quarta-feira, 29 de maio de 2013

SEM IDENTIDADE

"Sem Proteção" parece nome de filme sobre os perigos da AIDS, o que aliás cairia muito bem nessa Semana da Diversidade Sexual. Mas a história na verdade é sobre um assunto pouco discutido no Brasil: os grupos radicais que cometeram atentados terroristas nos Estados Unidos no final dos anos 60, numa tentativa descabelada de acabar com a guerra do Vietnam. Pois é, não foi só na América Latina que teve luta armada. Alguns remanescentes dessa época jamais foram presos, e devem estar vivendo sob identidades falsas há cerca de 40 anos. É um assunto interessante para o cinema - só que, neste caso, foi bem mal explorado. Robert Redford chamou uma dúzia de atores conhecidos, de seu ex-sósia Nick Nolte (que agora parece um urso polar empalhado) ao ex-feiosinho Shia LaBeouf (que ficou realmente interessante de cabelo curto e óculos). Mas o roteiro tem muitos pontos mortos, e em nenhum momento o espectador torce para que aqueles criminosos de bom coração sejam presos ou não. "Sem Proteção" talvez seja ainda pior que um filme simplesmente ruim, porque provoca indiferença.

4 comentários:

  1. Eu lamentei muito foi o efeito da plástica da Julie Christie, que ainda estava muito bonita em Longe Dela (de 2006) e agora parece que foi mordida no lábio por uma abelha africana.

    ResponderExcluir
  2. Tony você já viu a entrevista com a atriz mirim adotada pelo tio gay?

    http://mais.uol.com.br/view/1575mnadmj5c/atriz-chora-com-programa-de-radio-que-criticou-tio-gay-04020E1C3462DCA14326?types=A

    Eu achei um soco no estomago, a mensagem é fortíssima...precisa ser over reacionário pra ouvir essa criança e seguir imune.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já tinha lido a respeito, ainda não tinha visto a entrevista da Ana Karolina Lannes (a Ágata de "Avendia Brasil").

      Puta sacanagem, a desse radialista. O único problema enfrentado por filhos de pais gays é este: a tacanhice e a ignorância dessas pessoas.

      Excluir
  3. Tony é o típico crítico de cinema, não gosta de nada ou quase nada mas não perde a esperança.

    ResponderExcluir