segunda-feira, 25 de março de 2013

OVOS MOLES

Os concursos de beleza começaram nas primeiras décadas do século passado. Para que as vencedoras não fossem rameiras ou cortesãs, regras rígidas foram impostas: as moças tinham que ter reputação ilibada, comportamento modesto e atestado de bons antecedentes. O tempo passou, o mundo girou, mas muitas dessas exigências anacrônicas continuam em vigor. E acabam provocando mini-polêmicas que servem mais como golpe publicitário do que qualquer outra coisa. É o caso desse concurso Mister Universo Brasil, que teria passado em nuvens relativamente brancas não fosse pela foto aí ao lado. Foi por causa dela que o campeão deste ano, o brasiliense Lucas Kubitschek, perdeu cetro e coroa para o segundo colocado. O regulamento do concurso proíbe que os candidatos posem (ou tenham posado) nus ou quase, o que é de um ridículo atroz nos dias de hoje. Exigir que um modelo sarado e bonitão jamais tenha ficado em trajes de Adão em frente às câmeras é como procurar cabaço em puteiro: simplesmente não existe. Mas, no frigir dos ovos, essa controvérsia é boa para todo mundo. O tal do MUB ganhou bastante espaço gratuito na mídia, assim como o próprio Lucas. Talvez o único prejudicado seja euzinho. Postei essa foto no Facebook e fui bloqueado por três dias. O curioso é que semana passada eu havia postado aquela imagem da atriz de "Girls" com os peitos cobertos de porra, e a censura passou batida...

12 comentários:

  1. Pior é ser censurado de graça né, porque não tem ninguém na portaria ali...

    ResponderExcluir
  2. Mas vamos combinar que a polêmica da perda da coroa no Brasil tem muito mais chance de trazer visibilidade pro moço do que o resto da trajetória no üniverso"...

    ResponderExcluir
  3. Só fiquei sabendo desse concurso, pq uma biluzissima aqui do Rio era um dos concorrentes e pra se promover resolveu criar uma historinha de que tava namorando uma periguete sub-celebridade (ahãm, rs). Fiz um comment irônico no face (sem citar nomes) e fui excluído por ele (ouwwww). Emfim, esse menino acima já tem tanta coisa, piru pra que né?. Ontem eu postei um mutilado de guerra de nu frontal de uma expo q fui ver na Casa Daros. A mesma foto que foi capara do segundo caderno do Globo. A patrulha do FB ainda não me descobriu.....

    ResponderExcluir
  4. Tony:

    Perfeita a sua análise, realmente a grande maioria (99,9%) fazem fotos de nudez para diversas marcas nacionais e internacionais de bom gosto com fotógrafos renomados e talz.....atraso cultural total.

    Linda semana. Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Sabe que eu concordo com o Gilberto?

    ResponderExcluir
  6. Já que o estrago já está feito, ele bem que podia mostrar tudo e em ponte de bala, nénão?

    ResponderExcluir
  7. Homem em concurso de beleza que não fez teste do sofá: onde vivem? do que se alimentam? quais seus hábitos?

    ResponderExcluir
  8. Este cara é daqui da minha cidade, ele é lindo mesmo um gatão, putzz que delicia de homem, eu torci por ele, pena que perdeu por causa de uma bobagem dessas, esta foto está tão simples sem maldade nada demais, eu fiquei surpreso que ele foi desclassificado, mas se estava no regulamento aí já era né. Mas é aquilo é possível que ele tenha mais notoriedade, ele é modelo, ele tem formação e quando fala sabe falar é um cara que sabe se posicionar, mas na minha opinião esta regra do concurso é uma bobagem, e eles no dia concurso atrasaram umas 3 horas antes de inciar o desfile. Vamos aguardar.

    ResponderExcluir
  9. "Sem maldade". Haha por aí se percebe que o povo ainda acha nudez e sexo uma coisa má. Como se pau duro fosse maldade. Só se for pra quem queria sentar nele e não pode.

    ResponderExcluir
  10. FB que é tosco e não diferencia as coisas. Persegue esse tipo de coisa, mas deixa misoginia e afins livremente (vide publicações do "Orgulho de Ser Hétero"; algumas ofensivas a usuários que ali protestam). É complicado, pois nos EUA existe essa coisa de se fazer um contrato que vira lei entre as partes mesmo, mas é óbvio que na nossa tradição romano-germânica, onde a razoabilidade e a submissão à lei são mais importantes, isso não tem tanto valor. É evidente o abuso do FB nessas suspensões, e acho que ainda vai ter muita ação contra o FB por conta desses episódios. FB se insere nas relações de consumo, e o próprio fato de o usuário não ser notificado antes de sua suspensão (notificação para retirar o conteúdo, por exemplo), já viola o art. 6º, III, do CDC.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O fb é gratuito, não caracteriza relação de consumo.

      Excluir
    2. Anônimo, o fato de um serviço ser gratuito não afasta a existência de relação de consumo, pois entendem Doutrina e jurisprudência que existe remuneração indireta (anúncios, por exemplo), ficando preenchido, assim, esse requisito para configuração da referida relação. Diversos julgados e artigos doutrinários sobre isso; matéria pacífica no STJ. .

      Outro grande exemplo é o "free bus" de um shopping. Você não paga pelo serviço, mas é um consumidor em potencial daquele shopping, sendo tal serviço remunerado pelos lojistas indiretamente. Então também há relação de consumo nessa hipótese. Se você sofrer um acidente, por exemplo, aplicam-se os dispositivos pró-consumidor do CDC, inclusive os processuais (inversão do ônus da prova, por exemplo).

      Aliás, importante frisar que antes mesmo de uma compra, já se aplica o CDC. Quando você entra numa loja, todos os direitos do CDC já ficam automaticamente válidos para a sua pessoa. Isso porque o Código de Defesa do Consumidor também vale na fase pré-contratual. Recentemente, o STJ decidiu que enviar cartões sem o consentimento do consumidor, mesmo que não utilizados, deve gerar indenização em razão da violação do CDC. Antes, muitos entendiam que não cabia esse entendimento por não ter havido utilização do serviço (de crédito). Contudo, o STJ apenas decidiu com base na questão pré-contratual que acabo de mencionar.

      Excluir