terça-feira, 20 de agosto de 2013

LET'S GO TO PARIS

É duro acreditar que a história contada pelo filme "Bling Ring - a Gangue de Hollywood" tenha acontecido de verdade. Como é que tantas celebridades moravam em mansões cinematográficas quase que sem segurança nenhuma? Sem câmeras, sem guarda particular na rua, sem nem ao menos a criadagem de plantão? Vai ver que é assim que se faz nos países onde os serviços públicos funcionam para valer. Ainda assim, talvez só mesmo uma tapada como a Paris Hilton fosse capaz de não perceber que estavam sumindo coisinhas de seu imenso closet, onde os ladrões estiveram nada menos que CINCO vezes (o nome deste post era o "call to action" que eles usavam quando queriam visitar a casa da herdeira). "Bling Ring" é curto e ligeiro como um filme feito para TV, e por isto combina perfeitamente com a superficialidade de seus protagonistas: adolescentes mimados de L. A. que não sentiam o menor prurido em assaltar os lares de seus ídolos. É mais um título na cinematografia de Sofia Coppola que explora o fetiche dos objetos, dessa vez de maneira cômica (a trágica foi em "Maria Antonieta). E mais um que fala das vicissitudes de uma vida de privilégios, como todos da carreira da diretora. Não é uma jóia rara, mas um biju de encher os olhos.

18 comentários:

  1. Vou assistir hoje!! Adoro esse tipo de filme. Me identifiquei muito com "Maria Antonieta"...pensei em tantas bichas más que circulam pelas festinhas da minha cidade...acho que Versailles devia ser tipo isso, só que com mais ouro e metros quadrados...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim muuuuuitas bichas más e por metro quadrado inclusive.

      Excluir
  2. Os filmes da Sofia Coppola tendem a falar sobre um certo vazio existencial da juventude, daquela virgem suicida sem razão, da moça perdida em translation no hotel de Tokio, da rainha esbanjadora e alienada e agora destes riquinhos cabeça ôca.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No fundo, são filmes sobre mulheres fruto dos seus respectivos tempos, não?

      Excluir
  3. Emma Watson está linda! Quando criança ela era meio feiosinha com aquele cabelo de vassoura rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Emma Watson é tudo que Kristen Stewart deveria ser.

      Excluir
  4. O tema Bored Girls permeia a carreira toda dela. Gostei de Bling Ring, mas queria ver algo diferente dela. Por outro lado, a consistência da obra dela me faz admirá-la.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já começo a desconfiar de uma certa inconsistência na obra dela.
      Maria Antonieta não era uma adolescente perdida, não era uma princesa da Disney, embora visualmente parecesse. Suas garotas parecem eternamente presas na adolescência, enquanto a característica principal desta, é justamente sua finitude.

      Excluir
  5. Achei delicioso o filme! Ri praticamente do começo ao fim. Apesar mostrar o lado mais tenebroso e hedonista da juventude americana, que impera nos dias atuais.

    ResponderExcluir
  6. Gostei do filme!! Pena que escolheram um ator tão sem graça pra interpretar o papel do menino. Sei lá, o da vida real é até bonitinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois eu achei o Israel Broussard um tesãozinho.

      Excluir
  7. Certo, porque a juventude brasileira é um mar de virtuosismo...

    ResponderExcluir
  8. Emma Watson falando "I wanna rob" com o baseado na mao é uma das cenas mais fodas EVER.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. haha postei na wall de uma amiga

      Excluir
    2. ai João, jura ?
      que transgressor.... #SQN!

      Excluir
  9. Assisti agora. Parece filme pra TV mesmo.

    ResponderExcluir