terça-feira, 11 de junho de 2013

YA TODOS HABLAMOS PORTUGUESIÑO

Nova campanhinha da Coca-Colinha no Equadorzinho. Por que será que eles acham que aquizinho no Brasilzinho todo mundinho só fala no diminutivinho?

Coxinha de frááángo.
 Portuguesiño sí, tanga brasilera náááo.

20 comentários:

  1. Hmm, aquela propaganda argentina é bem mais engraçada.....

    http://www.youtube.com/watch?v=_bWoLqJiZUE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Postei esse comerical argentino há anos:

      http://tonygoes.blogspot.com.br/2010/03/muitchas-gracinhas.html

      Excluir
  2. Creio que não foi esta mensagem que a propaganda quis passar. Penso que eles quiseram dizer de uma maneira carinhosa que estão se esforçando para falar um pouquinho de português. Tipo eu vou para o Equador e falo um "españolzinho". (a veia publicitária pulsa mais forte)

    ResponderExcluir
  3. Tony, diz a lenda equatoriana que "hablamos" tudo no diminutivo! É como dizer que todos os colombianos cheiram um pozinho.

    ResponderExcluir
  4. A piada faz sentido para eles assim como faz sentido, no Brasil, quando alguém quer fingir que fala espanhol, mandar "poquito", um "bocadito", ou seja, um "Espanholito".

    ResponderExcluir
  5. Tonico, na Espanha simplesmente não existe o diminutivo: "me pones un café,por favor?" pede o espanhol.Jamais,jamais,jamais ela dirá "me pones un cafecito?" ou "una aguita" ou "un vinito"... O único lugar onde existe iño é na Galícia, onde te mandam um besiño,porque lá o diminutivo É IÑO! Eles morrem de rir que tudo que pedimos é "inho",nesse jeitINHO só nosso...Soube que no Peru também pedem muito "ito". Entendeu,QUERIDZINHO?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez na Espanha não falem assim, o que eu duvido. Mas no México é muito comum se falar coisas no diminutivo.

      Excluir
    2. No México falam muito "ahorita".

      E na Venezuela, onde existe o diminutivo do diminutivo? Lá é comum se ouvir "ahoritica", jajajaja.

      Excluir
  6. Como professor de português para hispanofalantes percebo que essa dificuldade deriva do uso do ão e experiencias no Brasil. Não estão acostumados e associam isso a aumentativo. Confundem com o aumentativo. Minha tática ao perceber este uso é perguntar o pq do exagero ou qd a aula é em grupo coloco todo mundo para repetir oraÇÃO ate virar oração e depois cantar a banda mais bonita da cidade. E sinceridade quantas vezes falamos diminutivos sem perceber? O sujeito escuta " uma cervejinha, um cafezinho, meu armozinho, um momentinho, uma água de coco geladinha..." E o "mulherão, pauzão, peitão, carrão, feriadão..." Sempre digo para usar esse artificio com quem tenha muita intimidade e tomando cuidado e que é algo informal. Ensino a usar o bem gelado, grande e pequeno quando quiser dar enfase a algo. Tem sujeito que escreve o inho e ão no C.V., comunicado de empresa, palestra, etc. Não é o mesmo que o portuñol, ate pq mts nem se esforçam a isso. O que percebo pelos meus alunos e com quem converso é uma tentativa de integração, agora a maior parte dos brasileiros buscam uma maneira de imposição. Acham que quem lhe presta algum serviço tem a obrigação de saber português.Uma prepotência em que o sujeito vai para a Espanha e usa o espanhol e quando esta na America Latina, em especial Argentina, não o usa! Antes ajudava a pessoa e dava um toque ate o dia em que um grupo quase armou um bagunça em um supermercado pq queria pagar com dólares, não entendiam que pagavam mais caro pq não trouxeram o casco da garrafa e acham que estavam sendo roubados pela caixa. Sinceramente? Uma coisa é o cara falar fode meu "cuzinha" tentando te agradar e interagir e o outra coisa a sujeita que entra em uma loja falando "ai moço. quanto es?" e gesticulando como se a pessoa fosse otária!

    ResponderExcluir
  7. achei ofensivíssimo! #falei #apaga

    ResponderExcluir
  8. Exceto no Rio. Onde tudo é ÃO. Você mesmo postou, lembra? Empadão, viradão...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo ão mesmo? Ui! Gozei!

      Excluir
  9. Van a tomar por el culito, ecuatorianitos!

    ResponderExcluir
  10. o que quer que signifique, é ruim pra cacete...

    ResponderExcluir
  11. Tb entendo essa propaganda como uma forma simpática de se referir ao país que receberá a Copa ano que vem... Não vejo nada de crítica, apesar de também achar que a propaganda argentininha é muito mais engraçadinha!

    Estive recentemente no Peru e na Bolívia, e fui perguntada algumas vzs pq falamos tudo no "inho"... É divertida a maneira como somos vistos. Jamais senti preconceito.

    ResponderExcluir
  12. Cocacolinha no Equadorzinho! Ficou fofinho!

    ResponderExcluir