terça-feira, 2 de abril de 2013

I WANT TO RIDE IT WHERE I LIKE

Estou muito chocado com a morte dessa diretora de TV, atropelada por um ônibus enquanto andava de bicicleta no Leblon. Eu não a conhecia, mas tínhamos muitos amigos em comum - inclusive meu irmão, com quem ela trabalhou muitos anos. E assim, pela primeira vez, esses estúpidos acidentes cada vez mais frequentes em SP e no Rio atingem uma pessoa relativamente próxima a mim. Longe de mim querer por a culpa na vítima, mas vem cá: não é arriscado demais enfrentar de bike o nosso trânsito? Sei que corro o risco de ser apedrejado nos comentários e que faltam prudência, cuidado e civilidade aos nossos motoristas. Mas juro que, se eu tivesse um filho adolescente, iria proibi-lo de ir de bicicleta à faculdade. Ele não estaria mais seguro do que se fosse disputar espaço com carros e caminhões a bordo de um patinete. Devo estar mexendo num vespeiro, mas acho perigosa a insistência dos ciclistas em encarar ruas movimentadíssimas e sem ciclovias. Por outro lado, é ótimo que o façam: assim como entre os gays, é se expondo e exigindo direitos que se conquista alguma coisa. Mas eu morro de medo.

28 comentários:

  1. Se tantos não tivessem morrido até hoje nao teríamos uma ciclovia sequer. Os que morreram são mártires da causa. Triste para os amigos e família, mas não serão mortes em vão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mártires. Quem precisa de mártires? Queimar na fogueira vc não quer, né esperto?

      Excluir
  2. fosse assim... aviação e leis de seguranças de voo não existiriam... é triste mas a aviação foi construída também através de muito sangue.

    ResponderExcluir
  3. Eu vivo em cima de uma bicicleta, todos os dias. É cada vez maior o número de pessoas que optam pela bicicleta como meio de transporte. Quero acreditar que as prefeituras vão se mexer para proteger essa população e garantir alguma segurança. Mesmo porque, já é uma questão política.

    ResponderExcluir
  4. Eu particularmente não tenho coragem de andar no meio desse monte de carros e ônibus. E também não acho saudável respirar tanta fumaça num momento de exercício.

    ResponderExcluir
  5. Andar de bike é o sair do armário da mobilidade urbana. É arriscado mas é a melhor maneira de resolver o problema.

    ResponderExcluir
  6. Va comparar com Amsterdã e Berlim onde REALMENTE existe a cultura da bicicleta ser o meio de transporte principal. Paris ta tentando emplacar o Velib, mas o transito ainda é um inferno.

    No Rio eu nem falo nada. Só com bike elétrica pra subir e descer os morros e ladeiras da cidade (e não falo de favelas, mas de bairros que são sobe e desce mesmo, vide Méier).

    NA ocasião da morte do filho da Cissa Guimarães, eu tb me perguntei: que tipo de mãe deixa o filho sair pra andar de skate a MEIA NOITE na rua? Ela acha que mora em Bruges? Lucerna?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em comparaçao com as capitais mais au norte da Europa, em Paris se usa efetivamente menos bike como meio de transporte principal. Mas acho que o velib' ta mais do que consolidado (também pagando apenas 30E por ano, nao tem como nao ser popular...) no sentido de que as pessoas em geral consideram como uma possibilidade interessante para de deslocar. Eu particularmente vou para o trabalho de metro mas prefiro voltar de velib porque é mais rapido, é descida e me economiza na parte aerobica da academia.

      Na minha opiniao a bicicleta nao melhora o transito (de carros), alias nem seria esse o seu objetivo. A vantagem seria 1. diminuir a emissao de poluentes, 2. equilibrar as relaçoes de força nos delocamentos dando uma dimensao humana pra selvageria (ninguem consegue arrancar o braço de alguém andando de bike, e eu inclusive ja 'atropelei' uma ciclista - eu atravessava na faixa ela se chocou comigo e foi ela quem caiu) 3. melhorar a qualidade de vida das pessoas (menos sedentarismo). Transito muito fluido so serve para estimular mais carro na rua que vai pedir mais vias e no fim tudo vira Sao Paulo e para.

      Excluir
    2. Daniel, vc chega a ser caricato. Dois tempos para começar a se decepcionar com a grande salvação da lavoura q vc chama de Berlim... Se eu não soubesse da sua relação com remedios, familia e realidade, me questionaria se vc é feliz...

      Excluir
    3. Nossa! você sabe mais sobre mim, do que eu mesmo! E esqueceu de não usar o login da festa Clipperama.

      Excluir
  7. infelizmente mais uma q acreditoooouu. Essa estória é só mídia minha gente. O povo se fantasia de ciclista e vai na fé. aí morre e é uma pena. todos só querem um momento de glamour, de serem descolados e tals. mas o q resta é só morte e dor pra familia. pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bike nao é questao de modismo, é uma das respostas mais satisfatorias para o problema da mobilidade urbana - para pequenos deslocamentos é a soluçao mais interessante, eu acho.

      Excluir
  8. Os avanços em prol dos ciclistas também aconteceram à custa de sangue em Amsterdan, tempos atrás. A diferença é que lá o número de ciclistas já era maior do que aqui em 1960 - e a proporção de mortes por número total de ciclistas bem menor.

    Aqui as ciclovias continuam sendo escassas e construídas de qualquer forma (sem separação por canteiro de concreto, os carros continuam estacionando na ciclovia deliberadamente sem fiscalização, faixa compartilhada é IMPRATICÁVEL com o estado de educação dos motoristas, e cada curva é uma surpresa com um motorista imprudente entrando na faixa exclusiva de bikes para ultrapassar.

    A mídia tá cobrindo bem os acidentes com ciclistas e o apelo é grande. Espero que isso gere candidatos mais comprometidos com a causa nas próximas eleições. Estou com eles!

    ResponderExcluir
  9. Eu adoro andar de bike, é muito gostoso, acho que é de longe a atividade física que eu mais gosto, é realmente uma delicia! Gosto principalmente de andar em estradas ruais sem pavimentação, na terra mesmo.
    Infelizmente é muito perigoso andar nas cidades, pouco tempo atrás tive um acidade porque um motorista apressado simplesmente passou por cima de mim. Graças a Deus não aconteceu nada, mas poderia ter morrido, isso me fez ficar muito mais cauteloso do que eu já era.

    ResponderExcluir
  10. Em Brasília que tinha tudo para ter mobilidade de bicicleta não tem, e ocorrem muitos acidentes de bicicletas o trânsito está um inferno, a cidade também fica congestionada como nos grandes centros deste País.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho o clima do centro-oeste (do Brasil?) meio complicado para bike se estabelecer como meio de transporte principal. Imagina alguém de terno indo de bike para o trabalho em BSB em agosto.
      Brasilia particularmente tem uma tipologia (se falamos do plano: uma coisa meio linear cheia de vazios e com concentraçao de serviços em poucos pontos) que nao favorece também. Goiânia, mais radial, seria mais apropriada. Mas acho dificil que as pessoas comecem a levar roupa para o trabalho, que as empresa tenham sempre ducha a disposiçao etc.. Ja no Rio, nao sei bem porque, esse cenario nao me parece tao absurdo.

      Excluir
  11. Concordo contigo Tony.
    O Eduardo Paes, por ex., que é super metido a moderninho, adora dar uma de incentivador das bikes. A mídia tbm adora valorizar isso, mas eu tô muito fora!
    As cidades e os motoristas brasileiros não estão preparados para os ciclistas nem de longe. E não serei eu a me arriscar.
    Voltando ao Paes, ele perdeu uma ótima oportunidade de cobrir o Rio de ciclovias nessa vibe de 2016. Agora não me venha incentivar isso sem nenhuma condição de segurança para os pobres cilcistas!

    ResponderExcluir
  12. Gente, mas exatamente porque o trânsito do Rio anda um caos é que a bicicleta se mostra um excelente meio de transporte! Ainda mais no Leblon, agora, com as obras do metrô e um tanto de rua interditada, ninguém consegue se locomover se não for à pé ou de bicicleta. E a Zona Sul é em boa parte plana, então dá para usar a bicicleta tranquilamente lá. Com uma paisagem daquelas, quem vai criticar alguém por querer usar a bicicleta? Talvez o calor atrapalhe, mas só isso. Tenho uma amiga que mora em Botafogo e dá aulas no campus da UFRJ na Urca e para chegar lá normalmente vai de bicicleta; tem que cruzar uma avenida super movimentada, mas como criticar o uso da bike num caso desses?
    De outro lado, qualquer pessoa sabe que o adolescente faz o que quer, não há mãe que o proíba de andar de bicicleta. Viver é perigoso, podemos morrer atropelados, com bala perdida no centro, assaltados dentro de uma van... Culpar a mãe ou a própria vítima num caso desses me parece a mesma coisa que dizer que a mulher estuprada não devia ter saído com aquela roupa à noite.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E a cidade se resume à plana Zona Sul, né?
      Esse é o problema.

      Excluir
    2. A maior parte da zona oeste onde vive grande parte da população carioca também é plana. grande partes da zona norte tb, além do centro. claro que todas as áreas tem morros até mesmo a zona sul. barcelona tb tem areas altas e baixas e lá bomba a bicicleta já... touché, mas não vem fazer o pobre garoto do meier - q tb tem grandes areas planas... o problema é vc!

      Excluir
    3. Tiago e Daniel, não sei se vocês sabem, mas Zona Sul engloba os seguintes bairros:

      Botafogo, Catete, Copacabana, Cosme Velho, Flamengo, Gávea, Glória, Humaitá, Ipanema, Jardim Botânico, Lagoa, Laranjeiras, Leblon, Leme, São Conrado, Urca e Vidigal

      "Plana" onde mesmo? No Alto Cosme Velho é tudo plano? Em Laranjeiras é tudo plano? Nas ladeiras da Glória é tudo plano? Vocês já pegaram o atalho do Mundo Novo para ir de Botafogo até Laranjeiras?

      Pois é, queria entender o porquê de todo mundo que mora na Zona Norte achar que a ZS se resume a Ipanema e Leblon; e quem mora em Ipanema e Leblon achar que a ZS termina em Botafogo ou antes do Túnel Rebouças (não termina antes do túnel, porque entre as duas seções, há a saída para o Cosme Velho, que ainda fica na ZS).

      Sério, estudem geografia, porque a coisa tá feia.

      Excluir
    4. todas contra a Daniela! hahahahahahah com exceção de ipanema nenhum bairro da zs é totalmente plano e nem to considerando as favelas... flamengo tem aquela meiuca alta na divisa com catete, btfg tem a parte do novo mundo q é alta, copa e leme ladeiraaaaaaao, leblon tem o alto das ricas, gavea onde a Antonya goes morava tb, humaita é alto e com paralelepípedo. são conrado só nas alturas e o povo ainda pula. até a lagoa que deveria ser plano tem ladeirada... ai como é dificil!!!! agora, pergunta... a maioria do povo desses bairros tudo vivem lá em cima???? acho q não neh... alto mesmo só o da boa vista e santa teresa!!!!

      Excluir
  13. Você teria a opção de mandar seu filho ir para a faculdade de ônibus. E ele poderia morrer no ponto, junto com outros cinco ou seis e com outros tantos feridos, pois muitos têm sido os casos de veículos que invadem essas paradas.
    Se por acaso ele estivesse entre os apenas feridos, quando ele se recuperasse, você contrataria uma van. E ele poderia ser estrupado pelo motorista.
    E ele concluiria que indo de bike se sentiria muito seguro.
    Olha, se você tivesse um filho, o melhor que faria era largar de frescura e deixar de ser ateu ou agnóstico, e rezar bastante para Deus protege-lo [sem chegar a ser evangélico ou pentecostal].

    ResponderExcluir
  14. Eu pedalo todos os dias.
    Adoro pedalar. Irei em breve à academia de bike.
    Acidentes acontecem.
    Eu já provoquei um acidente. Fiz um motoqueiro me atingir, sem querer. Ele foi super atencioso.
    Moro em SCS, mas a insegurança é tanta que nunca tenho certeza que chegarei vivo em casa, por várias outras razões, tais como, tiros, assaltos, atropelamentos, etc.

    Pedale, viverá mais.

    ResponderExcluir
  15. Infelizmente vcs brasileiros sao muito incivilizados, nao ando e jamais recomendaria alguem pedalar em qq lugar do brasil, alias da medo de por os pes pra fora de casa pra qq coisa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. preguiça da anonyma viajada... "os brasileiros".... kakakaka

      Excluir
  16. Acho que o governo tem que dar mais atenção aos ciclistas, pois a bicicleta é um meio de transporte formidável por inúmeras razões. Eu por exemplo amo pedalar e detesto dirigir carros, principalmente netes trânsito horrível das grandes capitais. Mas muitos ciclistas são abusados, querem ganhar tempo aí acabam comentando acidentes. Hoje mesmo meu pai quase atropelou um ao fazer a curva, pois o idiota se enfiou na frente do carro vindo por trás. Depois dizem que sempre é a culpa do motorista, apesar de as vezes este também invadirem o espaço que não é deles.

    ResponderExcluir