quinta-feira, 2 de maio de 2013

PROGRAMA DE FIDELIDADE

Um comentário no post logo abaixo perguntou se a fidelidade é possível num relacionamento homossexual. Possível eu acho que é, mas será que ela é mesmo necessária? Antes que me chamem de promíscuo ou pervertido, gostaria de lembrar que a fidelidade conjugal é um conceito machista, criado para controlar as mulheres e determinar com o maior grau de certeza possível quem é o pai da criança. Homens não engravidam, então esse valor patriarcal parece meio sem sentido quando aplicado entre os gays. Por outro lado, a fidelidade é valorizadíssima na nossa sociedade, seja a um cliente, a um empregador ou à pessoa amada. Mas também acho que não existe uma regra universal, válida para todos os casos. Cada casal precisa chegar num acordo e traçar os próprios limites. E você, o quê acha? O que é ser fiel para você?

32 comentários:

  1. Acho que a lealdade é o que vale. A menos que o relacionamento seja oficialmente aberto, umas escapadas bem feitas e discretas não atrapalham, só ajudam. Faz mas faz bem feito, como diria Kelly Key, sábia e lindona. O problema é quando a traição vira arma ou moeda de troca, mas aí são outros quinhentos.

    ResponderExcluir
  2. Fidelidade é uma coisa. Monogamia é outra. Ser fiel é ser capaz de atender àquilo que foi combinado de comum acordo. Ser monogâmico é ter somente um parceiro sexual. De preferência, neste caso, o marido ;D

    Casais adultos devem ser livres para combinar o arranjo que melhor ateanda às necessidades dos dois naquela relação. Em outra relação, as mesmas pessoas podem decidir por arranjos diferentes dos anteriores.

    Interessante como as pessoas parecem gostar de se medir por réguas vindas sabe-se lá de onde e abdicam de, supostamente adultos, definir suas próprias normas de conduta e, desejando, segui-las - e nisso assumindo vantagens e responsabilidades.

    ResponderExcluir
  3. o importante não é fidelidade, e sim lealdade. não é você ser o único, mas estar em primeiro lugar, ser a prioridade, merecer um cuidado especial, ser respeitado sempre. se o moço é cheio de amor pra dar e fogo no corpo, e mesmo depois de manter o casamento tinindo, ainda sobrar um pouco de energia, não vejo mal em ele dar um destino útil a esse excedente. desde que sejam observadas algumas poucas regrinhas de bom senso e respeito, como um não expor o outro socialmente, nem colocar em risco a sua saúde.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tava gostando do seu comentário, mas a frase "como um não expor o outro socialmente" estragou tudo. O que é expor socialmente? MAnter a hipocrisia de uma sociedade hipócrita, em que só relações monogâmicas são aceitáveis?

      Excluir
  4. A fidelidade que quero em meus relacionamentos é a fidelidade afetiva e sexual, um relacionamento monogâmico mesmo. Espero encontrar alguém com o mesmo pensamento.

    Acho que essa é uma questão muito íntima e que deve ser discutida pelo casal. Acho plenamente válido um relacionamento aberto, vejo fidelidade ali também. Se os parceiros não exigem exclusividade sexual e estão bem com isso, quem sou eu pra falar alguma coisa? Sejam felizes.

    ResponderExcluir
  5. Todo mundo fala que o que importa é a lealdade, o carinho e tals, mas quando descobre que seu namorado/marido tava dando pra outro que nem um louco, quer matar o mundo.

    ResponderExcluir
  6. Como diria Caetano, nesse país todo mundo quer saber com quem você se deita.
    Que tal cada um cuidar do seu relacionamento? Afinal, só a própria pessoa para dizer o que acha certo. E nós gays sabemos disso...
    Woof!

    ResponderExcluir
  7. Pra mim é essencial a monogamia. Ainda mais com o tanto de doenças nos rondando. Não vejo muito sentido em ter um relacionamento estável se há envolvimento e sexo com terceiros. Melhor ser amigos que transam. Não condeno quem o faça, mas é que pra mim não funciona, quando me apaixonei mesmo, de verdade, só tinha olhos, cabeça, corpo e tesão pro the one

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o que eu penso. Se quer festa que fique solteiro.

      Excluir
    2. vai peter pans voem....

      Excluir
    3. Nossa! Daqui a pouco vai ter mais mulheres que gays lendo o blog, Tony. Pelo menos as sonhadoras...

      Excluir
  8. Pra mim, a fidelidade entre o casal é um acordo. Acho que, no fundo, ninguém é naturalmente monogâmico. Vc pode muito amar uma pessoa e ir pra cama com outra. É puramente físico, instinto. Já tive relacionamentos abertos, mas acho que só funciona se houver cumplicidade total entre o casal e se o sexo for muito bom somente entre eles, sem terceiros, apenas colocando outra(s) pessoa(s) para diversão.

    ResponderExcluir
  9. acho difícil, mas não impossível, achar um homem que nunca tenha traído, seja hetero, seja gay. sei lá quem instituiu que sexo é sexo, amor é amor; devia ser irmão do que inventou 'o lavou tá novo', ou 'o que os olhos não vêem o coração não sente'.
    sendo assim, acho que traição é mais uma das hipocrisias do mundo, acho até um mal necessário: imagina se cada um terminasse um relacionamento pq numa viagem bateu aquele tesão do proibido de transar com alguém que deu mole?
    mas não acredito em relacionamento aberto, acho feio, acho que se o casal precisa de muitos, vários( ou de viver a tres, como existem por aí)é pq o amor acabou e ficou apenas o companheirismo ou pior apenas o medo de ficar só. acho que um dos ingredientes do relacionamento estável é a sensação de posse. o lance do MEU namorado, MEU companheiro, MEU amor. o resto, como diz um amigo, meu, é lanchinho.

    ResponderExcluir
  10. se eu pegar meu macho se pegando com outro... arrebento os "iscorrrniuss" de todo mundo... !!!!!!!

    ResponderExcluir
  11. Cada casal tem que determinar seus limites. Acho uma bobagem esse puritanismo de gente que diz que não admite traição. Quase todo mundo trai, e quem não trai acaba entediando o parceiro que vai traí-lo na primeira oportunidade e na moita.
    Gay que não flexibiliza o relacionamento acaba sozinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Roberto, concordo totalmente contigo querido! Se quiser flexibilizar comigo, estamos aí! Beijos

      Excluir
    2. "Gay que não flexibiliza o relacionamento acaba sozinho."

      Ou: Gay que não aceita migalhas num relacionamento acaba sozinho.

      - Lucas

      Excluir
    3. Lucas, deixo o tempo ensinar a vc de que não se tratam de migalhas quando estamos de falando de duas pessoas que sabem que o relacionamento não se resume somente ao sexo. O relacionamento está na cabeça e no prazer de estar junto e fazer coisas juntos.
      Se vc observar TODOS os casais gays juntos há mais de 5 anos, vc vai notar exatamente o que eu disse sobre flexibilização.
      Claro que vc pode sonhar com um relacionamento em que não haverá traição, mas espera sentado pra não cansar.

      Excluir
  12. É meio fantasia achar que se livrar do estigma da traição melhora a relação, pois mesmo casais abertos, com supostos acordos e limites determinados, enfrentam crises e questões, algumas vezes a respeito de fidelidade e traição, por mais incrível que pareça. Quem tem ou já teve relação "aberta" sabe disso.

    Um dos "problemas" das relações parece estar na necessidade de segurança como forma de manter uma auto-estima (normalmente em baixa) minimamente estável.

    Isso desencadeia o medo. De não ter valor. De ser trocado. De ficar sozinho.

    Jogamos no parceiro que nos escolheu a responsabilidade em nos fazer sentir importantes. Daí, se ele olha pra outro, se ele sente algo também por outro, ativa essa nossa dependência e passamos a achar que não temos valor (mecanismo inconsciente).

    Quando alguém consegue dissociar essa dependência emocional do prazer de "ter" alguém na vida, talvez esteja vivendo mais puramente o amor, em vez de contaminá-lo de posse, medo e insegurança.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que profundo! :-)
      Acredito que seja bem isso também. O problema é que na "prática" os sentimentos de posse/amor não sejam tão facilmente dissociáveis.

      Excluir
  13. Obrigado, Tony! Me ajudou a clarear as idéias. Aliás, obrigado a todos que me ajudaram comentando aqui.

    ResponderExcluir
  14. Acho muito bacana a fala que cada um tem,inclusive a minha.Quero ver na hora que se descobre que o marido dá dando prá todo mundo.Nessa momento é que a gente ve,se a atitude acompanha a fala.
    Bem interessante esse tema,muito bom também ver a opinião alheia.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  15. vc e seu marido aprontam ( safadinhos) e estao juntos a 25 anos e uma historia linda juntos, o povo defende a monogamia mas troca de namorado a cada seis meses , um ano e viva la hipocrisia, as pessoas falam o que pensam, mas acabao agindo como sentem.

    ResponderExcluir
  16. Quem tem mais de dez anos de casamento, como eu, que opine.
    O essencial é o acordo entre o casal. No meu caso, tenho um relacionamento sexual aberto.
    So sexo, sem repeteco, sem compromisso, sem troca de telefone.
    Para nós, funciona.

    ResponderExcluir
  17. São tantos códigos, tantos combinados, tantos formatos e todos com apenas uma coisa em comum: LEALDADE. Escorregou e se arrependeu? RESILIÊNCIA.
    Mas o que o povo gosta mesmo é de ficar medindo a sua felicidade com a dos outros e de tentar provar - pateticamente - que o seu modus operandi é que funciona ( ? ). Sim, porque se não funcionar a culpa é exclusiva do cafajeste do ex. Bitch, please...

    ResponderExcluir
  18. A definição de fidelidade é bem complicada. Eu namoro há 2 anos e me considero fiel. Nunca transei com outras pessoas, isso nem passa pela minha cabeça. Mas teve 3 vezes em que fui em festas sem ele e acabei ficando com outras pessoas (só beijos). Foi uma coisa infantil, estava chateado com ele por alguma razão e esse foi meu jeito de externar minha birra. Mas não contei nada pra ele, por achar desnecessário. Até porque já teve outras tantas vezes em que fui a baladas sem ele e não fiz nada. Assim como já viajei sozinho 4x pros EUA a trabalho (sem ele) e não aprontei nada (mesmo podendo) e também já fiquei sozinho em casa por 1 mês enquanto ele viajava e tampouco aprontei. Pra mim, dar um beijo em alguém numa balada não é ser infiel (desde que seja uma coisa eventual, se for todo fim de semana aí é sim rs). Levar alguém pra cama é, ainda que seja um fast-foda. Penso assim

    ResponderExcluir
  19. Olá, fui casado com uma mulher durante quase 20 anos e nunca pensei que eu fosse gay. Quando confessei a ela que havia ficado com outras mulheres, ela me disse que também tinha ficado com um amigo. Detalhe: eu tinha essa fantasia de menage e ela nunca topava. Depois disso, decidi experimentar ficar com um cara e gostei. Ela descobriu e eu achei que a gente deveria se separar, embora ela não quisesse. Estou há mais de 7 anos casado com um homem e já fizemos menage e ele já ficou com outro cara, sem a minha presença, mas me avisou antes. Era uma fantasia minha. O problema é que ele não tem conversado sobre essas coisas comigo. Ando sentindo ciúmes e insegurança pois eu queria uma relação aberta mas ele parece estar querendo me excluir do processo. Ele também nunca concordou que eu ficasse com alguém sem ele estar presente. Então eu acho que ele está se envolvendo afetivamente por alguém e eu sofro de ciúmes por isso.

    ResponderExcluir
  20. Não sei o quê é ser fiel, mas lembro que os cientistas dizem que existe um gene para a fidelidade e que entre os mamíferos, somente 65 espécies possuem esse gene. O homo sapiens não é uma delas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembro dessa pesquisa e o homem realmente não constava entre as espécies "fiéis" ( monogâmicas, na verdade ). Aliás, se fosse, seria o único primata monogâmico.
      Até os cisnes, simbolos do amor eterno e que, de fato, costumam formar casais para a vida inteira, dão suas puladas de cerca. E regularmente, já que análises de DNA de um grande grupo na Austrália mostraram que 1 em cada 6 filhotes era resultado de uma aventura extracongugal.

      Excluir
  21. Só é corno quem é curioso demais. Fica a dica.

    ResponderExcluir
  22. Ai, gente, todo mundo falando em fidelidade e afins, mas NINGUÉM SE CASA, NÃO É MESMO??? Pq lutar por direitos e não se casar agora que pode em vários lugares do Brasil??? Alguém me explica???? Obrigado ok

    ResponderExcluir