoes-uteis/ Digamos que é um cão-guia para não cegos...

    Não dá pra segurar o avanço tecnológico. Devemos fazer o melhor uso dele, em vez de nos isolar nas montanhas. Mas é bom ter em mente que nós, usuários do FB, compartilhamos nossos dados não só com o amigo Zuck, Obama e a NSA, mas com uma infinidade de aplicativos desconhecidos e eventualmente com qualquer hackerzinho chinfrim: http://tecnologia.ig.com.br/2013-07-01/facebook-corrige-falha-em-aplicativo-que-coletava-numero-do-celular.html e http://info.abril.com.br/noticias/seguranca/falha-de-seguranca-dava-acesso-a-qualquer-perfil-no-facebook-23022013-9.shl

    ResponderExcluir
  5. O que acontece, Tony, é uma coisa chamada incompetência.
    Explico.
    Uma coisa que está na moda no mundo da computação é a chamada "publicidade dirigida". A empresa baseia-se na sua navegação, curtidas, classificações de filmes, livros, programas de TV, amigos que você tem, hashtags que você acessa para tentar descobrir seu gosto e te mostrar uma publicidade mais específica, esperando te fisgar.
    Google e Netflix são mestres nisso. No caso do Google, fica claro devido ao Google Now e a publicidade nos seus serviços. O Netflix baseia-se na sua classificação de filmes para mostrar na sua interface algo cuja probabilidade de você assistir seja maior, ajudando a prender o assinante.
    Facebook colhe muitas informações, mas parece que não sabe o que fazer com elas. Não sabe "ler nas entrelinhas" como faz o Google. Um exemplo é que uma vez curti a página "Jesus Cristo", figura que eu admiro muito assim como admiro Buda ou Confúcio. E o Facebook sempre aparece com alguma sugestão de página religiosa para curtir. E eu sou ateu. Inclusive está escrito no perfil, com todas as letras.
    Facebook está no desespero, querendo monetizar. Precisa provar aos acionistas que a rede social pode gerar dividendos, através de propaganda. Já consegue incomodar o Google, que é o império que é hoje graças à publicidade, mas está longe, anos luz atrás, de ter a mesma competência.
    Enquanto isso o Google+ come por fora. Ainda não se tornou algo ameaçador, mas as pessoas cansam da mesmice e muita gente está abandonando Facebook, pelo menos em termos de postagem. Para comunicar-se, através do Messenger, ainda é uma mão na roda.

    ResponderExcluir
  6. Algo me diz que vocês estão viajando e a razão dessas gafes é que as seleções de dados e de sugestões são feitas por um programa de computador e não por um cérebro... Talvez alguém muito sabido possa dizer se essa é a fonte de tanta bola fora.

    ResponderExcluir