segunda-feira, 1 de abril de 2013

SHEHERAZADE, C'EST UN GARÇON

O ser humano é o animal que conta histórias. Estou cada vez mais convencido de que esta é a definição definitva da nossa espécie: o único traço que nos diferencia dos macacos e borboletas. E é sobre a infinita fascinação que as histórias exercem sobre nós de que trata "Dentro da Casa", talvez o filme mais original do ano até agora. Um aluno do colegial começa a escrever redações sobre a intimidade da família de um colega de classe; o professor e sua mulher ficam cada vez mais intrigados pelo desenrolar da trama, como no conto do sultão e Sheherazade (a das "Mil e Uma Noites", não aquela babaca do SBT). A partir de certo ponto fica claro que o rapaz inventa muita coisa, mas não o que é mentira e o que é verdade. Sem grandes invecionices de câmera, François Ozon - de longe o cineasta francês mais interessante da atualidade - dirigiu um filme brilhante, que parece uma mistura de dois clássicos absolutos do cinema: "Teorema" e "A Malvada". E ainda tem Kristin Scott-Thomas, uma das minhas atrizes favoritas ever. Para quem gosta de levar os neurônios ao cinema.

7 comentários:

  1. afffffff Tony,assim de relance achei que se tratasse daquela "âncora" do Sbesteira mesmo rs
    cada um tem a âncora que merece...

    mas vou conferir a dica

    ResponderExcluir
  2. finalmente tony volta à vida e deixa o lado gayrreiro quieto.

    ResponderExcluir
  3. O filme me pegou principalmente pela forma peculiar como funde literatura e cinema, conseguindo nos colocar no lugar das personagens na expectativa pelo próximo "capítulo". Brilhante!!!

    ResponderExcluir
  4. Fiquei curioso!!!

    ResponderExcluir
  5. Quero ver esse filme, Tony. E concordo tanto sobre Kristin Scott Thomas - a mulher é uma atriz talentosíssima, além de linda.

    ResponderExcluir
  6. Quando li o título do post a primeira coisa que veio a mente foi a Sheherazade do SBT, preciso despoluir minha cabeça urgentemente kkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir