quarta-feira, 10 de julho de 2013

EU HOJE VOU LHE USAR

Será que Sergipe está num fuso horário tão diferente assim? Enquanto que no resto do Brasil são três horas da tarde, lá é plena Idade Média. Só isto explica o fato de um jornalista e blogueiro ter sido condenado a sete meses e 16 dias de prisão por ter escrito um texto de ficção, que não cita nomes nem acusa ninguém. Mesmo assim, o desembargador Edson Ulisses (cunhado do governador Marcelo Déda, que é do PT) entrou com um processo contra José Cristiano Góes, porque se ofendeu com a expressão "jagunço das leis". A pena já foi convertida em prestação de serviços e provavelmente será derrubada quando o advogado do jornalista apresentar o primeiro recurso. Mas o maior consolo é que o tal do desembargador em quem a carapuça serviu não se deu conta até agora de que fez propaganda gratuita do texto "Eu, o Coronel em Mim". O mínimo que podemos fazer agora é lê-lo e divulgá-lo por aí, mas tomando o cuidado de dar o devido nome aos bois. Coronel, vá se lavar.

3 comentários:

  1. Ah, gente, meritocracia é o que menos existe no judiciário do Nordeste...isso é fato notório. Infelizmente...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oxente! O que você diz sobre os juízes do Rio de Janeiro que continuavam indeferindo os casamentos civis entre pessoas do mesmo sexo, ainda com a portaria do CNJ?

      Os cargos de juízes de primeiro grau ainda são providos por concurso de títulos e provas. Para ascender aos Tribunais de Justiça, passam pela mesma politicagem que há em todo Brasil (inclusive no STF. Esse, sim, é fato notório).

      Temos, nos tribunais do nordeste, problemas estruturais de grande dimensão. Ainda assim, não deixa de ser bastante leviana a sua afirmação.

      Excluir
  2. E isso é só uma ponta do iceberg, Tony.

    ResponderExcluir