domingo, 19 de maio de 2013

O CULTO DA PRINCESA

A princesa Isabel deu uma puta duma sorte. Passou para a história como "A Redentora", a grande responsável pela libertação dos escravos, como se a vida inteira tivesse lutado pela abolição. Existem até desenhos dela arrebentando correntes com as próprias mãos, como se fosse uma super-heroína. A verdade é bem mais prosaica: Isabel foi uma típica mulher de seu tempo, focada nas prendas do lar, desinteressada pela política e católica fervorosa. Provavelmente teria sido uma imperatriz fraca, facilmente manipulável e refratária aos avanços sociais. Um perfil revelador da princesa e seu marido, o conde d'Eu, é traçado pela historiadora Mary del Priore em seu novo e maravilhoso livro, "O Castelo de Papel". Isabel também teve outra grande sorte, a de ser feliz num casamento arranjado. Mas não subiu ao trono, e entre seus descendentes atuais estão os pavorosos príncipes do ramo de Vassouras, membros da TFP e extraordinariamente reacionários. Adoro uma monarquia, mas acho que o Brasil se livrou de boa a proclamar a república.

11 comentários:

  1. Sem contar que ela era uma MONSTRA de feia.
    O Conde d'Eu ou era gay, ou MUITO MACHO!!!

    ResponderExcluir
  2. Tony,

    De boa, mudando mais ou menos de assunto, é fato que a H magazine colocou na capa aquele ator que alguns anos atrás fez comentários racistas sobre a escolha da Miss Universo Leila Lopes(negra e uma das mais lindas da história do concurso). Sério? Não vou comprar esse mês não!
    Que tiro no pé de uma das melhores publicações dirigidas aos gays do Brasil! :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério? Não compre a revista então, seu chato. E vai reclamar no site da revista, não aqui.

      Excluir
  3. O pais com mais imigracao de escravos no mundo foi o ultimo a abolir a escravatura. O credito se da aos grandes americanos de decadas anteriores, ou para ser mais exato, muitos Britanicos de decadas ainda mais anteriores (a escravatura foi banida da Inglaterra muitos anos antes das colonias). Princesa Isabel so estava correndo atras de um feito ja aceito por toda a sociedade da epoca...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não seja ingênuo, a abolição e o combate à escravatura nesses países, principalmente na Inglaterra, foi muito mais devido ao fato desse sistema de trabalho ter deixado de ser economicamente lucrativo com o advento da Revolução Industrial do que por ideologia.

      Dito isso, é sim uma vergonha o Brasil ter sido o último país a assinar a abolição. Espero q o msm não ocorra com o casamento gay.

      E Tony, já coloquei esse livro na minha lista, vindo da Mary del Priore, deve ser sensacional! Resta saber se terei estômago para ler as crueldades do filho da pátria que foi o Conde d'Eu

      Excluir
    2. Boa. Casamento gay e escravatura estão ali, pau a pau.

      Excluir
  4. O mio babbino caro
    Mas são bem poucos vultos nacionais cuja verdade não seja bem mais prosaica.
    Imagino o constrangimento, quando enfrentarmos nossa revisão histórica e nossos tabus.

    ResponderExcluir
  5. "Uma típica mulher de seu tempo, focada nas prendas do lar, desinteressada pela política, religiosa fervorosa e feliz num casamento arranjado"... Você descreveu a rainha Vitoria da Inglaterra, que apesar da distante do governo, permitiu que seus primeiro-ministros modernizassem o país, inclusive com leis trabalhistas inéditas no mundo.

    Não acho que a Princesa Isabel fosse tão songa monga como essa historiadora descreve -apesar de não ter lido o livro. A Princesa Isabel teve vasta correspondência pro-abolicionista, onde chegou a expressar numa carta ao visconde de Santa Rita, ideias como sufrágio universal e indenização de escravos libertos com terras (reforma agraria). Se isso tivesse sido concretizado num terceiro reinado, não teríamos bem menos problemas sociais e criminalidade do que temos hoje.

    ResponderExcluir
  6. Também pensei na Rainha Vitória quando li o seu texto e concordo com o que disse o Bleu Indigo. Não concordo que teria sido uma Imperatriz fraca.
    Agora, olhando para os descendentes da Princesa, nossa! Dou graças a Deus pela República. Penso que mesmo com todo o conservadorismo da nossa sociedade o Brasil consegue vançar. Se arrastando, mas consegue. Acho que aqui no Brasil vai acabar acontecendo com o casamento civil igualitário o que aconteceu com a abolição. Vai acontecer aos poucos de estado em estado pelo o que tenho observado. Quando a Princesa assinou a Lei Áurea a abolição já era praticamente uma realidade nas províncias do país.

    ResponderExcluir
  7. Mary del Priore é suspeita, ela adora esculachar com a familia imperial, toma qualquer boato como sendo verdadeiro. Odiei o ultimo livro dela Carne e Sangue

    ResponderExcluir
  8. Virar republiqueta e se tornar este "PUTEIRO POLÍTICO"!!! Uma MERDA MESMO!!!!! Me perdoe pelo desabafo, mas de saco cheio dos rumos políticos podres deste País!!!!!!!!!

    ResponderExcluir