segunda-feira, 26 de agosto de 2013

INJEÇÃO LETAL

Mais um item riscado da minha lista de coisas que eu nunca tinha feito: levar um cachorro no veterinário para ser sacrificado. Foi o Tatau, o cocker spaniel preto da minha mãe, também chamado pela família de "Imortatau" por se aproximar dos 19 anos de idade. Tatau era filho do Toffee e tio do Pisco, a dinastia de cockers dourados que me acompanhou de 1990 até o ano passado. Já estava cego dos dois olhos, extremamente debilitado e com uma ferida no flanco que não fechava. Mas não morria. Exausta de mal poder sair de casa por causa dele, minha mãe chamou a veterinária que cuidou do Tatau a vida toda e as duas decidiram que já estava na hora. Eu gritei, eu esperneei, mas fui voto vencido. E hoje lá fui eu acompanhá-la nesse momento difícil, que acabou sendo ligeiramente mais fácil do que eu esperava. Primeiro a médica sedou o cachorro, que já chegou meio molinho. Fomos nos despedir quando ele já estava desacordado. Mamãe chorou bem menos do que eu temia, talvez por estar mais aliviada do que qualquer outra coisa. E fomos embora antes da injeção letal. Tive a sorte de ter meus dois cães morrendo em casa, de causas naturais e sem grande sofrimento. Mas sei que às vezes esse desenlace não é possível. Que bom que, pelo menos em sua variante canina, a eutanásia é permitida no Brasil.

24 comentários:

  1. Foi excesso de amor.

    ResponderExcluir
  2. meus sentimentos! Nessas horas só nos resta pensar em todos os anos de alegrias.

    ivan

    ResponderExcluir
  3. Como seria bom se o suicídio assistido estivesse disponível para humanos... Por que os animais são abatidos e sofrem eutanásia, enquanto a vida humana segue tão intocável? O pobre cãozinho estava agonizando. Tanta gente aí agoniza e não tem direito nem sequer a escolher uma morte digna e indolor

    ResponderExcluir
  4. Nossa, que maldade! Eu sou radical nesse ponto: não, não e não! Eles sentem que vão ser mortos. Chegam tristes (molinhos) nas clínicas pq sabem que vão ser mortos, que desistiram deles! Decepcionado com vc...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qual a parte de "eu gritei, eu esperneei, mas fui voto vencido" que você não entendeu?

      Excluir
    2. Naquele filme "With Honors" (se precisar lembrar, é o que tem uma música da Madonna na trilha), o personagem do Joe Pesci fala justamente do cachorro que ele tinha que sabia que ia morrer e foi para floresta morrer sozinho.

      Só os cachorros sabem como deve ser.

      Excluir
    3. Não é maldade não. Maldade é insistir numa situação de puro sofrimento sem qualquer possibilidade de melhora. Passei por isso há um ano; o meu Anakin já sofria muito por quase 2 anos lutando contra o câncer; usei todos os recursos veterinários disponíveis. Amei (e amarei sempre) aquele bichinho do primeiro ao último dia e dei, durante toda a vida dele, todo amor, respeito e carinho possíveis. Tomei a decisão final quando ele já estava esgotado por tanto tempo de luta "braba", já não conseguia comer nos ultimos 5 dias e seus olhos me diziam claramente: "não aguento mais". Não me arrependo, apesar da dor pela falta e a saudade que acho que vou sentir sempre, porquê tenho plena consciência que meu ato foi a mais pura demonstração de amor incondicional e respeito que eu devia a ele pelos 13 anos de puro amor que ele me deu.

      Excluir
  5. Não consigo entender como a eutanásia é permitida pra animais, e não é pro ser-humano. Não faz sentido alguém sofrer sem necessidade.

    ResponderExcluir
  6. Oi Tony! Passei por esta situação aqui há exatos 25 dias ... gostaria também que tivesse sido natural, mas eles sao fortes o bastante para se segurar ao maximo no fim da vida mesmo. Minha pequena Stef já nao queria comer mais ha 40 dias, as vezes nem agua tomada, sendo toda alimentacao renal em papa forcada pela seringa durante este period , que fez da casa virar uma quase uma uti, feridas que se abriram sob a pele, ulceras no olho.... fraqueza, convulçoes, tremedeiras, era muito triste ver ela sofrer mesmo.. ate que quando ela cordou todo mijada e vi que nao conseguia mais urinar sozinha levei ao seu filho Duda... Mesmo assim, a decisao final levou quase 1 hora no consultorio, e ainda mobilizei uma enquete perante todos da clinica ali presente se era mesmo o que deveria ser feito... na hora do fato em si, achei que seria mais dramatico tb, que choraria mais, mas acho que como sua mãe, o alivio do sofrimento de ambos superou a dor da perda na hora da partida.... Meu coracao ficou mais leve tb... Acho tb que a eutanasia deveria ser permitida em humanos tb, em casos extremos e comprovados que nao ha melhora nem boa condicao de vida mais. Com dor e sem cura ninguem merece viver...Bjus e da um abraco pra sua mae ai!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Stef! Lembro bem dela. Mais uma no céu dos cachorrinhos.

      Excluir
  7. Há quatro meses, minha cachorra de 15 anos teve que ser sacrificada, por estar cega e não conseguir mais se alimentar e andar. Há um mês, minha outra cachorra, de 12 anos, também teve que ser sacrificada, por estar com câncer no cérebro e sofrendo dores horríveis.

    É extremamente triste, mas também muito reconfortante saber que elas não tiveram que continuar sofrendo. "Todos os cães merecem o céu"

    ResponderExcluir
  8. Todo mundo tem sempre uma historia pra contar, eu tenho duas, mas prefiro mencionar o fato de que se uma pessoa quiser morrer esse direito não e dado a ela. pra mim cachorro humano e tudo a mesma coisa, o problema esta no achar que vem do ego, que somos inteligentéééézimos mas que a tendencia sempre é errar na criação de leis e de eleger candidatos lixo.

    ResponderExcluir
  9. eu passei tem 1 mês com meu gato de 12 anos, é triste demais, ate hj eu me culpo... acho que podia ter esperado mais pra ver se ele sarava

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tb só tive essa experiencia com meus bichanitos, amo gatos, mas dizer adeus forever é muito doído, eles são independentes e lindos, mas às vezes não saram e não tem porque faze-los sofrer mais. Vc fez sua parte.

      Excluir
  10. Já velei uma filha, após longa doença, mas não imagino como suportarei esse momento com meu cão, meu primeiro cão, tamanha a alegria que ele me brinda, todos os dias, todas as horas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. comparação no mínimo exótica.

      Excluir
    2. Nossa, realmente bastante exótica... Sua filha devia se sentir muuuito amada ne rs

      Excluir
    3. Se suportou a perda de sua filha suportará easy way a perda de seu cão, simples assim.

      Excluir
  11. Sacrificar um bichinho de estimação doente não é livra-se dele, é um ato de amor. Talvez o maior que façamos por eles em sua curta vidinha. O animal tb tem sua dignidade e sofrer doente tira todo o encanto que nos presenteou nos anos de convivência.

    Não sou contra eutanásia, nem mesmo com seres humanos, acho que cada um deveria decidir sofrer ou não. Mas é problemático falar disso num país que vê seus doentes morrendo a míngua em corredores de hospitais e não chama isso de eutanásia, e sim , de "falta de vagas e estrutura"...povo hipócrita!

    abração....espero que sua mãe esteja bem!

    ResponderExcluir
  12. Pior de tudo é o olhar que os bichinhos lançam p/ a gente... Prefiro não ver aqueles olhinhos clamando... Triste muito triste. Chega o momento em que viver p/ torna-se um sofrimento até p/ os proprios bichos.

    ResponderExcluir
  13. Ontem nossa linda gatinha Tibichi,foi sacrificada.Tinha câncer.Agora descansa.
    Foram 15 anos de alegria,muito linda.

    ResponderExcluir
  14. QUANTO SAI PARA SACRIFICAR UM CACHORRO QUE ESTA SOFRENDO

    ResponderExcluir
  15. preciso sacrificar meu cachorro está com cancer

    ResponderExcluir