sábado, 6 de julho de 2013

HOLA BONITA, ¿QUÉ TAL UNA MANZANA?


Alguns críticos dizem que "Édipo-Rei" seria o über-plot do Ocidente. A mãe de todas as histórias (um descendente óbvio seria "Hamlet"). Mas para mim a trama matriz é mesmo "Branca de Neve e os Sete Anões", a primeira que absorvi na vida, na forma do clássico desenho animado de Walt Disney. O conto da princesinha abandonada pela madrasta ressurgiu com força nos últimos tempos, gerando dois filmes hollywoodianos ("Espelho, Espelho Meu" e "Branca de Neve e o Caçador"), uma série de TV ("Once Upon a Time") e até mesmo uma novela brasileira ("Avenida Brasil" - ah, vai dizer que você não percebeu?). Agora chega uma versão cinematográfica não só ambientada na Espanha dos anos 1920 como também muda e em preto-e-branco. Claro que o estilo de "Blancanieves" (vou usar o título original, é muito mais sabroso) lembra muito o de "O Artista", e, assim como esse outro filme, também ganhou uma tonelada de prêmios. Bastante merecidos, aliás. Todos os clichês espanhóis estão presentes, das touradas às castanholas (uma cantora tem o nome deliciosamente óbvio de Carmen de Triana). A divina Maribel Verdú, sem os dentes falsamente perfeitinhos das colegas americanas, faz uma madrasta glamurosa e engraçada. Fotografia deslumbrante, sensacional uso da música (quero comprar a trilha) e edição contemporânea geram momentos quase sublimes na tela. Mas o roteiro é irregular. Patina em alguns momentos e rodeia para chegar no final. Que, paradoxalmente, é abrupto, e diferente do que ao que estamos acostumados. Minha interpretação é a de que o diretor Pablo Berger quis fazer uma metáfora política, ao terminar a história às vésperas da Guerra Civil Espanhola. Mas meu marido Oscar diz que eu estou tentando deixar o filme melhor do que ele é.

7 comentários:

  1. eu assisti este de um bluray rip aqui na net mesmo e gostaria de salientar o brilhante trabalho de figurino que o sr. paco delgado [os miseráveis!] desenvolveu! o filme é primoroso - e seu marido oscar q ganhe um oscar antes de se meter em resenhar - parabéns excelente resenha

    ResponderExcluir
  2. Oscar sempre inteligente e gostosoooooooooooooooooo....ai grandes lembrancas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz por você, mas quem está no testamento sou eu.

      Excluir
    2. Como diria Sandra Annenberg: "que deselegante!" haha

      Excluir
    3. Shirley Love - Petista Convicta7 de julho de 2013 02:24

      Nem precisa de testamento. Vcs vivem em união estável...50% são seus.

      Esse é o Brasil do PT. O Brasil que acredita na igualdade.

      Excluir
    4. Shirley love, petista convicta (argh!) e expert em direito de família ... SQN.

      Excluir
  3. Gostei muito do filme, a melhor versão de Branca de Neve disparado do ano passado. Uma produção belíssima, bem feita, bem interpretado e bem dirigido.

    ResponderExcluir