quarta-feira, 12 de junho de 2013

CASAIS IMAGINÁRIOS

Taí uma ideia digna de ser copiada no resto do mundo. O fotógrafo francês Olivier Ciappa abre amanhã, em Paris, uma exposição de fotos de casais do mesmo sexo - só que de mentirinha. Todos os modelos são celebridades heterossexuais que, evidentemente, apoiam os direitos igualitários. Para promover o evento, Ciappa postou o cartaz acima no Facebook, mostrando os nadadores olímpicos Frédérick Bousquet e Florent Manaudou. Já tem milhares de compartilhamentos. É até comum que famosos se manifestem em prol da causa LGBT, mas não lembro de nenhum que tenha topado esse tipo de brincadeira. Allez les garçons!

Mas a França é mesmo um país curioso. Apesar do casamento gay ter sido aprovado por larga margem no Parlamento, a homofobia continua fazendo vítimas fatais. A última foi um jovem militante espancado por skinheads, num caso que gerou uma comoção nacional. Apesar disto, coisinhas miúdas ainda ferem as sensibilidades reacionárias. O poster ao lado, do filme "L'Inconnu du Lac", foi censurado nas cidades de Saint-Cloud e Versailles, em plena banlieue parisiense. Deve ser estranho viver num lugar assim, onde uma certa liberalidade convive (mal) com o pensamento mais atrasado.

15 comentários:

  1. Tony Goes e Fernando Haddad.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vale, os dois têm que ser héteros.

      Excluir
    2. Héteros até onde nós sabemos né, vai que alguns dos que foram fotografados são do babado e ainda estão escondidos? Como o caso do Sam Harris (acho que esse o nome dele) que era o personagem do Will&Grace, ninguém sabia dele. kkkkkkkk

      Excluir
    3. Tony, Haddad é hétero, que eu saiba, tu é o que quisermos que seja! ;-)

      Excluir
    4. ahahahahahahha Aécio Neves e Eduardo Campos de "tanga brasileña" tomando uns bons drinks! Ou até da pra imaginar Lula com charuto aceso bancando o daddy do Feliciano!

      Excluir
  2. Tony,

    O Clement Méric nao morreu por motivos (diretamente) relacionados à homofobia. Ele e seus amigos da extrema-esquerda estavam num apartamento onde acontecia uma liquidaçao "privée" da Fred Perry (marca que tem a graça de ser preferida tanto pela extrema-direita como pela extrela-esquerda, olha que fofo!), entrou uma galera da extrema-direita, eles resolveram seguir para rua para sair no braço e deu no que deu. Com essa morte, o governo começou a falar seriamente na dissolucao dos grupos de extrema-direita, que voltaram à midia desde as manifestaçoes da direita contra o casamento.

    Mais do que so um pais curioso, acho que a França é um pais que adora se definir por exceçoes - e que defende isso até o fim, com argumentos muito bem construidos e logicos. Politica é algo ainda levado muito à sério, o comportamento tipo "foda-se, nao tenho opiniao sobre isso" é bem raro, o que leva a uma construcao de posicao politica sempre muito forte e contestadora.

    Sinceramente, nao acho a França mais homofobica do que uma Alemanha ou Reino Unido. A diferença esta no fato que a direita daqui acredita mais que fazendo barulho eles barram alguma coisa. :)

    Abraços,
    Fernando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, eu não sabia dos detalhes da venda privée. Mas claro que teve homofobia nessa briga, não?

      A França tem essa coisa de territórios bem delimitados, o que não deixa de ser uma vantagem. Os homofóbicos não dizem que não o são.

      Já no Brasil...

      Excluir
    2. Tony,

      Pelo que rolou na imprensa escrita daqui, nao. O cara nao era gay, as extremas daqui tem o habito de sair na porrada quando se encontram e o Clement deu o azar de tentar trocar uns socos com um cara que tinha um soco inglês, bateu com a cabeça e caiu em coma. Se tivesse qualquer suspeita de homofobia direta, tenho certeza absoluta que seria amplamente divulgado (a imprensa é na maior parte pro causas gay).

      Fer

      Excluir
    3. Clément Émeric nem era gay? Curioso, tudo o que eu li a respeito (principalmente no site americano Towleroad) dava aentender que sim.

      Morte aos radicais!

      Excluir
  3. C'est la banlieue, n'est-ce pas?

    ResponderExcluir
  4. E aqui em Berlim ontem tava rolando manifestação punk-anti-facista na Parisier Platz. Mas todo dia 1º de maio rola porrada entre neonazis e anarcopunks. Mas no geral, em berlim, não vejo gays com medo de dar pinta em público. Em Paris a coisa já não é bem assim.

    ResponderExcluir
  5. A impressão que dá é que é possível dois casais de homos andarem livres e sossegados nestes Países, mas pelo que vejo aqui não é bem assim!!! É aquilo cuidado em todos os lugares do Mundo, e tem aqueles lugares impossíveis de se conhecer juntos, muita tensão nervosa tô fora!!!

    ResponderExcluir
  6. E o nome do nadador francês é Florent Manadou.

    ResponderExcluir