domingo, 7 de julho de 2013

LUCIAN FREUD EXPLICA

O Museu de Arte de São Paulo está se especializando em micro-exposiçõe temáticas, que podem ser visitadas com calma em menos de uma hora. Em 2012 veio um punhado de obras de Caravaggio. No começo deste ano, uma única tela de Vermeer teve até os estilos de suas diferentes molduras dissecados a fundo. Agora é a vez de um dos artistas mais importantes do século 20: o britânico Lucian Freud, nascido em Berlim e neto de Sigmund. São apenas cinco quadros a óleo, alguns bem pequenininhos. Um único deles traz a marca registrada do autor: o corpo humano nu cheio de dobras, pneus e estrias, ainda mais feio do que é na realidade. Há também um número considerável de gravuras, assumidamente um aspecto menor do trabalho de Freud, e algumas fotografias excepcionais de David Dawson mostrando o artista em ação em seu ateliê (até a rainha posou para ele). O talento técnico do artista, morto há dois anos, é realmente assombroso: um quadro antigo, o "Mulher com Rosas" de 1948, surpreende tanto pelas diferentes texturtas das pinceladas como pelo simbolismo (a modelo era casada com ele e estava no começo de uma gravidez). Uma exposição imperdível para quem gosta de pagar de culto.

4 comentários:

  1. Gosto de post cultural que as bunita não comenta porque não sabe do que se trata.

    ResponderExcluir
  2. O mio babbino caro
    Bem que eu gostaria de fazer algum comentário, mas são tantas coisinhas miúdas..."Meu conceito parece, à primeira vista,
    Um barroco figurativo neo-expressionista
    Com pitadas de arte nouveau pós-surrealista
    calcado na revalorização da natureza morta" (ZB)

    ResponderExcluir
  3. Mas nem o Rolando Lero.... oops, Bambbino Caro sabe o que dizer? Como levar a sério os debates políticos desse pessoal? Vc merece leitores melhores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. (ZB rsrsr esqueci das tampinhas de fanta uva) Normalista!

      Excluir