domingo, 2 de junho de 2013

MEU INÚTIL DEBATE

Sexta-feira eu escrevi um post sobre o "argumento bumerangue", e ontem mesmo eu tive a oportunidade de utilizá-lo. Foi em plena timeline do Facebook, na frente de milhares de pessoas. Uma senhora que eu nem conheço pessoalmente, mas que por alguma razão misteriosa é minha amiga de Face, postou que queria ver Daniela Mercury cantando contra a corrupção na Parada Gay, e que não seria lindo se esses três milhões de pessoas que ocupam a Paulista protestassem contra a falta de escolas, de hospitais, de comida? Primeiro eu pensei em relevar, mas meu sangue logo atingiu 300 graus centígrados e eu não resisti. Disse que ela estava dando munição aos homofóbicos, e que se ela realmente apoia a causa LGBT (ela jura que sim), então deveria conclamar todo mundo a seguir o exemplo dos gays e sair em passeata por tudo que está de errado no Brasil. Não colou: ela me chamou de "solidarifóbico", e que para ela era mais importante lutar pelos 95% da população que não são homossexuais. Respondi que isso era antidemocrático, pois numa democracia não existem prioridades porque TUDO é prioridade, e que 100% da população merecem todos os direitos. Aí entrou uma mais tapada ainda, e de nada adiantaram as brilhantes comaprações que eu fiz. A saber: reclamar que a parada gay não reivindica coisas mais urgentes é o mesmo que reclamar que uma passeata contra a fome não é também contra a violência. Uma luta não invalida a outra! E disse mais: vocês estão agindo como se não quisessem uma campanha contra o câncer de mama, porque afinal o corpo tem muitos outros órgãos que sofrem de muitas outras doenças. E que a posição delas denunciava uma homofobia latente. Para quê? Elas se ofenderam: afinal, ninguém gosta de ser chamado de homofóbico, nem o Bolsonaro. Isso lhes tapou os ouvidos e a pouca inteligência que ainda lhes restava. Portanto, nota para mim mesmo: no próximo debate, preciso evitar ao máximo de chamar o outro lado de homofóbico - mesmo que obviamente o seja. Senão a coisa não chega a lugar nenhum.

19 comentários:

  1. Tony é nosso muso inspirador! Lindo!

    ResponderExcluir
  2. É parecido com essas pessoas que chegam pra quem tem gatos ou cachorros e dizem: "por que você não adota uma criança?" sendo que o patrulhador não ajuda bicho, gente nem planta.
    Ora, esses que vêm falar em questões "mais importantes" que lutem! Geralmente esses chatos não lutam por nada, só enchem a paciência.

    ResponderExcluir
  3. Elementar, meu caro Watson, perdeu duas apoiadoras complicadas e talvez tenha alistado duas aplicadas detratoras da causa. Devia ter explicado que era operacionalmente inviável apoiar as outras causas, pois contam mais de seis milhões e só haveria três milhões de pessoas para fazer e carregar os cartazes.

    ResponderExcluir
  4. My Clitoris Is Known As Sphincter, Bitches!!2 de junho de 2013 04:56

    Da mesma forma que quem solta pum diz que no máximo solta um flato, mas jamais um pum, quando todos sabem que dá no mesmo. Homofóbicos que assim não se assumem são fáceis de identificar quer um exemplo? Pessoas que preferem não nos ouvir porque já introjetaram ao gay o rótulo de fútil e alienado, ou seja nem sequer se permitem nos ouvir porque já sacramentaram que tudo o que dizemos ou pensamos é bobagem, e tem mais: na cabecinha diminuta deles todo gay que não traz o estereótipo efeminado nunca jamais será gay de fato, no máximo 'Esse daí, gay? Nunca! Qualquer homem faz um gay ao longo da vida, normal...' essa gente me dá preguiça, explicar algo a eles mais ainda.

    ResponderExcluir
  5. Na Marcha pra jesus, quando passou um cara com um cartaz escrito: "deus não odeia os homossexuais, mas condena o homossexualismo", eu virei pros meus recém-feitos amigos católicos e completei: deus não odeia os negros, mas condena a negritude.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anastasia Beaverhausen2 de junho de 2013 10:36

      Por que esse pessoal insiste em dizer a Deus o que fazer?

      Excluir
    2. O dia em que Deus pedir direito de resposta a esses fundamentalistas que eu quero ver se sobra algum...

      Excluir
    3. Voces ainda acreditam em Deus? Que século é hoje? XIII?

      Excluir
  6. "Não deis aos cães as coisas santas, nem deiteis aos porcos as vossas pérolas, para que não suceda de que eles as pisem com os pés e que, voltando-se contra vós, vos dilacerem." — Bíblia, Novo Testamento, Livro de Mateus, Capítulo 7, versículo 6.

    ResponderExcluir
  7. Bom que existam pessoas como voce ,que sabem colocar as palavras certas no momento certo.
    Da minha parte,só posso agradece-lo,pessoas como voce engrandecem o tal"SER HUMANO".
    Quando crescer,quero escrever como voce.
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  8. Já que essas "senhouras" se indignam tanto com a corrupção crescente em nosso país, pq elas não tratam de organizar uma passeata contra? Pq brasileiro tem sempre essa mania de achar que uma outra pessoa tem de resolver seus problemas?

    ResponderExcluir
  9. O fato dos gays lutarem e protestarem pelo reconhecimento de seus direitos não impede as demais pessoas de lutarem e organizarem passeatas contra a corrupção! Mas a verdade é que o povo não quer sair da própria zona de conforto. Querem sempre que uma outra pessoa lute por eles!

    ResponderExcluir
  10. O preconceito envolve o espírito das pessoas em intensidades diferentes. Ainda que discussões sobre o tema sejam desgastantes, principalmente num "forum" como o Facebook, acho importante que aconteçam, pois só assim as pessoas podem elaborar e evoluir acerca do assunto. Tenha certeza que a senhorinha, sua oponente, não dormiu aquela noite ! Grande abraço da sua fã santixta

    ResponderExcluir
  11. Ótimo o desfecho do post, Tony. Tentei delicadamente explicar a uma amiga que ela teve um comportamento homofóbico pontual em uma situação corriqueira. A partir desse momento não consegui mais desenvolver nenhum argumento com ela. "Nunca vou esquecer que você me chamou de homofóbica" tornou se a resposta pra qualquer discussão. Perdi a cliente. :-(

    ResponderExcluir
  12. Tony, é preciso ter muita paciência e não perder o bom humor. Nunca fui fã da Regina Casé, mas ela tem dado aula para qualquer militante com o seu programa Esquenta. Ela está lá, todo domingo, no horário mais disputado da TV aberta trazendo entre um figurino exótico e uma música tosca temas super importantes para a sociedade, inclusive a questão dos direitos LGBT, no programa que contou com a participação do Jean Willys. Ela engloba todas as minorias, defende direitos ignorados e aborda temas que poderiam ser pesados, mas são tratados com bom humor, inteligência e alto astral. Ela é a personalidade da mídia que mais contribui para a desconstrução do preconceito atualmente.

    ResponderExcluir
  13. ADORO jogar o bumerangue na cara das uós!!

    ResponderExcluir
  14. então quer dizer que as bixas batalham 17 anos para ter um evento ENORME, conseguir visibilidade e reivindicar direitos de uma maneira própria e peculiar, e porque duas senhorinhas querem pulverizar uma luta em favor de outras causas, que a gente tem que abaixar a cabeça? VÃO SE FUDER!!! SAIAM NA RUA E COMEÇEM A PASSEATA PELA SUA PRÓPRIA CAUSA!!!

    ResponderExcluir