terça-feira, 13 de agosto de 2013

A VIOLAÇÃO DO DIA SEGUINTE

De vez em quando, caem as máscaras dos fundamentalistas, e eles não conseguem mais disfarçar suas verdadeiras intenções. É o que está acontecendo neste exato momento, por causa do não-veto da presidente Dilma à lei que obriga os hospitais públicos a fornecer a "pílula do dia seguinte" às mulheres que sofreram estupro. Deputados evangélicos prometem criar leis contrárias e ameaçam retirar apoio ao PT nas eleições do ano que vem. Um grupo católico radical quer fazer vigília na frente do Palácio do Planalto. E tudo isto para quê? Para impedir que as violentadas NÃO engravidem de seus agressores. A "pílula do dia seguinte" não é abortiva. Não está "matando" nenhum feto: está evitando a concpeção. E, pela lei, podia até provocar aborto, já que este é legal desde os anos 40 do século passado para as vítimas de violência sexual. Mas esses fanáticos querem acabar até com esse direito, e deixar a mulherada ainda mais impotente diante da opressão masculina. Obrigar uma estuprada a ter o filho do estuprador? Isto sim que é obra do demônio.

(Leia aqui um ótimo texto de Eliane Brum sobre este assunto)

12 comentários:

  1. Detalhe que o aborto para vítimas de estupro também é permitido por lei.
    Os fundamentalistas querem o quê? Que a mulher sofra a "punição" de carregar um feto, objeto de um crime, por 9 meses? Se homem engravidasse...

    Ninguém é obrigado a ser heroi/heroína.

    ResponderExcluir
  2. Tony, o que me intriga, mas não surpreende, é essa obsessão patológica dos fundamentalistas evangélicos ou não com as questões corporais e sexuais alheias, geralmente focando o homossexualismo e o aborto, de cujas discussões os interessado sequer são convidados. Será que esses pastores obcecados por sexo anal e estupro não têm outros projetos que visem à melhoria da sociedade como um todo, projetos ligados às áreas social, educacional, econômica entre outras? Creio que não. Também o que se pode esperar deles? Nada, porque em termos de formação são todos semianalfabetos. Enquanto um padre leva uma década estudando para se tornar padre, qualquer iletrado pode ser pastor. Basta saber gritar, brandir a bíblia e roubar. Até minha lavadeira é pastora e já comprou um carro pro boyzinho dela, que tem um terço da idade dela e que ela está cobrindo de mimos certamente com o dízimo dos otários. Aliás, já fiz o bofe (evangélico, tá bom) e entendo porque da minha casa ouço os gritos dela louvando o Senhor. O bofe é puro extase.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, não apresentam p**** nenhuma no tocante a questões sociais, projetos para menores ou dependentes químicos, é tudo sempre focado na vida sexual de homens e mulheres adultos que pagam impostos que, por sua vez, financiam o salário nababesco que eles recebem lá em Brasília, ou seja, paga-se a essa corja p/ perseguir e fiscalizar a vida privada dos demais. Impossível aceitar.

      Excluir
    2. Pensar assim é utópico. Eles nasceram e se organizaram para fazer isso que sabemos que fazem e só. O real propósito das inúteis vidas deles é continuar o trabalho de evitar a prosperidade social, não vão mudar e sempre existirão otários que os seguirão e os defenderão. O que importa é que pelo menos no momento o número desses está se estagnando e espero em breve que comece a baixar.

      Excluir
  3. Eliane Brum é um oásis no interminável deserto de Miriams, Jabores e Reinaldos. As palavras saem dela com uma fluidez incrível. É praticamente literatura, sem que ela tenha que se esforçar para isso.

    Só lamento que, pela própria natureza das coisas, as vozes mais equilibradas não tenham o mesmo alcance e apelo das radicais, mesmo estando cobertas de razão. No caso específico desse texto, é por um lado admirável e por outro lado uma pena que as duras palavras que ela usa se dissolvam na delicadeza do restante do texto.

    ResponderExcluir
  4. Outra coisa que me irrita é que na pauta dos fundamentalistas (católicos ou evangélicos) está quase sempre a palavra LUTA.
    LUTA CONTRA A HOMOSSEXUALIDADE.
    LUTA CONTRA O ABORTO.
    LUTA CONTRA A CAMISINHA.
    LUTA CONTRA AS CÉLULAS TRONCO.
    LUTA CONTRA O SEXO PRÉ-MARITAL.
    Será que o cristianismo se resume a LUTA?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É que eles ainda vivem nas cruzadas. E sempre é necessário um inimigo pra VENDER a salvação.

      Excluir
  5. Será que Dilma se reelegendo em 2014 repensará suas alianças malfeitas? Feliciano já declarou no twitter que não a apoiará mais - o que suponho, a bancada evangélica também não. Agora com mais essa "afronta", dessa vez a este pequeno grupo católico de fundamentalistas, perderá apoio de mais entidades religiosas e, quem sabe, governe com mais autonomia e princípios de um estado laico daqui pra frente. Oremos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na melhor das hipóteses, assim pensando num mundo todo azulllll, eu até vejo que o governo do PT se livre quase que completo dos "aliados" fervorosos e dê um pouco mais de atenção a questões que eles fazem de tudo para impedir de serem debatidas utilizando-se da chantagem política. Dilma não poderá se eleger pela terceira vez caso ganhe ano que vem e o PT poderá se fortalecer de outra forma visando as eleições de 2018, caso como eu disse tenha um mínimo de sensatez agora e tente apagar esta imagem conservadora da Dilma em seu primeiro mandato. Mesmo assim não vou arriscar meu voto em algo muito incerto.

      Excluir
  6. Gente estúpida, gente hipócrita.

    Pena que a mãe do Feliciano, que praticava abortos, não o tenha abortado.

    ResponderExcluir
  7. Nao seria mais facil e pratico, entrar numa farmacia e simplesmente comprar a pilula do dia seguinte?!

    ResponderExcluir