sábado, 22 de junho de 2013

IGNORÂNCIA TEM CURA

Finalmente uma parada gay totalmente politizada, sem avacalhação nem ocorrências. Mas com humor, alegria, batucada e drag queens: aconteceu ontem à tarde em São Paulo e reuniu cerca de 10.000 pessoas. O pretexto, claro, foi a aprovação do tacanho projeto da "cura gay" pela CDH no meio da semana e no meio dos protestos que sacudiram o Brasil. Parece que até a grande imprensa acordou, pois li vários editoriais e colunas contrários nos principais jornais e revistas. Sei não, mas desconfio que o Infeliciano tenha martelado o último prego de seu caixão político. Foi de uma inabilidade rara aprovar a proposta justo agora, achando que ninguém estaria prestando atenção. A reação está aí: militantes pedindo aposentadoria por invalidez, listas com nomes e fotos dos deputados que votaram a favor circulando nas redes sociais e remédios como "Dipiroca" e "Omipramim" completando a desmoralização do movimento "pró-família". Está mais do que na hora dos evangélicos perceberem que esta não só é uma causa perdida, mas que também prejudica, antes de mais ninguém, a ele mesmos. Fica evidente o quanto são alienados quando focam energias para perseguir os homossexuais, ainda mais no momento em que o país acordou para seus reais problemas. Agora precisamos explicar aos leigos inocentes a violência que é a tal da "cura gay". Tá cheio de comentário na internet de gente ignorante dizendo que "um gay tem direito de procurar um psiquiatra se quiser deixar de sê-lo" ou que "não sei do que estão reclamando, a cura não será compulsória" (mas claro que este seria o próximo passo da bancada fundamentalista). Tem chão pela frente.

21 comentários:

  1. Pensei a mesma coisa. Antes tinha muita gente (hetero) que nem estava ligando tanto assim para isso, mas graças à infelicidade do momento que ele escolheu para aprovar aquele lixo, agora o projeto foi elevado ao status da pec 37 e das outras coisas contra as quais estão protestando. Mas para isso dar certo temos que ir para a rua junto, com os cartazes de "meu c* é laico" e afins. Não dá para perder a oportunidade, tem que resolver tudo de uma vez.

    ivan

    ResponderExcluir
  2. Eu estou adorando tudo o que está acontecendo Tony! Estou adorando tudo! Estamos definitivamente lavando toda a roupa suja em praça pública. Todo mundo tem algo a dizer, todo mundo tem um protesto o país está vivo! É impressionante como gente burra do tipo do Feliciano tem talento para dar tiro no próprio pé.
    Olha essa galera aí do vídeo está de parabéns! O humor crítico é a melhor ferramenta para transmitir uma mensagem. Ri muito com os cartazes e com a criatividade do pessoal.

    "Feliciano, cuida do seu rabo que eu cuido do meu". kkkkkkkkkk
    Rachei de ri!

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho certeza de que sou centrista, e o que eu vou falar nao é a questao da pec 37, a questao é, o estado nao tem direito no meu corpo, afinal de contas ele e meu, tampouco na minha mente, as pessoas tem que ser livre e fazer o que tem vontade, e inegavel a podridao de quem rege aquele lugar, mas é brasil né, o pais da Cleycianne, e do deputado Andreia Verao(esse real).

    ResponderExcluir
  4. Concordo com Ivan outra oportunidade dessas sabe-se lá quando...Joga tudo nesse grande liquidificador da cidadania e que o gigante não adormeça nunca mais! Nunca pensei que se pudesse retroceder tanto quanto dias atuais, tava mesmo passando da hora de alguém vomitar esse monte de baboseiras que vinham fazendo a gente engolir.

    ResponderExcluir
  5. Uma coisa que não ouço as pessoas comentarem, é a falsa esperança que essa cura gay pode dar às pessoas que são atormentadas com sua própria sexualidade. Se sair do armário já é um processo doloroso para muitos, dar essa falsa esperança vai multiplicar esse tormento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas é justamente por isto que somos contra. Os fundamentalistas querem aval científico para seus preconceitos, para pressionar ainda mais os coitados que eles mesmos atormentam. Jovens homossexuais que foram convencidos de serem pecadores e doentes, e para quem a "cura gay" só vai trazer mais sofrimento.

      Temos que mostrar para essa garotada que ser gay não é doença nem problema mental. Que dá muito bem para ser plenamente feliz sendo homossexual e que ninguém manda na sua sexualidade, nem Deus.

      Excluir
  6. Certo. Acho que os mais prejudicados não são os gays assumidos, esses sabem que nasceram gays e serão gays até o último dia de suas vidas. Sem dizer que isso equipara o Brasil a países de quarto mundo. Quem tem a pretensão de flertar com o primeiro mundo não pode ter esse tipo de mentalidade.

    ResponderExcluir

  7. O projeto não é apenas mais infelicidade para os jovens. Ele passa a ideia de que a homossexualidade é errada, ruim, e isso acaba aumentando o preconceito e violência contra todo mundo. Se ser gay é mesmo uma monstruosidade como quer o pastor, tacar lâmpadas na nossa cabeça, por exemplo, já não parece tão errado assim.

    Mas o pior de tudo mesmo nem é isso: é o precedente que se cria ao permitir que a religião se sobreponha ao conhecimento científico. Isso é medieval, só os países mais atrasados do mundo iriam numa direção assim tão equivocada. Gente, a cura gay é contra uma recomendação da OMS, precisa dizer mais?

    ivan

    ResponderExcluir
  8. O que mais me admira é que são duas mulheres, psicólogas, Rozângela Alves Justino (que parece que já foi cassada) e Marisa Lobo, que vieram a público propor essa cura. Fico imaginando uma mulher com um marmanjo no consultório, tentando fazer o sujeito se convencer de que mulher é "bicho bão".

    ResponderExcluir
  9. Olá! Você conseguiria o link do vídeo para que eu pudesse fazer o download e utilizar em um seminário da faculdade? Obrigado ;D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este é o link da matéria do UOL onde está o vídeo:

      http://mais.uol.com.br/view/1575mnadmj5c/com-pauta-unica-4000-protestam-contra-cura-gay-em-sp-04020E99396AD8A94326?types=A&

      Excluir
  10. Estamos numa situação complicada: se não botarmos a boca no trombone, pode ser que esse projeto infeliz passe e seja aprovado.
    Mas, ao mesmo tempo, quanto mais fazemos alarde e quanto mais falamos do Felicity, mais famoso ele fica e infelizmente mais votos ele terá nas próximas eleições.

    Ele é muito ladino, temos de ter muito cuidado com ele. Assim como os nazistas usaram os judeus de bode expiatório, os gays são a bola da vez.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, mas infelizmente a reeleição dele já tá garantida, o melhor a fazer agora é protestar.

      Excluir
    2. Perguntar não ofende: como uma petista convicta se sentiu ao ver Lula fazendo aliança com Sarney e Collor?

      Excluir
  11. Shirley Love - Petista Convicta23 de junho de 2013 22:55

    Só digo uma coisa, menin@s: o PT apoia vcs.

    A estrela vermelha do PT abraça todos vcs com seus cinco braços.

    Um grande abraço.

    Shirley <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O PT também acolheu o PSC com seus cinco braços, e abriu mão da presidência da CDH. Que puta apoio, hein?

      Excluir
    2. Shirley Love - Petista Convicta24 de junho de 2013 02:13

      Faz parte do jogo político.


      Por trás dos panos, somos só amor à causa <3

      BJOKS

      Shirley <3

      Excluir
  12. O mio babbino caro
    O Infelicianus não vai aguentar a esse achincalhamento e arrastar todos evangélicos para essa ridicularização. Portanto acredito que se confirma que o humor é nossa melhor arma contra esses indivíduos, por outro lado, que eu saiba não há nenhum impedimento de se levar esse humor às paradas. Acredito que nossa Anita Bryant, vá resistir bem menos. Estive lá e me diverti muito com os cartazes inteligentes e despudorados.

    ResponderExcluir
  13. No final das contas pouco importa se o projeto for aprovado ou não. Com certeza será barrado no futuro em alguma instância. Como disse um cientista político no Jornal da Cultura, Feliciano está é mesmo jogando para sua plateia conservadora e religiosa, e não será surpresa se for reeleito com muito mais votos do que teve na última eleição. Em política, muitas vezes vale mais a visibilidade do que a ação. Precisamos urgentemente de uma reforma política.

    ResponderExcluir