sábado, 1 de junho de 2013

O EFEITO JOELMA

Brasileiro odeia ser chamado de preconceituoso. Não existe xingamento mais pesado: nem filho da puta, nem bicha gladiadora, nem simpatizante tucano - nada é pior do que ser suspeito de nutrir o mais leve preconceito contra o que quer que seja. Culpa da escravidão, da qual fomos o último país do Ocidente a nos desvencilhar. Até mesmo os racistas e homofóbicos mais declarados juram não ter nenhum preconceito: só estão usando seu direito à livre expressão, mais nada.

Esse fenômeno não é novo e tem muitas variações. Uma das mais recentes é a que eu chamo de "efeito Joelma", inspirado pela ignorante cantora da banda Calypso. As comparações que ela fez entre gays e drogados caíram feito uma bomba em sua reputação. Joelma virou sinônimo de atraso mental, e com justiça.

Ela se assustou com a repercussão do que disse e tentou voltar atrás, mas não colou. E o pior é que seu caso não serviu de exemplo para outros artistas: taí o imbroglio desnecessário em que Ana Carolina se meteu essa semana.

Para quem ainda não sabe: em entrevista ao UOL para divulgar seu novo disco, a cantora se disse contrária a levantar a bandeira gay, pois isto significa "nós gays contra os héteros". Oi? De foi que ela tirou essa estupidez? E parece que não foi a primeira vez. Justo ela, bissexual assumida na capa da "Veja" em 2005.

Aí o Vítor Angelo, que assina o "Blogay" da "Folha de São Paulo", desmontou num post com clareza a inteligência as bobagens ditas por Ana Carolina. Desde quando os abolicionsitas eram contra os brancos? E as feministas contra os homens? Que planeta simplório é esse em que a cantora vive?

Ela acusou o golpe. Respondeu com uma carta aberta, dizendo que sempre foi favorável aos direitos igualitários, que adora Daniela e odeia Feliciano, que gostou até da musiquinha dos Tribalistas. Esclareceu sua posição, publicou uma letra militante e até mesmo uma foto sua no palco com a bandeira gay no ombro.

Melhor assim: Ana Carolina é uma das pessoas que mais vende discos nesse país. Tem uma legião de fãs ardorosos e sua opinião pode influenciar muita gente. Que ela se negue a dá-la, dizendo preferir focar na música, chega às raias da covardia. Todo artista que se recusa a falar de política é covarde. E menos artista por causa disto, porque arte é coragem. E é política.

No frigir dos ovos está tudo bem, mas não deixo de me espantar com a postura inicial da moça. Ela foi no mínimo inábil na escolha das palavras, o que é imperdoável para quem se acha letrista. Também não soube interpretar para que lado o vento sopra, o que costuma ser fatal para muitas carreiras. Ana Carolina foi arrancada meio à força de seu muro confortável, mas no final fez a coisa certa.

E antes que alguém pergunte: sim, é cobrança. Vamos cobrar os direitos igualitários e a cidadania plena de todo mundo: artistas, políticos, anônimos, você. E quem for contra, ou mesmo neutro, que sofra o efeito Joelma.

20 comentários:

  1. Anastasia Beaverhausen1 de junho de 2013 17:08

    Já tinha ouvido falar em insanidade temporária, mas burrice temporária?

    ResponderExcluir
  2. Palhaçada! Ela pode atéter errado por se dizer contraria a levantar a bandeira gay no início, mas acho que ela não tem obrigação de fazer isso. É o mesmo que dizer para uma pessoa que ficou rica que ela tem obrigação de ajudar os pobres. Isso não é obrigação dela, mas sim do governo e de quem se sentir a vontade para rasgar a camisa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que fiquei ryka ajudo os pobres mas só rasgo a camisa dependendo do peitoral. beijos

      Excluir
  3. dizer que o movimento gay é contra os hétero é uma imbecilidade, claro. No entanto, discordo quando você diz que um artista tem que ter posicionamento político claro e levantar bandeiras, que sem isso ele é menos artista. A arte é inevitavelmente política, mas requer liberdade. E a coragem pode estar até em não querer se envolver diretamente com a política (e não que esse seja o caso da Ana Carolina quando da infeliz entrevista) mesmo quando se atinge uma projeção muito grande e as cobranças pululam. A arte pode ser um lugar de maior delicadeza e transcendência.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. de anônimo para anônimo concordamos em tudo!

      Excluir
  4. falou e disse tudo; tem que cobrar, sim, e o artista tem que se posicionar, sim. Artista existe para despertar o mundo para o que não é óbvio. Artista certinho, conservador, neutro... é artista menor. Se é que é mesmo artista.

    E a recíproca vale para os gays também: não adianta falar mal da Joelma. Tem que boicotar, tem que processar, tem que mostrar que basta. Estamos em 2013. Aloka.

    ivan

    ResponderExcluir
  5. Me parece que ela quer ser dúbia em relação à própria sexualidade, talvez para não restringir seu público. A música que ela cita na carta aberta, "Homens e mulheres", é uma verdadeira apologia à bissexualidade. Conseguiu fazer até a Angela Ro Ro parecer bissexual.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkk
      Eu concordo com você. É um clássico dos artistas gays brasileiros que vivem no armário de vidro, tentar alimentar essa dubiedade sexual. Maria Bethania não é lésbica, lógico, quando ela ama pode ser um cachorro, papagaio, sofá...e vá lá, talvez uma mulher.
      Isso para mim é ridículo, os americanos estão em vantagem em relação aos seu direitos porque seus artistas não titubearam desde o início desse recente século a se assumirem como gays, refletindo a etapa final dos avanços sociais.
      A ausência dessa etapa(que as figuras públicas se assumam, se posicionem) no Brasil mostra como ainda estamos atrasados.

      Excluir
  6. My Clitoris Is Known As Sphincter, Bitches!!2 de junho de 2013 04:43

    Joelma acabou com o restante de seu público (que sim, era lgbt só que das classes c,d,e + o povo que ainda acredita em orkut, papai noel e disco voador), agora essa escrota vai saber o que é padecer sem cabeleireiro e maquiador de ponta, morre sua diaba loura de farmácia, epítome do brega e da decadência! Pink money tem que boicotar mesmo, vamos tocar um terror básico e chega dessa era de lampadas na cara em plena paulista, próximo passo deve ser o boicote nas urnas, infelicianas e bostanazis serão um dia nossas escravas sexuais, muito hardcore e fistfucking nelas kkkkkkk...

    ResponderExcluir
  7. Ana Carolina Bissex é piada do tipo Zorra Total.
    Concordo com alguns que acham que ela não quer restringir seu público.
    Só pq fala da boca para fora que é bi e porque apareceu beijando um super amigo é bissexual???
    Atitude covarde assim como ser chamada na sala da Polícia Federal e ao ser questionada sobre algo vibrando dentro da mala, acusar a assessora como proprietária dos vibradores...

    Que tal saber o que acontece fora do castelinho no Jardim Botânico?
    Que tal ter peito e mostrar que existe atitude fora das canções.

    ResponderExcluir
  8. Isso é acúmulo de mágoa, Ana Carolina chegou fazendo sucesso junto à elite branca da zona sul carioca e depois afundou pro público de sapatonas dos subúrbios e hoje é quase uma anônima no meio que "forma opiniões", ficou rica, comeu todas as fãs que queria, e agora sobrou falar essas bravatas pra tentar ser alguém.

    ResponderExcluir
  9. Isso é uma grande verdade. Em tudo quanto é lugar que você lê a respeito do tema homofobia, os homofóbicos dizem: "hoje tudo que eu digo, se não cair no gosto dos 'gayzistas' sou taxado de homofóbico". Ou seja, eles detestam serem chamados assim, ao invés de se assumirem como tal logo de uma vez. Até o estado do Pará, super molenga com a questão gay decidiu cortar verba para o filmeco da joelma por causa das declarações dela. Isto só mostra o quanto diante do público todo mundo quer parecer santo a qualquer custo.

    E outra, acho ridículo esse povo como a Ana, querer dar uma de neutro e dizer nas entre lnhas, ou as vezes na cara mesmo que esse lance de levantar bandeira, de bater na tecla dos direitos dos homos já deu o que tinha que dar e fazer dos héteros anjinhos que agora se sentem perseguidos pelo politicamente correto, e que tudo que vai contra gays é taxado de homofobia. Claro que não. A luta ainda é muito necessária e tudo o que já foi feito ainda não é o suficiente. Enquanto a população continuar não colaborando o mínimo e não deixar de ser tão preconceituosa é preciso fazer muito barulho para mudar a situação.
    Um exemplo prático disso é a corja maldita frequentadora do IG e do Yahoo que destila veneno nos comentários de tudo que é matéria sobre gays e diz já estarem cansados da evidência deles na mídia. E horas, o que dizer das novelas, séries e filmes que em 98% dos casos só fazem apologia ao "heterossexualismo" e mais, com cenas muito mais do que historinhas de amor. É mesmo para acabar essa hipocrisia toda.

    ResponderExcluir
  10. Talvez ela tenha cansada de ser vidraça, pois deve ser bem chato ser alvo de piadas de humoristas (tipo Pânico e CQC) e esse pessoal chato de stand up (que existem aos montes agora). Eles fazem todo tipo de paródia com ela e com as outras cantoras da MBP o tempo todo. Tudo bem que a Ana Carolina adota um visual masculinizado, então mesmo que não tivesse assumido na revista Veja anos atrás seria difícil fugir disso, mas independente de como seja a pessoa deveria haver respeito em primeiro lugar.
    O humor brasileiro aliás é baseado em bulling, toda piada é com mulher gostosa e burra (tratadas como puta), gay afetado, estrangeiros, pobres, nordestinos, negros, etc. Ninguém faz humor com pessoas consideradas "bem sucedidas" pela nossa sociedade chinfim. O preconceito está aí e todo mundo acha isso super engraçado.

    ResponderExcluir
  11. Desculpem minha ignorância mas o que seria uma "bicha gladiadora"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi só uma expressão que eu ouvi outro dia num episódio do "Porta dos Fundos".

      Excluir
  12. Somos políticos com a família, amigos e no trabalho. Enfim, a meu ver para convivermos em uma sociedade temos que ser políticos, dai....

    ResponderExcluir
  13. As pessoas tem direito de pensar como quiserem, aqui nao e a terra livre prometida, mas nao vivemos mais numa cultura ditatorial, ninguem e obrigado a aceitar se eu faço sexo anal ou se eu prego a castidade na igreja, o fato e que todos os movimentos existentes tem gente fanatica que acha que odiando o mundo conseguira respeito, eu nao to nem ai pro que ira acontecer na sociedade brasileira, a unica coisa que realmente deve ser levada em debate e a violencia contra o grupo contra gays e lesbicas e transsexuais, por que se nao tem violencia o odio e menor.
    Ninguem e realmente livre, leis sao necessarias pra quem faz o nao permitido, mas nao sei se algum homofobico vai jogar uma pedra so porque ela disse!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos, acho que seu ponto de vista está perto do equilíbrio. E espero que Tony não passe a defender radicalismos como "efeito Joelma para contras e neutros".

      O fato de hoje sermos uma sociedade mais tolerante quanto a questões étnicas, e onde o racismo é crime, não impede que continuem existindo pessoas racistas. A diferença é que elas não expressam isso, porque sabem das consequências.

      Com ou sem lei, homofóbicos vão continuar existindo. Nosso objetivo não precisa ser "converter" 100% das pessoas, mas simplesmente tentar fazer com que as leis avancem, de preferência da maneira mais moderada possível e batendo de frente com o menor número possível de pessoas (preferencialmente os líderes escrotos que conhecemos tão bem).

      Excluir
  14. Hoje tive uma tremenda surpresa quando li a declaração abaixo, de Paula Fernandes. Eu achava que ela era um fantoche, mas nas últimas semanas tenho lido coisas que me convenceram de que ela realmente tem personalidade.

    "E se o assunto é namoro, Paula aproveita para exaltar o mais badalado romance da música brasileira dos últimos tempos, o da também cantora Daniela Mercury, que assumiu sua relação homossexual. 'Ela é fantástica! O amor está aí. Não importa se é homem com homem ou mulher com mulher. O amor é um só. Tenho preconceito é com quem não se assume', decreta."

    http://odia.ig.com.br/diversao/2013-06-08/paula-fernandes-lanca-novo-projeto-as-vesperas-do-dia-dos-namorados.html

    ResponderExcluir
  15. Tony, agora é a vez de Elba Ramalho querer amenizar o que disse Joelma.


    "Elba Ramalho defende Joelma sobre episódio com gays: ‘Ela só emitiu sua opinião’"
    http://br.omg.yahoo.com/blogs/notas-omg/elba-ramalho-defende-joelma-sobre-epis%C3%B3dio-com-gays-125732682.html

    O problema está justa mente nesse "só emitiu a opinião". Qualquer pessoa tem que tomar cuidado com sua opinião, principalmente quando ela ofende terceiros. E pessoas públicas tem obrigação exatamente por serem públicas, de cuidar do que falam.
    Seguindo a lógica de Elba, eu posso dizer, por exemplo, que todo paraibano (como ela o é) é marginal, mas isso seria apenas uma opinião minha.

    ResponderExcluir