quarta-feira, 3 de julho de 2013

SÓ MUDA DE ENDEREÇO

Só conhecia o Paulo Gustavo da TV, e confesso que nunca gostei muito. Por isto jamais me animei em assistir ao monólogo "Minha Mãe é uma Peça", que ele criou inspirado na própria genitora. Mas fui ver o filme baseado no espectáculo porque gostei do trailer, as críticas são boas, e também por obrigação profissional. Tudo confere, e adivinha o que é o melhor de tudo? Paulo Gustavo. Ele conseguiu transferir para a tela toda a energia de uma performance teatral. Tanto que, apesar de todo o elenco ser ótimo, cada vez que ele entra em cena o efeito é o de um buraco negro. Sua "dona Hermínia" suga todas as atenções num raio de dez quilômetros e faz até o tempo andar mais rápido. Não há muita história: o roteiro é um punhado de cenas soltas mal costuradas entre si, como se fossem os melhores momentos de uma sitcom. Mas não importa. O público ri à rédea solta, eu inclusive. É de bom tom falar mal das comédias nacionais de grande bilheteria, mas "MInha Mãe é uma Peça" não faz feio. É um produto honesto e de fino acabamento. Descaradamente comercial, sim - mas com uma pegada sentimental com que muita gente vai se identificar.

17 comentários:

  1. Esse Paulo Gustavo é incrível. Dar vida à própria mãe é desafio até para psicanalista experiente e fazer isso em público, agradando horrores a centenas de milhares de brasileiros de Norte a Sul é um fenômeno. É um caso de Bates Motel invertido, risonho e franco, sem neurose nem trauma. E nunca vi ninguém desfazer dessa proeza, com comentário estilo 'é coisa de bicha'.

    ResponderExcluir
  2. Adorei o filme!

    Mas será que algumas referências não são muito aqui do grande Rio? Será que todo mundo "pega" todas as piadas?

    ResponderExcluir
  3. Também gostei bastante, achei bem resolvido. Desafiador adaptar um monólogo para o cinema. A arte tb, como um todo tá legal, o poster da Adele no quarto da gordinha foi um detalhe ótimo, e os atores que fazem os filhos da D. Hermínia são demais. Até a Ingrid Guimarães repetindo o mesmo papel pela enésima vez acaba funcionando porque aparece em poucas cenas.

    ResponderExcluir
  4. Também nunca gostei muito dele também, mas agora fiquei curioso com relação ao filme.

    ResponderExcluir
  5. idem pra implicancia sem sentido para com o ator. mas o q me levou ao cinema foi q ele faz uma mulher meio histrionica, meio over, mas sem jeito de travesti. agora, a mae dele é qq coisa né não? dá pra rir sim e paga o ingresso.

    ResponderExcluir
  6. A peça foi profundamente reescrita pro filme. Mas a peça também é uma mãe histriônica contando os causos da família com a platéia. Como agira tem um elenco inteiro, tem o dispositivo da Dona Hermínia ir pra casa da Tia, que serve de orelha pros diversos flashbacks.
    E a peça original tem muito mais referências fluminenses (paulo gustavo é de São Gonçalo, faz piada até com a avenida do contorno, piada que foi limada do filme)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ai saco. essa pink petralha só diz bobagem!

      Excluir
  7. Gente, minha mãe É a Dona Hermínia!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos falam isso quando saem do cinema. Ou seja, existem mães muito loucas por aí!

      Gente, minha mãe É a Dona Hermínia!2

      Excluir
    2. ai. tenho certa inveja. minha mãe é foi juíza criminal durante grande parte da minha adolescência.sempre muito séria e cheia de compromissos. sem muito tempo para nós ela tentava ser simpática quando dava mas nunca conseguiu. tentava ser super protetora ou divertida mas sempre acabava muito constrangida. até hoje não entendemos como é que ela quis ter filhos (4). hoje eu e meu marido somos pais hermínia! completamente malucos! os colegas do nosso filho de 9 anos nos adoram, ele já faz o estilo de minha mãe. pede pra morrer quando estamos por perto!

      Excluir
  8. Ele é muito talentoso. Faz mulher nova, mulher mais velha, menina, menino, jovem, homem até que másculo, gay, bicha, bichérrima. Várias personagens, um bastante diferente do outro. A bee é bem boa, embora às vezes seja um pouco cansativa, porque fala muito né? Perto dele o Jô Soares é uma pessoa monossilábica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, ele vai cansar a imagem rapidamente. Uma pena.

      Excluir
    2. A imagem não vai cansar não, até porque o cara tem várias facetas interessantes, mas ficar ouvindo ele falando freneticamente por muito tempo não dá. Cansa os ouvidos. O filme é ótimo, porque tem vários outros personagens para quebrar um pouco as sequências. Ele é engraçado!

      Excluir
  9. Achei ele beeem chatinho numa entrevista no Jô (ele mudava de foco a cada dois minutos, falava anasalado e muito rápido #InformaçãoDemais), preciso ver o filme p/ ver se essa primeira impressão se desfaz...

    ResponderExcluir
  10. My Clitoris Is Known As Sphincter, Bitches!!5 de julho de 2013 14:35

    Ele é uma bee talentosa, isso não se pode negar, mas se o filme fosse um monólogo inteiro SÓ COM ELE, as pessoas não retornariam da pipoca e do banheiro, pode apostar.

    ResponderExcluir
  11. Tony,
    Vc ja assistiu um filme mexicano chamado Nosotros los Nobles?
    Assisti ontem e lembrei de vc... Achei que iria gostar.

    Barbara

    ResponderExcluir
  12. que porra é essa que queriam que ele apresentasse algo diferente??? caceta.. o personagem é o mesmo!!!... o enredo o mesmo!!!... queriam que ele aparecesse peludo.. de bigode e com 1.30 fazendo uma nona portuguesa... kkkkkkkk

    que gente chata.!!!!!!!

    não gostam fiquem em casa...

    pois o filme faz rir pra cacete... e em alguns momentos sensíveis.. vai fazer quem tiver cérebro pensar sobre a impermanência e a velhice de uma maneira idílica....

    e como diz minha amiga Herminia no filme quando a perguntam o que quer: " cafeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee".. kkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir