quarta-feira, 3 de abril de 2013

PONTE AÉREA DOS FUNDOS

"Vai que Dá Certo" tem uma piada adicional apra quem mora em São Paulo: um bando de atores carioquíssimos tentando falar com sotaque paulistano. É o que acontece quando uma produção que nasceu no Rio consegue dinheiro do governo paulista, com a condição de filmar na Pauliceia. Alguns dos atores até que soam convincentes, dando a impressão de que tiveram aulas com um "coach" de prosódia. Outros, como Bruno Mazzeo, não escapam da caricatura grosseira - talvez de propósito, não sei. O filme já um sucesso de bilheteria e é o primeiro a contar com Fábio Porchat e Gregório Duvivier depois do estouro do "Porta dos Fundos" na internet. Há muitas tiradas engraçadas que poderiam estar nos esquetes da trupe, mas quem for ao cinema esperando rir desbragadamente por uma hora e meia vai se surpreender com a barra realmente pesada da trama. Um bando de amigos duros se envolve num assalto, meio por farra, meio por necessidade; a brincadeira parece que vai terminar em sangue diversas vezes. "Vai que Dá Certo" não é nenhuma obra-prima, mas é um honesto produto comercial. E é sempre fofo ouvir carioca falando "noveeeenta".

14 comentários:

  1. Imagino o horror que deve ser esse filminho et "atores"!

    If I may say so: E e' sempre fofo saber que carioca precisa da grana dos paulistas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara.. O Rio tem apenas 14 milhoes de habitantes e SP mais de 42 milhoes. Os paulistas nao perdoam o Rio, porque apesar da enorme desvantagem numerica populacional, o Rio ofusca SP.

      Paulista pensa que tem dinheiro, mas o capital é das multinacionais. Se transferirem o capital estrangeiro para outros estados, Sao Paulo vira uma formigueiro de caipiras, obedientes, banais, descartavel e inexpressivos. Sao Paulo só prega parafusos e ve o lucro ser remetido para o exterior.

      É como disse Paulo Francis (carioquissimo): Se Sao Paulo deixasse de existir, ninguem no mundo notaria.

      Excluir
    2. Acho que vc confundiu a rivalidade, não é entre os estados, mas sim entre as cidades.

      O mais triste é ver tanto ódio no seu comentário, provavelmente é inveja porque a grana toda foi parar na provinciana São Paulo, de onde não vai sair tão cedo. E o Rio vai continuar se iludindo, vivendo da memória de que um dia foi capital da corte.

      Beijos paulistanos pra vc.

      Excluir
    3. Só digo o seguinte: todos os paulistanos que eu conheço que vieram morar no Rio não querem voltar para São Paulo...

      ...por que será?

      Excluir
    4. Why do cariocas feel obliged to trumpet the fact that they love rio.
      We get it, already, now go get a life!

      Estive la uma vez..., consegui escapar!

      Excluir
    5. Tem muito carioca morando em SP que também não quer voltar pro Rio. And your point is?

      Excluir
    6. Te garanto que os cariocas não querem voltar pro Rio por conta do salário.

      Já os paulistanos teriam uma miríade de oportunidades de emprego em São Paulo, e não querem voltar. Justamente por terem se acostumado com uma qualidade de vida melhor. It's a matter of fact. Chegar ao trabalho em 15/20min é uma das vantagens (e nem de bicicleta, hein).

      Excluir
    7. Amor, duvido que alguém que trabalhe no centro do Rio e more na Barra chega em 20 minutos em casa. Nem voando daria, está mais para 2 horas. O Rio não é só a zona sul, só 6% da população do Rio vive na zona sul, cabecinha.

      Excluir
    8. Querido, 90% das pessoas que vem morar no Rio vai para a ZS. Aliás, trabalhei numa multinacional que só permitia locações em certas faixas, justamente visando uma curta distância + qualidade de vida.

      A porcentagem de barrenses é ainda menor, sorry to say...

      Excluir
  2. Afff... briguinha RioxSP... que anos 70 isso!

    Já tinah percebido o patrocínio do governo de SP em vários filmes ambientados no Rio. Dessa vez exigiram promover a cidade.

    A premissa do filme não lembra o "Não tenho troco" (Quick change) do Bill Murray?

    E sim, nós que temos acesso à internet e TV a cabo, na hora de (re)vermos nossos comediantes fazendo produtos para o grande público, eles vão repetir piadas. É como se tivéssemos visto o Picasso fazer 40 rascunhos até pintar o quadro definitivo. Para nós, não é inovador. Para o grande público, talvez sim.

    ResponderExcluir
  3. Não assisti (não consegui sequer esboçar um sorriso com o trailer), mas pelo que li o filme "finge" se passar em Sampa enquanto na verdade foi filmado em Paulínia. É isso mesmo, produção?

    ResponderExcluir
  4. Hmm, pode até ser. A cidade que aparece na tela é bem feiosa... Não reconheci nenhum lugar (não conheço Paulínia). E em nenhum momento eles falam que estão em São Paulo. Faz todo o sentido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulínia é ajeitadinha, tem um teatro bacana e só. Devem ter feito malabarismo pra tentar fazer se passar por uma cidade maior.

      Excluir