terça-feira, 30 de julho de 2013

REZA PARA JESUS


Desde ontem que o vídeo acima está bombando nas internets, sob o bombástico título de "a pior entrevista de todos os tempos". Duvido que seja: a própria Fox News (vulgo Faux News) já passou por vexames muito maiores, graças a seu despudorado viés para a extrema direita. O fato é que a apresentadora Lauren Green parecia mesmo soberbamente despreparada, ou talvez estivesse apenas cumprindo ordens de cima (ela é peixe pequeno no canal e a entrevista só foi exibida online). E o resultado foi excelente para o autor Reza Aslan, que viu seu livro "Zealot" disparar para o primeiro lugar da lista dos mais vendidos da Amazon (se bem que sexta passada ele já estava em oitavo). Aslan é americano de pai iraniano, e se converteu ao islamismo depois de adulto. Eu li seu primeiro livro, "No god but God", uma excelente história do Islã para leigos. Agora ele está se tornando realmente famoso, mas será que diz mesmo algo grave sobre o Jesus histórico em seu novo livro? Nem tanto. Por exemplo: já há algum tempo que há consenso entre os estudiosos de que Jesus não nasceu em Belém, o que é endossado por Reza Aslan. Os evangelhos só diriam isto para justificar a profecia de que o Messias seria descedente do rei Davi e nasceria na mesma cidade que ele (fora que o descendente de Davi é José, que tecnicamente não é pai de Jesus). Há outras declarações que podem chocar os mais carolas, mas nenhuma é exatamente novidade. O grande diferencial do livro, veja só, é a perspectiva de um scholar muçulmano. Claro que eu já encomendi o meu.

20 comentários:

  1. Esperei o momento de ela se levantar da bancada com uma bíblia na mão, dizendo: Tá repreendido em nome de Jesus!

    ResponderExcluir
  2. Deve servir como passatempo.

    ResponderExcluir
  3. Mas José e MAria eram primos. Só não lembro por parte de quem.
    Mas enfim. A gente sabe que o Novo Testamento foi profundamento editado (e mal traduzido) nos primórdios da Igreja, Como regitro histórico é menos confiável que a Wikipédia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que a Wikipedia é bastante confiável. Pelo menos no que se refere à minha área de atuação, que não está relacionada a história. Aliás, o que seria uma fonte histórica confiável? Todo fato histórico tem a sua versão de direita, a de esquerda, a revisada, a revisão da revisão, a politicamente correta, a politicamente incorreta, a baseada em documentos nunca antes revelados, a que serve para vender mais meia dúzia de livros e assim por diante. Sei lá. Tenho ojeriza da Bíblia. Mas se ela é fiel aos fatos ou não, pra mim tanto faz.

      Excluir
    2. Tem um meme do Confession Bear com a seguinte frase: "As a teacher, I actually think Wikipedia is a realiable source".

      Excluir
  4. E a Fox News chamando o Rio de capital do Brasil?

    ResponderExcluir
  5. Assista esse vídeo da mesma Fox News em situação parecida. http://www.buzzfeed.com/andrewkaczynski/fox-news-host-never-asked-baptist-college-professor-why-he-w

    ResponderExcluir
  6. I can't stand raposa, but quite frankly achei a entrevistadora ate que boa!, nao vi em momento algum o "despreparo soberbo", ela alfinetou legal a tal da Monty Phyton academica (que assim como ela, eu tb desde 09/11 tenho varios PhD's in Isla), que com certeza deve saber sobre o Isla e Cristianity o mesmo tanto que eu.


    ResponderExcluir
  7. Soberbo mesmo e' o seu protugres: "nas internets" ??? desde quando!? kkkkkk, so existe uma internet!, por acaso vc organizou umas outras alem da Terra? me conta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perdoai-os, Pai: eles não sabem captar ironia (nem escrever "português").

      Excluir
    2. o anônimo esqueceu da dark web, a preferida de 10 entre 10 carniceiros, kkkkkkkkkkk

      Excluir
    3. E tem também a deep web para contraventores, pervetidos e afins!

      Excluir
    4. Releve Tony, a internet pode ser uma só, mas os animais são muitos.

      Excluir
    5. anonimo 16:52 - por isso muito cuidado quando vc trepar novamente com a sua pig-mae, vc pode pegar carrapatos!

      Excluir
  8. não chamaria essa de pior entrevista dos últimos tempos, muita gente esquece que jornalista não conhece nem entende de todoooooos os assuntos( tecnicamente é impossível) e na maior parte das vezes apenas repete o que lhe mandam. mas ficou praticamente um bate-boca digno de nossos programas de tarde. mas achei o cara bem arrogante e pra mim a única coisa interessante que ele falou foi que é mais um estudo, dentre tantos que já foram( e vão ainda ser) feitos sobre Jesus. isso sem contar que ele só reafirmou o pré-conceito da agressividade dos islâmicos, ele podia ter sido mais tranquilo, e deixar a jornalistona se queimar sozinha.

    ResponderExcluir
  9. Já vi entrevistas na "liberal" CNN em que os jornalistas tinham a mesma atitude dessa Lauren Green, caso o entrevistado defendesse algo contra a agenda da emissora. Estamos meio acostumados com as entrevistas da TV brasileira, onde raramente há confronto, e as intenções são mais camufladas. Quanto ao livro, cristãos também já escreveram sobre Maomé, às vezes de maneira bem áspera (Robert Spencer, por exemplo). Enfim, de um lado e de outro, sem novidades no front.

    ResponderExcluir
  10. nao gosto de mitologia biblica!!!! cada um escreve o quer e todo mundo acredita no que quer...

    ResponderExcluir
  11. Tudo pode ser dito sobre Jesus, Alah ou Buda, pode tudo, tudo pode... Sei lá, essa repórter ficou meio bundona e cheia de pruridos religiosos isso é óbvio, ok, mas também não podemos ignorar que já existe todo um filão que vive da desmoralização desta ou daquela figura histórica/religiosa, já deram esposa e filhos p/ Jesus, já disseram que era alcoólatra, que era polígamo, que não era chegado em trabalho... Sobre Da Vinci já disseram que era um frustrado e covarde, sobre Hitler que era gay enrustido e por recalque tornou-se o maior facínora do século XX (demonização do gay)... Farto, muito farto de factóides, esses caras devem escrever sobre quem está aqui e agora p/ se defender, ora bolas!

    ResponderExcluir