segunda-feira, 29 de julho de 2013

ORDINÁRIAS, MARCHEM

Muita gente boa se escandalizou com a Marcha das Vadias que antecedeu a chegada do papa a Copacabana, neste sábado que passou. Os manifestantes quebraram santos, envolveram crucifixos em camisinhas e esfregaram cartazes a favor do aborto na cara dos peregrinos que já lotavam a avenida Atlântica. Claro que não convenceram ninguém a mudar de opinião. Este tipo de protesto costuma ser contraproducente, já que nivela por baixo a imagem dos reclamantes: quem está do outro lado só confirma a opinião de que os que estão do lado de cá são todos uns selvagens. Paradas gays também recebem críticas parecidas, que não são de todo injustas. Ah, mas quer saber? Eu acho até bom que haja uma passeata bem mal-criada contra a Igreja em plena JMJ. Prefiro mil vezes esse "lío", como disse o próprio papa Francisco, do que o clima de oba-oba e passividade com que muitos tentaram embrulhar o evento. A democracia de verdade é suja, cheia de imperfeições. Quem gosta de tudo bonitinho em seus devidos lugares demonstra um certo pendor pelo autoritarismo.

52 comentários:

  1. Na hora de defender o direito a religião, os fanáticos são ferozes, mas ficam chocados quando imagens cafonas de gesso são quebradas por mulheres nuas. Democracia é isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Democracia para você então é ser intolerante? Se você quer respeito, respeite!

      Excluir
    2. Respeito é comer criancinha e acobertar? Que respeito a instituição Igreja Católica tem por alguém ou pelo bom senso? Vai bancar o advogado do diabo?

      Excluir
    3. Entendi, além de você ser intolerante, agora podemos somar à sua lista a generalização, já que segundo a sua visão turva todos os participantes (leia-se padres) da igreja católica são pedófilos!? Se todo mundo sabe que sim , ocorrem esses casos, nada está encoberto então. Vamos lá, manda mais, essa sua lista de "qualidades" deve ser enorme; o problema dos donos da razão, como você é, é se achar demais.

      Excluir
  2. Também não me agrada um protesto em que os participantes assumem justamente o esteriótipo esperado pelo outro lado. Acho que poderia ser mais inteligente e menos apelativo, mas também prefiro isso, do que a acomodação.

    ResponderExcluir
  3. Isso não é nada de desrespeitoso frente aos atos catastróficos e nefastos feitos pela igrejinha no passado e ainda hoje. É incrível as pessoas falarem que quem faz isso não respeita e que é preciso dar-se o respeito para ser respeitado, sendo que a contrapartida não existe. Nesse balaio estão, inclusive, bichinhas escrotas cristãs que amam ser martirizadas e mesmo assim seguir a doutrina da "salvação".

    ResponderExcluir
  4. Ah não Tony, nem se fossem pintos de borracha ia ser bonito. Não precisa ser assim pra alterar a ordem. Podia ser mais criativo, teria alcançado uma notoriedade mais positiva...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ...ou não ter alcançado notoriedade nenhuma.

      Excluir
  5. Concordo com o anônimo do post acima. Tremendo tiro no pé; de mau gosto, vulgar, apelativo. Se fosse uma visita do último papa, até faria sentido, mas Francisco não sei manisfestou contra os gays, foi até simpático em seu comentário (que Deus acolhe a todos). Se carolas marchassem durante a parada gay quebrando cds da Madonna e rasgando baby looks da Abercrombie as bees iriam chiar, ne?Continua a velha máxima, trate os outros como gostaria de ser tratado.

    ResponderExcluir
  6. DESNECESSARIA... FALTA DE RESPEITO... SÃO ENVIADAS DO DEMONIO... QUAL A DIFERENÇA DELAS PARA O FELICIANO? PORQUE QUEREM A APROVAÇÃO CATOLICA DE SEUS ESTILOS DE VIDA? PRECISAM DE LUZ NA ALMA... UMA VISÃO DEMONIACA

    ResponderExcluir
  7. Para mim contraproducente e desnecessário são as palavras-chave, como buscar tolerância pregando a famigerada intolerância ?? E sim, rolou muito pinto gigante de borracha e outras coisinhas...

    ResponderExcluir
  8. Eu sou lésbica e super católica. O que por si só, é uma tremenda contradição. E honestamente? Nem acho que foi tudo isso. A minha parte católica grita heresia. Minha parte sensata entende toda a simbologia da Virgem Maria, como essa imagem é altamente machista e como atua na construção 'do lugar' da mulher na sociedade. Enfim. Acho que é como você disse sobre os protestos em SP, antes de G. Alckmin os ressignifica-los... é um erro de feeling, atrai uma antipatia desnecessária a um movimento que é pouquíssimo compreendido, até mesmo por quem se declara feminista. Daquilo que vejo, a Igreja Católica não mudou seu modus operandi, mas seus fiéis sim (quem diria que de forma tão abrangente). Há muito mais aceitação e pluralidade na Igreja de hoje do que as pessoas imaginam (a secretária de uma diocese da minha cidade é lésbica assumida, daquele tipo que honra todos os esteriótipos e é super querida e aceita pela comunidade).
    Quando você enfia um crucifixo na vagina ou quebra uma santa na frente de uma multidão religiosa, você pode até ter a intenção de questionar a Igreja, de desconstrução do simbolismo... mas soará, inevitavelmente, como uma afrontação da fé alheia, não na Instituição, mas em Deus, nos santos e todos os personagens divinos que constroem a fé de A e B.
    Não é necessário, nem desnecessário. Só acho um erro estratégico mesmo... um ato isolado (já que a MdV disse não ter programado ou apoiado o ato) que trai uma visão errada do movimento de direitos humanos mais incompreendido da história humana.

    ResponderExcluir
  9. Tony anarquista DETECTED. o/*\o
    Daqui a pouco vai num show tributo aos Ramones. hehehe

    Dizer que esse protesto "é demais" ou "Chocante" é igual dizer que se ofende ao ver as drasgs coloridas na parada gay ou 2 homens se beijando ou no fundo pensa um "pintosas" quando vê dois homens "não-abofefifados" se beijando na rua.
    No fundo são apenas peças de porcelana quebrando. O insulto tá na cabeça de quem dá valor a isso.
    Lei e ordem não é só um seriado americano. É uma expressão que nasceu na Alemanha nazista

    ResponderExcluir
  10. Tony, você viu a pesquisa sobre os "temas polêmicos" da Igreja Católica com os participantes da JMJ? Uso de camisinha e pílula anticoncepcional a maioria é a favor. Casamento gay e aborto a maioria é contra. Conclusão: se é algo que eu faço a Igreja precisa se atualizar, se é algo que eu não faço, a Igreja está certa e deve continuar assim. Bando de hipócritas!

    ResponderExcluir
  11. Tem que permitir tudo, sim; se elas não podem protestar do jeito que acham melhor, então a parada gay também tem que ser todo mundo comportado e sem beijo na boca. Quem vai dizer o que pode e o que não pode? O papa? Protesto é para protestar, não é para pedir a benção de ninguém.

    E não é verdade que o papa não ataca os gays. Ataca sim. É uma tremeda passiva-agressiva, é isso que ele é. Não se iludam com a entrevista fofa de hoje; poucos dias antes de chegar ele publicou aquele "manual de ética" que condena, por exemplo, o direito de adoção por casais gays. Isso é atacar os gays ou não é? Informem-se.

    ivan

    ResponderExcluir
  12. A Igreja Católica aceita o homossexualismo? Não. O papa foi conciliatório em seu discurso? Sim. Dá pra ver a diferença? Podemos exigir respeito, mas não que nos amem. É católico, ou evangélico, quem quer. Engraçado, são anti-religiosos, mas parecem querer a benção do santo padre. O tal protesto foi grotesco, só isso. Respeito é uma via de mão dupla, mas parece que essa militância patética não consegue enxergar algo tão simples.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E por onde andou a militância não patética.

      Excluir
    2. Oportuna indagação [dispensa até o ponto de interrogação].
      Mas há de fato uma militância não patética? Ou haveria apenas uns caras por aí, atuando no bloco do eu sozinho?

      Excluir
    3. Santo o quê????? Não aguento isso. O cara vive nesse planeta a 76 anos. S-E-T-E-N-T-A E S-E-I-S A-N-O-S e 'ninguém' nunca tinha ouvido falar da pessoa. Aí ele veste uma roupa branca e da noite para o dia vira SANTO, vira DEUS, todos choram só de ouvir sua voz, querem tocar sua batina, cheirar suas sandálias. Que gente patética!!!!!!! E ainda querem vir aqui criticar as vadias?????? Se enxerga!!!! O Sr. Bergoglio é apenas um velhinho simpático, como milhares de vovôs que temos espalhados pelo mundo. Tenho nojo desse tipo de idolatria sem sentido. Dessa necessidade das pessoas elegerem um líder para lhes dizer o que é certo e o que é errado. Porque não crescem e descobrem sozinhos?

      Excluir
    4. Por que vc não cresce e entende uma ironia? Santo padre é como as pessoas o chamam, não que ele seja santo. E se querem acreditar que ele é santo, que acreditem, que acreditem também em seres inexistentes. Estado laico não significa apenas liberdade para dar o cu, mas também liberdade religiosa. Vc dá o seu cu, eles acreditam em boitatá, coelhinho da páscoa, whatever. Respeito mútuo, entretanto, é bom e todos gostam. E o papa foi respeitoso em seu discurso, ao contrário daquelas criaturas deprimentes que cometeram aquele ato lamentável.

      Excluir
    5. Já a minha opinião é diferente: Para mim patético é ver essa idolatria acéfala, pelos motivos que citei acima. Você pede respeito e chama as vadias de criaturas deprimentes? O que elas tem de mais deprimenente do que esse bando de idiotas que ficou lá no frio e na chuva para tentar beijar os pés do santo que até ontem ninguém sabia que existia?

      Excluir
    6. Aquelas pessoas que ficaram no frio e na chuva para beijar os pés do tal santo não ofenderam ninguém; fica lá quem quer. A marcha das vadias é um movimento legítimo, que foi sequestrado por militantes de partidos esquerdistas que o utilizam em prol de sua própria agenda, e também por militantes mais preocupados em ganhar espaço na mídia do que defender qualquer coisa justa. E novamente, respeite para ser respeitado. Se ainda não entendeu,na próxima eu desenho.

      Excluir
    7. Já a cartilha que foi distribuida pelos 'militantes' da JMJ são muito mais ofensivas do que qualquer ato praticado pela Marcha das Vadias. Se informe melhor e seja menos bitolado(a). Tente ler além das aparências e procure interpretar as entrelinhas. Aliás, releia o que você escreve e se possuir um mínimo de auto-crítica pare de pregar sobre respeito por aqui, pois soa tão hipócrita quanto a Igreja Católica. Essa mesma que acoberta centenas de casos de pedofilia de seus padres e depois tenta associá-los a homossexualidade. Se situa querido(a).

      Excluir
    8. Quem precisa reler qualquer coisa é vc, que parece ter algum problema cognitivo. Igreja é pra quem quer, segue sua "cartilha" quem quer. Preocupe-se em ter um estado laico, direitos civis e...respeito. Mas faz assim, enfia um crucifixo no cu e "vai pra rua", vai abalar as estruturas da santa igreja.

      Excluir
    9. Não me conhece e afirma que tenho algum problema cognitivo, sugere que eu enfie um crucifixo no cu e ainda prega o respeito? Auto crítica inexistente e nível baixíssimo. Fim de papo!

      Excluir
    10. Ué, mas as religiões têm o direito de pensar o que elas quiserem. Ponto final. O que não pode é o Estado pautar suas ações com base em fundamentos religiosos. O nome disso, Bruno, é intolerância religiosa.

      Da mesma forma que é absurdo alguém ser agredido por ser gay, travesti, transexual, lésbica, bissexual.

      Saiba PONDERAR as coisas. Quem é contra essa palhaçada que é a Marcha das Vadias não necessariamente é a favor do status quo.

      E convenhamos: o que está por trás da Marcha é uma visão socialista de mundo. Um social democrata como eu jamais poderá apoiar coisa assim.

      Excluir
    11. Dá-lhe João. Discussão encerrada com suas (sábias) palavras.

      Excluir
  13. Em primeiro lugar é reconfortante só de saber que uma manifestação dessa natureza POSSA acontecer. Em muito lugar do mundo não poderia, e mesmo no Brasil de alguns anos atrás também não.

    Há dezoito anos, quando o pastor evangélico Von Helde chutou uma imagem de uma santa católica em um programa de televisão, teve repercussões oficiais do presidente e de ministros, teve início a guerra santa fria entre Globo e Record e entre católicos e evangélicos, o pastor Von Helde teve que se refugiar nos Estados Unidos, e acabou sendo condenado criminalmente por ofensa religiosa e vilipêndio. Para quem não se lembra, os detalhes estão aqui: http://pt.wikipedia.org/wiki/Chute_na_santa

    Já o episódio da Marcha das Vadias vai ser lembrado apenas como um protesto de gosto duvidoso.

    A diferença das reações entre um episódio e outro demonstram uma grande evolução. Muitas vezes é preciso fazer algo, mesmo que não tenha um resultado prático, mas só para provar que é possível. O episódio serviu para mostrar que o país mudou para melhor em termos de liberdades individuais. Eu tenho a esperança que talvez dentro de algum tempo os próprios religiosos se sintam constrangidos pelo fato de que seus antepassados adoravam imagens de barro e símbolos de madeira.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É tão bom saber que o Brasil mudou para melhor. Obrigado pela informação, pois eu tinha uma impressão contrária. Agora, esperar que os religiosos se sentirão constrangidos por curtirem imagens... é o delírio onírico mais bobo e inócuo que já tomei conhecimento.

      Excluir
    2. Luciano,

      Muito boa memoria. Lembra-se tbm da sinead o'connor rasgando a foto de Joao Paulo II? eu era criança e me lembro de assistir na tv (globo)os protestos, com um rolo compressor passando por cima de seus discos, e discos sendo quebrados em praça publica.
      Realmente o pensamento dos dias atuais é outro.

      Excluir
    3. Pois é, aí entramos na questão de um esforço de entendimento das coisas, por isso ninguém se entende, ao falarmos que os católicos adoram imagens, sem entender que isto é apenas um símbolo e um meio de conexão ao que eles acreditam, caímos no preconceito que tanto lutamos contra. Sou budista e sofro preconceito, que vem de onde? Da pura falta de empatia e respeito.

      Excluir
  14. A marcha é uma coisa mega ultra importante, quem viu outro dia o vídeo onde um lutador(que acabou apanhando e perdendo até emprego) dá uma encoxada numa garota que está de shortinho e bota e quando ela reclama ele tasca mão na cara, se (re)lembrou que muita mulher AINDA sofre, apanha e é estrupada SÓ pq está sexy. e ainda vem um engraçadinho e diz " também com essa roupa de puta", e quem disse que puta não tem seus direitos civis? até pq puta cobra, não trabalha de graça.
    mas daí a fazer palhaçada, ah vá! eu nem vi esse lance de enfiar cruz, mas pufavô nada a ver.
    e pra JULIA M. a fé é sua e vc frequenta onde quiser, se gosta da igreja católica vc tá certa, até pq se pegar aquela música" se gritar pega ladrão não sobra um, meu irmão" mudar para homossex e berrar dentro de um convento/mosteiro/afins vc sabe bem o que acontece, né?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deixa ver se eu entendi. No mosteiro: Se gritar pega gayzão, não fica um meu irmão. É isso?

      Excluir
    2. HAHAHAHAHAHAHAAHAHAHA.
      Não só eu como todo mundo aqui, né?
      E sim, estou certa mesmo... assim como um umbandista, um espírita, um evangélico, um hindu, um ateu. Desde que não confunda Estado com religião, não confunda suas 'verdades' com as escolhas e vidas alheias, respeitando toda e qualquer liberdade individual... não há erro algum.

      Excluir
  15. Eu fico aqui pensando o seguinte: porque que os gays, as vadias e demais segmentos da sociedade querem tanto a benção da igreja para seus interesses pessoais e causas?
    Gente, se já saímos nas ruas dizendo que a igreja é retrógada, para que queremos comungar dessa igreja?
    Não precisamos de igreja, não precisamos do papa, o que precisamos na verdade é de respeito, e como já li acima: respeito é uma via de mão dupla.
    Eu estou apaixonado pelo Francisco, adorei a postura do cara.
    E se estive lá na praia com a chegada das tais vadias dava uma chuva de areias nessa indesejáveis....que pena que os jovens da JMJ são calminhos.
    Já pensou que divertido seria um grupo de evangélicos e católicos invadindo as paradas gays?
    Seria bom o respeito mutuo.
    Messias V.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei de como vc colocou a coisa. Eu não tenho religião, não me encanto com os Franciscos da vida, e o que eu quero são DIREITOS CIVIS! E parafraseando Groucho Marx: EU NÃO FARIA PARTE DE UMA RELIGIÃO QUE ME ACEITASSE COMO ADEPTO.

      Excluir
  16. O problema dos fundamentalistas da Marcha das Vadias é NÃO entender que assim como existe LIBERDADE DE EXPRESSÃO, também existe LIBERDADE DE RELIGIÃO. Um direito não pode sobrepor outro. Simples assim. Só que esse pessoal é cooptado pelo eixo PSTU-PSOL e quer mais uma revolução socialista gramsciana no Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se contraproducente seria o termo, acho mais um caso de burrice mesmo.

      Excluir
    2. Joãozinho os bocheviques vão te pegar!

      Excluir
  17. Perguntei a um executivo português, caretão, mas bem informado, como Portugal, país ibérico, tradicionalista e católico, aprovara o casamento gay. Ele disse que nem os portugueses sabem, pois não houvera uma mobilização visível da comunidade gay, nem a sociedade fora chamada a se manifestar contra ou a favor. Mas havia uma suspeita de que os ativistas gays tinham agido com máxima competência, trabalhando na calma junto aos políticos e dirigentes confiáveis e sensíveis às questões sociais e quando se viu, estava aprovado. E, como resultado, a sociedade lusa até mesmo se sentiu até orgulhosa de ver decidida essa questão em sua terrinha, antes mesmo dos países centrais.
    Certamente os gajos paneleiros não sairam às ruas com os cus ao léu, nem a quebrar umas imagens de N. S. de Fátima.
    E no Brasil, nós contamos piadas com o português sendo sempre o cara burro.

    ResponderExcluir
  18. Triste a imagem, enfim... o movimento tem minha simpatia e reconheço sua importância. Mas é de uma imbecilidade cruel e tosca a cena descrita no texto, cruel porque desqualifica o movimento a afronta pseudo-artístico-impactante-silvícola ou seja lá que denominação vão dar a esta lástima. Respeito sim é importante, e a mídia e opinião pública toda a favor da JMJ esta ação só mina as reais intenções do movimento.

    ResponderExcluir
  19. As pessoas perguntam porque o movimento LGBT e feminista querem a benção da Igreja Católica. Não se trata de pedir benção. Trata-se de afrontar a soberba de uma instituição que se acha no direito de decidir o que a sociedade deve permitir em relação ao corpo da mulher ou aos direitos civis dos LGBTs. O poder de influência da Igreja é grande e se ele não for contestado torna-se maior ainda. A forma escolhida pela Marcha das Vadias foi mais agressiva do que um discurso homofóbico ou machista que indiretamente fornece o aval para a violência e o preconceito contra LGBT e as mulheres? Eu acho que não!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Finalmente alguém realmente sensato! É tão difícil de entender que não queremos bênção ou reconhecimento de religião alguma, queremos apenas que elas nos deixem em paz para vivermos nossas vidas segundo a forma que quisermos e dentro de leis do estado laico e não regidas por dogmas e crenças supersticiosas. Esses aí de cima reclamam tanto da "falta" de respeito dos manifestantes, mas parece que não veem no cotidiano a opressão que as instituições religiosas causam e já causaram, fazer o que né? Gostam de ser marginalizados e massacrados...

      Excluir
    2. Entendi...vc quer que nos deixem em paz para vivermos nossas vidas segundo a forma que quisermos, mas eles não podem crer no que bem lhes entender, neaam? Ah sim, ficar pelado em praça pública se masturbando com um crucifixo vai ser de uma ajuda imensa à causa gay...Será que estamos menos "marginalizados e massacrados" depois desse acontecimento edificante? Acorda, bee...

      Excluir
    3. Eles podem crer no que quiserem desde que não tentem interferir na vida das pessoas que não fazem parte da igreja dizendo o que é certo ou errado. E é exatamente isso que as eles fazem o tempo todo e por isso não merece respeito e sim a contestação dessa sua pretesão de poder. Quem será que precisa acordar aqui?

      Excluir
  20. Mas é claro que o Papa iria fazer um comentário no mínimo neutro sobre os homossexuais. A Igreja Católica vai dançar conforme a música e a música do momento pede respeito à diversidade sexual.
    Agora quero ver se pronunciar dessa forma sobre aborto, sobre métodos contraceptivos, sobre a exclusão que sofrem as minorias (vale esclarecer que não é só LGBT que é minoria), sobre miséria, sobre a AIDS, sobre todas essas malezas que vimos todos os dias, debaixo de nossos narizes.
    A diferença no discurso é que as pessoas não se importam. E enquanto não for um choque, um crime, uma violência ao ser humano milhares de pessoas morrerem por estas condições, nada vai ser feito para mudar.

    ResponderExcluir
  21. Falando em AIDS estou meio que indignado com a capa sensacionalista da Revista Super Interessante desse mês: "Enfim, a cura da AIDS". Não existe cura definitiva alguma e eles soltam uma capa mentirosa dessas só para vender revistas. Revoltante brincar assim com um assunto tão sério!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim muito sério isto, lembro-me de quando o meu primo morreu no início dos anos 90, algo triste e chocante naquela época, em um Mundo sem informação a respeito do que se tem hoje, mas é aquilo não existe cura ainda, e até pararam de falar a respeito.

      Excluir
  22. Preguiça master dessas bichas que associam todo e qualquer movimento de protesto, como o Passe Livre ou a Marcha das Vadias, a manobras diabólicas de partidos de esquerda. Parece tanto com a minha avó, quando falava dos partidos de esquerda como quem falava dos enviados de Lúcifer à Terra para tomar o poder dos políticos bonzinhos e em seguida destruir o mundo. A agenda de partidos como PSOL e PSTU é tão positiva, legítima e favorável aos direitos civis LGBT, tendo o Jean como um dos principais líderes políticos (no caso do PSOL) que não dá para entender o que essas bichas tem contra esses partidos. Acho que é masoquismo. Querem continuar votando como papai e mamãe ensinou, mesmo que precisem mendigar direitos civis e continuar apanhando na rua. Boa tarde!

    ResponderExcluir
  23. Desnecessário. Isso, realmente, não me traduz.

    ResponderExcluir
  24. Desnecessário e como vc mesmo disse, Tony, contraproducente. CHOCAR nem sempre faz PENSAR. Tá ok há alguns anos isso seria inviável por conta das carolices de cada um, mas esse tipo de comportamento x-rated muda em que? Serve pra que? Atende os anseios de quem e para quem? Qual o recado que LGBTs mandam c/ isso? Soa como algo estúpido tipo 'Olha adoramos enterrar um fio dental no rabo e sair por aí quebrando adornos de altar, só isso não temos mais nada a dizer, choquei vc de marilyn manson da 25 de março? Ótimo, era só isso mesmo que eu pretendia, até a próxima oportunidade de te chocar novamente', e depois? Isso por acaso muda séculos de ignorância que se construíram ao redor dos homossexuais? Isso nos torna acessíveis a um debate consciente? Não, não e não!!! Isso não faz menor sentido, só choca, só afasta, só exclui mais e mais a gente num gueto.

    ResponderExcluir