sexta-feira, 21 de junho de 2013

AUX ARMES, CITOYENS!

Fui contra o vandalismo desde o primeiro dia, quando ainda era "in" defender algum tipo de quebra-quebra. Marchei pelas Diretas Já em 1984, marchei com os caras-pintadas em 1992, e nunca ninguém quebrou nada. Ah, e adivinha? Ganhamos! Não, não consertamos o Brasil de uma vez por todas, e agora também não consertaremos. Mas dizer que um pouco de violência é até saudável vai contra tudo o que eu penso (descontadas algumas bravatas aqui no blog, rs).

Dito isto, foi com um misto de terror e fascinação que assisti à quase tomada do Itamaraty ontem à noite. A turba ensandecida jogava pedras e até coquetéis molotov, chegando a atear fogo numa das colunas. O alvo não era o palácio em si, por mais que a política externa brasileira seja para lá de questionável. A malta simplesmente não conseguiu se aproximar do Congresso ou do Planalto. Fiquei até com pena do punhado de PMs que precisou repelir o ataque, em enorme desvantagem numérica. Deu um puta medo de que aquilo virasse uma merda a nível literalmente federal, com a polícia matando gente em plena Esplanada dos Ministérios. Parecia que a queda da Bastilha estava sendo transmitida ao vivo.

No que tudo isto vai dar, claro que ninguém sabe. Apesar da paranoia dos petistas, que gritam "golpe" cada vez que alguém se manifesta contra o partido, acho remotíssima a possibilidade de uma intervenção militar. Não há o menor clima para isto, apesar de já ter página no Facebook incitando os milicos. Tenho mais medo de um auto-golpe à la Fujimori, com toque de recolher e suspensão dos direitos individuais. Pelo menos os cleptocratas da FIFA já estão apavorados.

E será que essas manifestações todas vão resultar em alguma coisa? Pela minha experiência anterior, vão. Alguma. Será que le jour de gloire est arrivé? Ainda não. Mas o clima político no país mudou. Pena que este não seja ano de eleições.

25 comentários:

  1. Boa tarde, amigo Tony Goes. Navegando pela web me deparei com seu blog. Meu nome é Markin Lima (facebook) e atuo com webdesign. Gostei muito do seu conteúdo e quero propor uma atualizada em seu layout de blog. Acredito que deixá-lo mais limpo seria o ideal para atrair mais leitores. Me encaminha e-mail ou me adiciona aos teus amigos de facebook. Será um prazer conversarmos por lá. Ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  2. Parece a revolta do vintém do final do império. Parecia que era sobre 20 contos de réis, mas já era uma insatisfação com o império

    ResponderExcluir
  3. De toda forma o que está acontecendo agora muda completamente o jogo de forças para eleição de 2014. Dilma vai evidentemente mais enfraquecida, mas ainda assim sai com vantagem. Ela tem a caneta. Impossível ainda é dizer quem vai capitanear os votos de tantos descontentes. Se Marina não fosse evangélica, talvez seu único defeito, conseguiria facilmente colher os louros do povo nas ruas. De toda forma é alguém em quem se deve prestar atenção, sobretudo se conseguir fundar o tal do Rede. Eduardo Campos, coitado, por mais que tente manter uma distância saudável do governo, ou seja, nem tão longe que não possa voltar para o colo, nem tão perto que não possa a qualquer momento abandonar o barco definitivamente, não parece ter o carisma necessário. O considero fogo de palha. Aécio Neves, apesar de ser o meu preferido, está num partidão desses que a garotada não faz a menor questão. Diga com quem andas. Sendo assim faço uma aposta: um novo nome que até então não era nem cogitado vai aparecer com força muito em breve. Vai levar a eleição para o segundo turno, consagrando Marina definitivamente como uma líder importante do país, humilhando Eduardo Campos e Aécio, para finalmente vencer Dilma por uma margem pequena de votos. Não tão pequena quanto a margem que elegeu Maduro. Por fim petistas e simpatizantes vomitarão bobagens e teorias conspiratórias. E o barco vai seguir o rumo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. aprendiz de ricardo noblat. dilma é a pessoa errada no cargo errado. aécio é o cara certo no tempo errado, é o cara errado. campos é o cara errado simplesmete. marina é a pessoa certa sem partido. resumo do ópera? estamos na merda!

      Excluir
    2. marina evangélica deus me livre ,já é radical e evangélica não !!!! só se for em SP para eleger uma evangélica .
      ela é muito esquisita estive com ela uma vez, prefiro a HELOISA HELENA.

      Excluir
    3. Heloisa Helena, que foi contra a modernização dos aeroportos por que "povo não anda de avião"? Faz-me rir.

      Excluir
  4. Pena que este nao é ano de eleiçao?? As ruas de SP mostraram o quanto esse país é conservador e fincado na direita. Um grupo de protestos que lutava pela melhoria de transportes públicos é tomado por uma galera pedindo o impeachment da Dilma, e outros pedindo o fim dos partidos? O que eles vão pedir depois? A volta da ditadura?

    ResponderExcluir
  5. Acho até que demorou pro povo ir pra rua. Trabalhar 5 meses do ano só pra pagar impostos e em troca ter que escolher entre morrer numa fila do SUS ou do INSS é foda!

    ResponderExcluir
  6. Acho que existe um engano aí. As passeatas estão falando em saude e educação além do genérico contra corrupção. A pauta de meio termo não existe. Direita não é la muito simpática a esses benefícios. A coisa vai para a esquerda.

    ResponderExcluir
  7. ESSE POST FOI PISICOGRAFADO POR MIM...
    ONTEM MORRI DE MEDO E ORGASMO...
    FIZ UM BRIGADEIRO... E DEVOREI COM MUITA FOME!

    ResponderExcluir
  8. Lallyta Bitch, Muáhh!21 de junho de 2013 20:54

    2014 não será o mesmo de forma alguma! Gente mal-acostumada às benesses petistas devem estar bem assustaditos, ui ui... Adoro o pânico desses ratos presos no bueiro que eles próprios contruíram, aos demais, leia-se povo trabalhador vale o 'quem não deve não teme', afinal com mais de 50 tributos e retorno zero, eles não tem mais nada a perder mesmo porque há muito já não tem NADA! Já tinha dito lá em casa que essa copa era uma bomba jogada por Lula direto no colo da Dilma, ou seja vai explodir com ela, seu mandato 'fatiado' com gente hedionda e mais as crises que virão quando faltar hotel, aeroporto decente e transporte adequado, tudo que não temos.

    ResponderExcluir
  9. Shirley Love - Petista Convicta21 de junho de 2013 22:30

    Francês??

    Q démodé (escrevi certo? kkkk).

    Tony, p/ vc: http://www.pragmatismopolitico.com.br/2012/10/joaquim-barbosa-voto-lula-dilma.html

    Bjo profundo

    ResponderExcluir
  10. Enquanto analisarmos o que está em curso sob uma ótima petista ou tucana, estaremos fadados a quebrar a cara. Por isso sugiro tentarmos compreender o Brasil das ruas olhando para o passado.

    O Brasil de hoje é resultado de dois períodos:

    1) a miséria econômica e social que vai da Ditadura Militar (1964-1985) até a era Collor, em 1992;

    2) duas décadas de petistas e tucanos no poder -- e incluo aqui o período Itamar porque a política econômica atual começou ainda no goveno dele.

    Será que se a estabilidade econômica associada a distribuição de renda não tivesse ocorrido ao longo das duas últimas décadas estariamos vivendo o "acordar do Gigante"?

    É claro que nunca vimos tanta corrupção como agora. Afinal, nunca estivemos tão ricos, economicamente falando, enquanto nação. Mas quando é que o Brasil não foi um país corrupto? Da chegada dos portugueses até os dias de hoje este é um mal que nunca largamos. Uma espécie de herança maldita que, sejamos francos, ao longo das últimas duas décadas pouco foi feito para que isso mudasse -- em parte por conveniência, em parte por necessidade.

    A grande questão é: ideologias partidarias à parte, o que estamos vivendo é culpa ou resultado do Brasil de Dilma/Lula/FHC?

    Pense num país sem as políticas econômicas e sociais implantadas por esses governos? Agora pense nos saques e nas depredações de um grupo -- minoritário, é importante dizer -- e ensandecido, versus a massa de pessoas nas grandes avenidas gritando frases de efeito e com cartazes críticos e bem humorados em punho pedindo mais saúde, educação e contra a corrupção. Qual dos dois "Brasis" teríamos?

    Acredite, o saldo é positivo. O que não nos impede de querer mais. Ao contrário. A hora é de exigir as reformas necessárias -- política e tributária principalmente -- uma justiça eficiente, que leve em conta a realidade do país e não apenas a interpetação do que está no papel, e um legislativo atuante, capaz de aprovar reformas e ratificar os investimentos a que a nação reivindica, ao invés de colocálo no bolso.

    Não se engane: o que vemos nas ruas é política pura. E está longe de ser um movimento apartidário, como muitos acham bonito defender -- virou moda? Mesmo que você não carregue uma bandeira porque não quer ou porque não deixam (não vivemos em uma democracía?), as ideologias estão nas ruas.

    A hora é de construirmos um país com instituições fortes, no grito que seja! Do contrário ele estará fadado a fracassar. Por isso o debate político que querem calar é tão importante. Afinal, logo ali na frente, teremos que escolher qual caminho seguir: o número um ou o número dois.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quero casar com vc, Dan!!!!

      Excluir
    2. Gostei! Vasques
      eu descreveria o período militar de outra forma
      até mesmo pq não se podia ter opinião naquela época
      e a questão da corrupção sempre foi algo que permeou os governos todos - inclusive do Getulio
      a diferença é que nunca foi tão divulgado e condenado, isso
      tudo sempre foi jogado pra debaixo do tapete e fazia parte das negociatas.
      E não seria tão derrotista quanto as instituições, sim elas tem que se construir fortes, mas isso só será realizada com a maturidade da nosso democracia. As instituições não evoluem na mesma velocidade que a sociedade
      Digo que esse é o primeiro passo. Talvez o Gigante tenha Acordado - mas muitos ainda não abriram os olhos para ver a realidade e gritam - mas gritar já é uma grande evolução como o primeiro choro do nascer...
      Esse é um bom debate. Bjs

      Excluir
  11. Tony,
    Eu senti uma vibe totalmente Maria Antonieta com a turma de Brasília. Só faltou o Niemeyer ter construído um balcão, para que a Dilma pudesse aparecer e se oferecer em sacrífico a turba ensandecida. rsrs

    ResponderExcluir
  12. Apesar do movimento inicial ser de esquerda, os sinais de sexta são muito claros. Basta lembrar um pouco de História. No mesmo 1992 em que os caras-pintadas "ajudavam" a acabar com o Collor, São Paulo elegeu Paulo Maluf para suceder Erundina na prefeitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O movimento contra Collor não nasceu da esquerda. Nasceu da indignação geral depois que foi denunciado seu esquema de corrupção. Muita gente que votou em Collor aderiu rapidamente.

      Foi até bastante apartidário - ou talvez possamos dizer que TODOS os partidos estavam contra o nanico PMN de Collor.

      E, naquela época, muita gente ainda acreditava que Maluf era um político honesto. São Paulo tem um enorme eleitorado conservador.

      Só para constar: votei nulo no segundo turno de 89 (nem Lula, nem Collor), e no Fábio Feldmann para prefeito de SP em 92.

      Excluir
    2. moro aqui no plano piloto perto de onde acontecia aquela revolução ,devo dizer que tive muito medo pois infelizmente a situação estava totalmente fora de controle!! o protesto é válido ,mas a violência não , a policia brasileira não esta preparada pra nada quanto mais conter milhares de pessoas ;e a Dilma em baixo da cama no palácio da alvorada QUE SITUAÇÃO .

      Excluir
    3. Exatamente por isso coloquei "ajudavam" entre aspas. O que desejo expressar observando, principalmente via Facebook e Twitter, é que o pessoal mais a esquerda que era o mais ativo em relação ao movimento em São Paulo entrou quase em silêncio retumbante com o direcionamento do movimento na sexta. Muitos simplesmente deixaram de falar no assunto. Agora pipocam posts de pessoas, digamos, conservadoras ou de centro com seus "sem partido!" ou "Fora Dilma!". Como você mesmo disse, Tony, São Paulo tinha e ainda tem um enorme eleitorado conservador. A verdade é, eu acredito que no fundo esse movimento pode não ser partidário, porém ele mostra dois pesos ideológicos bem distintos. Diria até que um dos lados com elementos mais preocupantes. Mas é do jogo e os nomes políticos conhecidos podem implodir. Começo a achar que se o Joaquim Barbosa se candidatar.....

      Excluir
  13. Uma pena que o Itamaraty tenha pagado o pato. Não tinha nada a ver com a história! E justamente no prédio que há mais belas obras de arte... Qualquer outro prédio seria preferível, o palácio da Justiça, o ministério da Justiça!! (pensem: justiça! será que não tem nada a ver??) Mas ninguém parece ter entendido ainda a conexão entre uma coisa e outra...

    ResponderExcluir
  14. Mas ficar calculando quem ou qual partido vai sair ganhando com esse movimento é bem inoportuno!
    A coisa mal começou. Vale mais torcer para que o ímpeto não se perca. Vale mais a lição de que as pessoas estão contra TODOS os partidos. Foi ficando muito claro com o tempo que TODOS eles são corruptos... Portanto... as águas desse movimento não vão desaguar em nenhum P da vida...

    ResponderExcluir
  15. A revolta de tanta coisa entalada na garganta uma delas é isto aqui sustentamos tudo isto, sou contra totalmente o vandalismo, por pouco não invadiram o Itamaraty seria um estrago tremendo, a parte física não tem nada haver com os desmandos, e sim os que estão no poder e estão de costas para o povo literalmente!!!

    http://colunaesplanada.blogosfera.uol.com.br/2013/06/20/internauta-lanca-site-com-nomes-e-salarios-de-servidores-do-senado/

    ResponderExcluir