terça-feira, 2 de julho de 2013

OBRIGADO, SENHORES

Silas Malafaia adora agradecer, em tom de deboche, à propaganda grátis que o movimento gay proporciona aos homofóbicos. Por um lado ele tem razão: deputados como o Bolsonazi ou o Infeliciano estão com a reeleição mais do que garantida no ano que vem (se as regras não mudarem, diga-se bem - eles podem não resistir ao voto distrital). Sem jamais terem apresentado um único projeto consistente, esses sacripantas surfam no ódio que destinam aos gays. O mesmo ódio que seus eleitores ignorantes compartilham. Mas acho que chegou a hora de devolvermos o agradecimento ao pastor, na mesma moeda mais juros e correção monetária. Foi graças à perseguição gratuita que os fundamentalistas movem contra os homossexuais que muitos de nós, para usar uma palavra da moda, acordamos. Saímos das boates e fomos para as ruas. E o primeiro resultado está aí: a "cura gay" deu para trás, hahaha. Claro que a militância LGBT brasileira não começou em junho e que o trabalho de conscientização vem de décadas. Mas é inegável que, de uns tempos para cá, muit gente se tocou. Faz pouco mais de um ano que nasceu morto o "kit gay", assim apelidado pelos teocráticos. Na época parecia que seria assim para sempre: o governo federal meteria o rabo entre as pernas toda vez que a bancada religiosa estalasse os dedos, e os direitos igualitários jamais se concretizariam. As manifestações do último mês mostraram que não é bem assim. A derrota da "cura gay" foi uma das bandeiras mais frequentes dos protestos, e os aiatolás do Congresso enfiaram as violas no saco. Prometem vingança: o próprio Infeliciano ameaça aprovar a "cura" em 2015, quando espera que ainda mais evangélicos sejam eleitos. Sei não. Acho que eles já passaram do auge, e nós descobrimos que também temos força. Agora é hora de nos organizarmos melhor. E também de mentalizar um sonoro "obrigado" a estes senhores, que fizeram nossa bala coletiva passar. Já não era sem tempo.

29 comentários:

  1. O lema da bandeira bras. deveria mudar para:

    "ORDEM MAS NAO PROGRESSO"

    ResponderExcluir
  2. O Brasil mudou muito, principalmente nas últimas duas semanas. Vi gente indo às ruas que eu jamais poderia imaginar. Mais gente resolveu botar a boca no trombone. A onda favorável aos LGBT cresceu de forma impressionante com os últimos protestos de rua. Ou alguém viu algum cartaz pedindo mais religião para o Estado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim teve, a marcha pra jesus, ou voce nao le jornal

      Excluir
    2. A Marcha para Jesus é um evento anual e orquestrado pelas igrejas. Não é uma manifestação "espontânea" como as que sacudiram o Brasil em junho (e ainda estão sacudindo).

      Não tenho dúvidas de que os evangélicos saem enfraquecidos dessa onda toda. A molecada mais ativista não tem paciência com eles.

      Excluir
  3. Aprendemos uma lição: Nunca citar o nome do adversário. A expressão "cura gay" colou tanto,que poucos sabiam da existência de João Campos. Agora, com o grito "Feliciano não me representa" esse deputado ficou famoso. Este último não tinha reputação nenhuma para perder, saía no lucro com qualquer notícia.
    Como ainda os políticos estão muito "sensíveis", acho que pressionar os partidos via e-mail ainda uma boa ideia. Só para relembrar: João Campos redigiu um projeto de emenda constitucional que coloca as Igrejas como possíveis autores de ações de inconstitucionalidade.

    ResponderExcluir
  4. a ameaça da infeliciana de que vai voltar em 2015 (tipo a bruxa má do oriente) ignora o fato de que temos o tempo ao nosso favor. O preconceito inevitavelmente diminui com o avanço da sociedade, e 2 anos em uma matéria como essa fazem muita diferença. Pensem no que eram os nossos direitos e a visibilidade LGBT 2 anos atrás, e como isso é hoje. Em 2015 ele vai voltar, sim, mas com as mesmas ideias velhas de sempre, e a sociedade já terá dado vários passos adiante.

    E viva o voto distrital!

    ivan

    ResponderExcluir
  5. O nazismo provou que o ser humano é facilmente doutrinável. Arma poderosa na mão de gente como esses pastores políticos. Acho que essa é a parte ruim da democracia: Ter que assistir de camarote até onde vai a estupidez humana. Parabéns a galera do LGBT!

    ResponderExcluir
  6. Se me permite, como roteirista, o que você acha desse projeto de lei do senhor Jean Wyllys que tenta criar impedimentos para o trabalho artístico de menores de 16 anos? A tv, cinema e teatro podem abrir mão de ter crianças atuando?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, não podem. Mas ainda não li o projeto, vou procurar me informar.

      Excluir
    2. Que horror, não sabia deste projeto. O que tem demais crianças e adolescentes atuarem no teatro cinema ou televisão? Sendo bem assessorados e bem tratados não há nenhum problema. Nossa se o Jean fez mesmo um projeto como voc~e citou acima, me decepcionou.

      Excluir
    3. Fui olhar no site do Jean e não tem nenhum projeto desse tipo listado lá. Confiram aqui a lista completa:

      http://jeanwyllys.com.br/wp/projetos-de-lei

      Fernando, onde foi que você viu esta notícia? Pode nos passar o link?

      Excluir
  7. OLha isso, Tony. Vc não pode deixar barato. Use sua força pra não deixar isso acontecer.
    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/07/1305498-deputado-vai-reapresentar-projeto-de-cura-gay-usando-brecha-do-regimento-da-camara.shtml

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já tinha lido. E eu quero mais é que isto aconteça mesmo! Seria sensacional ter o projeto reapresentado na Câmara o quanto antes, porque neste momento ele seria fragorosamente rejeitado. Era isot o que o PSOL queria, ao fazê-lo tramitar em regime de urgência. Além do mais, saberíamos quais deputados votariam contra ou a favor.

      Excluir
    2. É muito melhor que o projeto vá para votação. Se o movimento LGBT fosse inteligente faria de tudo para que isso acontecesse. Falta estratégia para a nossa turma!

      Excluir
    3. O problema é que o movimento LGBT não é forte e muita gente acha que homofobia existe, pois os gays se colocam em "situações de risco". Ou seja, as barbiezinhas não querem participar do movimento LGBT...

      Excluir
  8. O mio babbino caro
    Um pouco cansado, agora é deixar essa gentalha nadar neste mar de estupidez, ignorância, maldade, desonestidade, má-fé, ridicularização, falta de vergonha; e ver suas putrefação. Não sem antes passarem por mais algumas humilhações.

    ResponderExcluir
  9. É, por um lado você está certo. Mas como era um projeto que incidia mais na condição humana, o povo em geral se contrapôs para não querer parecer retrógrado. O que já não aconteceria na mesma proporção em relação a algum direito aos LGBTs que falta ser aprovado, como casamento civil e lei anti-discriminação.

    Agora em relação ao que o Feliciano disse, soa muito ridículo, afinal os evangélicos são "apenas" no máximo 43 milhões, a taxa de crescimento deles caiu pela metade em uma década de 120% para 61%, e prevejo que até 2020 cairá mais ainda, tomara que seja no máximo 25% (nem sou otimista né rsrsrs). Além disso, ele se esquece que esse é o número total de evangélicos, ou seja, nem todos pensam iguais, vide as petições que os próprios evangélicos criaram para tirá-lo da CDHM e ainda que têm evangélicos que o Censo contabilizou que são LGBTs (frequentam aquelas igrejas inclusivas).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa vc esta por fora mesmo - O ABC ao contrário do resto do BR é altamente desenvolvido, temos Sao Caetano como a melhor cidade do BR - eu estou no meio do percentual de pessoas abaixo tenho faculdade trabalho em um grande banco e fiz FGV e sou evangélico.

      O crescimento de jovens evangélicos chega a 70% nos últimos anos em uma região do estado de São Paulo, Brasil. Os dados foram revelados pelo último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

      Os números da pesquisa apontam para 338 mil moradores jovens que declararam ter relação com alguma igreja evangélica na região do ABCD - que compreende a região industrial, com os municípios de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul e Diadema. Com a faixa etária de até 29 anos, o grupo era 236 mil pessoas no ano de 2000.

      Excluir
  10. Xistos Bacamarte3 de julho de 2013 16:36

    Menines from heaven essa bandeira tá deliciosa de se ver, o lema devia ser RESPEITO E PROGRESSO porque ORDEM nesse país não quer dizer nada. Os próprios políticos instauram a corrupção e a ordem vai pelos ares! Ai de nós sem as manifestações, LGBTs pegaram carona sim, mas quem mais dentre os insatisfeitos de toda ordem (médicos, professores, universitários, cidadãos comuns) não pegou? Queda de PEC-37, ridicularização da 'Cura Gay', transporte público decente, pré-sal exclusivo p/ educação tudo isso saiu do papel rapidinho e por isso mesmo já é histórico!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O BRASIL É UMA BOSTA!!!! NASCER AQUI É CASTIGO!!!!! CADA DIA QUE PASSA, MAIS RAIVA TENHO DE TER NASCIDO NESTA TERRA!!!! Ô PAISECO VIU!!!

      Excluir
    2. pelo contrario, o brasil e lindo, so que pra conseguir nosso espaço nos temos que ter posicao, nao e ficar dizendo que e castigo nascer aqui, tenha um pouco mais patriotismo, e leia mais sobre politica e se informe por que conhecimento e poder.

      Excluir
  11. Já houve a ressureição da cura gay no congresso, um dia após sua morte. http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2013/07/03/deputado-reapresenta-projeto-da-cura-gay-na-camara.htm

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o G1 não cagou no maiô, agora é um projeto de lei. JAMAIS passará pelo Dilmão. O atual momento inviabiliza.

      Excluir
    2. Isto é só um deputdo obscuro querendo se promover. Mas tomara, tomara mesmo que esse projeto fosse a plenário nesse momento...

      Excluir
  12. Gostaria que o projeto fosse para votação, com certeza a derrota seria mais vergonhosa do que tirar o projeto antes. Ficaria mais clara a posição da sociedade e Infeliciano e sua turma não estaria arrotando por aí que em 2015 o projeto volta.

    ResponderExcluir
  13. concordo com o caio quando ele diz que o "poder" desses crentes tem diminuído, é, as igrejas encolheram, acredito eu pq grande parte vende uma prosperidade financeira que não cai dos céus, e ser muito santinho( sem pecados/vícios, só virtudes) é uma coisa que precisa ter muuuita força de vontade. além do que, como ele mesmo citou, há vários evangélicos sérios, que eu nunca chamaria de 'crentes', pessoas religiosas mesmo que tem um estilo de vida calmo e ponderado e não apoiam esse tipo de safadeza.
    quanto a aprovar em 2000 'e num sei quantos' esse projeto, só se o mundo mudar de rumo. não vai pegar bem na comunidade internacional, um país que quer ser moderninho, aprovar um projeto antiquado assim. como se sabe o ocidente nada de acordo com a maré, que anda bem pro nosso lado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nao sao os crentes, sao os fundamentalistas, por exemplo eu ja fui em uma igreja aqui em goiania, chamada videira, super atual, tem um monte de gays, mas nao simpatizo com doutrina, gosto da energia dentro destes lugares, apesar de nao acreditar muito em deus.

      Excluir
  14. Na época parecia que seria assim para sempre: o governo federal meteria o rabo entre as pernas toda vez que a bancada religiosa estalasse os dedos, e os direitos igualitários jamais se concretizariam.

    FATALITY COMBO GLEEMTASTICAL NO SACO DA/S SOCIEDADE/S JUDAICO-CRISTÃS CASTRADORAS POR EXCELÊNCIA --

    ResponderExcluir
  15. gente o movimento LGBT brasileiro é uma pornochanchada...com bicha trepando no meio da rua na maior parada gay do mundo.. o que esperar dos políticos então??? todo mundo se merece aqui... não vejo diferenças.. é cobra comendo cobra...

    sem querer puxar o saco dos gringos... mas é visível a diferença do nível de comprometimento que os americanos tem em um casamento gay... quando querem.. e não estão enfiando cone de rua nos rabos um dos outros em sauna gay!!!... é desconcertante a diferença de lá pra cá.. nosso caminho ainda é bem longo!!!!

    ResponderExcluir