quinta-feira, 21 de março de 2013

O NOME DA CARNIFICINA

Todo mundo reclama quando um filme parece teatro filmado. "Qual É o Nome do Bebê" é ótimo, mas é exatamente isto: uma peça teatral que fez muito sucesso, adaptada num filme que fez mais sucesso ainda. Há algumas cenas externas no começo e no final da história, mas a maior parte da ação se passa na sala de um apartamento de classe média em Paris. São muitas as semelhanças com "O Deus da Carnficina", de Yasmina Reza: um grupo de burgueses se reúne por um motivo banal, e a conversa descamba para uma discussão violenta onde segredos são revelados e os laços mais profundos sofrem abalos. Aqui o problema começa quando Vincent, o macho-alfa da turma, conta para a irmã, o cunhado e o amigo qual é o nome que ele e a esposa pensaram para o bebê que vem a caminho. Digamos que é um nome-tabu na Europa e que as reações contrárias que ele suscita são um teco exageradas. Mas isto é só um pretexto para uma lavagem coletiva de roupa suja. Os diálogos são primorosos e defendidos com garbo pelos atores, pouco conhecidos no Brasil - dois deles levaram os Césars de coadjuvante na última premiação. "Qual É o Nome do Bebê" vai irritar quem gosta de explosões e perseguições de automóveis, mas é uma comédia inteligente que usa com eficácia uma das mais temíveis armas de destruição em massa: a palavra.

3 comentários:

  1. Vamos ver se ele supera Carnage do Polanski, que é fraquinho, fraquinho...

    ResponderExcluir
  2. "Carnage" é a versão para o cinema da peça "Deus da Carnificina", da Yasmina Reza. Ficou muito aquém do teatro. "Qual É o Nome do Bebê" é bem melhor como filme.

    ResponderExcluir
  3. <3 Le Prenom!! Deu vontadezinha de chamar meu filho de Feliciano...

    ResponderExcluir