terça-feira, 19 de março de 2013

SE EU PERDER ESSE TREM

"Anna Karenina" é o filme mais deslumbrante do ano. O roteiro preciso do dramaturgo Tom Stoppard ganhou um tratamento visual requintadíssimo do diretor Joe Wright. Grande parte da ação se passa em palcos de teatro, como se os personagens fossem atores de si mesmos. Os figurinos ganharam o Oscar, mas a direção de arte também merecia - assim como o coreógrafo que inventou o complicadíssimo movimento das mãos que os bailarinos executam durante uma valsa, totalmente fake mas incrivelmente poderoso. O filme é um musical onde ninguém canta. Parece um longo vídeoclipe, como aquelas óperas filmadas que Zeffirelli cometeu nos anos 80. Mas não é perfeito: a roda que gira em falso é justamente sua protagonista, a controversa Keira Knightley. Acho que ela é bonita e até uma atriz razoável, mas tem alguma coisa em sua vibe que simplesmente não rola. Keira não gera empatia e em nenhum momento torcemos ou nos emocionamos com ela. Seu eterno ar de modelo fazendo carão só funciona em comercial de perfume, tanto que nem sofremos no famoso desfecho ferroviário. Ah, vai dizer que você não sabia o final de "Anna Karenina"? Ponha-se daqui para fora!

18 comentários:

  1. O filme é perfeito mesmo, assistiria feliz por mais algumas horas, fiquei deslumbrado. Também sofri com a falta de empatia, mas pra isso temos o livro né?

    ResponderExcluir
  2. vc esqueceu de dizer de como o Aaron Taylor-Johnson está bonito...

    ResponderExcluir
  3. O filme é bom, mas ela é completamente sem sal.

    ResponderExcluir
  4. A Keira Knightley é linda, elegante, sensual, charmosa e chique, mas como atriz é limitadíssima.
    Sua participação em 'Um Método Perigoso' -- o filme sobre Freud e Yung --, fazendo uma personagem real e da maior relevância foi de dar pena. As cenas de histeria lembravam o saudoso Casseta & Planeta.
    É o velho dito popular do 'beleza não põe mesa'.

    ResponderExcluir
  5. E o nação #fraudebbb no twitter? Quem escreve sobre o programa vai se calar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já falei dela na minha coluna de segunda-feira passada no F5.

      Excluir
    2. O Kibe Loco ensinou passo-a-passo como fazer um perfil daqueles! UAHHAAHUAHAU

      http://kibeloco.com.br/2013/03/18/big-barriga-brasil/

      Excluir
    3. Kibe Loco? Em 2013? RSsrs

      affão

      Excluir
  6. Eu tive o prazer de assistir o filme de 1935 com Greta Garbo no papel título (na televisão, não sou tão velho assim), claro que o apelo visual nem se compara ao atual, mas não consigo deixar de comparar Greta com Keira Knightley...
    A cena do trem ao qual Tony se refere é antológica no filme de 1935.

    ResponderExcluir
  7. Belo filme, assisti o antigo de 1935 com Greta Garbo e gostei muito e assisti o mesmo filme de 1985 com o ator Christopher Reeve (Conde Vronsky) e Jacqueline Bisset (Anna Karenina) gostei muito, quanto ao livro eu não li, mas quero ler sim para sentir a diferença quanto aos filmes por mim já vistos. E este atual vou ver sim.

    ResponderExcluir
  8. Tava na dúvida se via ou não. Tenho uma implicância com a Anna Karenina. Nunca simpatizei com a moça no livro. E olha que eu tentei. Será que vou pegar ojeriza de vez com a Keira?

    ResponderExcluir
  9. Outra coisa o Trailer é fabuloso, é incrível como o trailer é feito para conquistar o público, este filme pelas imagens figurino e etc é espetacular, o incrível que é que o Mundo já foi assim, as pessoas que quebravam as regras era algo bem complicado, a sociedade era cruel mesmo, e hoje? É mais ou menos cruel do que antes? Acho que só mudam as vestes, mas a crueldade é a mesma!!!!

    ResponderExcluir
  10. Marcado. Amanhã no Clube do Professor.
    Obrigado pela dica.
    Estava em dúvida.

    ResponderExcluir
  11. " Ah, vai dizer que você não sabia o final de "Anna Karenina"? Ponha-se daqui para fora!"

    hahahahahahahaha!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  12. Adorei o filme! Pena que tem gente burra sem sensibilidade que não entende o filme, affão.

    ResponderExcluir
  13. João, O Espertão. Affão.

    ResponderExcluir
  14. Quanto a Keira, ´eo seguinte: Carisma é como pau grande: ou a pessoa tem ou n tem.

    ResponderExcluir