terça-feira, 12 de março de 2013

FLATBUSH AVENUE

Já estou no Rio de Janeiro, onde começou ontem a oficina do Programa Globosat de Densevolvimento de Roteiristas. O primeiro dia foi inteiramente dedicado a uma palestra de Dan Halsted, um dos maiores agentes de roteiristas de Hollywood, que foi crivado de perguntas pela ansiosa plateia. E adivinha qual foi o exemplo de bom roteiro brasileiro citado pelo cara? Para variar, "Avenida Brasil". Halsted comentou inclusive a notinha que saiu na revista "Entertainment Weekly", numa matéria sobre grandes sucessos da TV mundial que poderiam ganhar remake nos Estados Unidos. A jornalista Nuzhat Naoreen chega até a imaginar o elenco ideal de "Flatbush Avenue" (uma avenida que liga Manhattan aos distritos do Brooklyn e do Queens, equivalente a sua similar carioca), transmitida pelo canal TNT: Odette Annable, de "House", como Nina, e a ex-"Pantera" Jaclyn Smith como Carminha ("Little Carmen"?). Parece piada, mas não é de todo: depois que as redes americanas fizeram suas versões de hits nascidos em Israel ("Homeland", "In Treatment") ou na Dinamarca ("The Killing"), Halsted apostou 100 dólares que uma história tupiniquim será adaptada para a televisão dos Estados Unidos nos próximos três anos. Tomara que seja minha.

12 comentários:

  1. Anda cum fé eu vou, que a fé num custuma faiá!!

    ResponderExcluir
  2. Ah, sim! Outra coisa a dizer: Café!! Eu qro café!!...

    ResponderExcluir
  3. Avenida Brasil foi chupada de Revenge. Chupada de chupada vale?

    ResponderExcluir
  4. O projeto de "Avenida Brasil" já existia antes de "Revenge" ir ao ar. E ambas beberam da mesma fonte: o arquétipo da Branca de Neve, um dos mitos fundamentais do Ocidente. A mocinha que se rebela contra a mãe, que não a deixa crescer ou simplesmente quer eliminá-la, pois a vê como uma rival. Nas historinhas, essa mãe é disfarçada como uma madrasta.

    ResponderExcluir
  5. Tbm beberam em Conde de Monte Cristo.

    ResponderExcluir
  6. Gente, inspirar pode. Senão comédia romântica não existiria.

    Inspirar-se em algo é diferente de copiar algo...

    ResponderExcluir
  7. A série israelense se chama "In Treatment"...

    ResponderExcluir
  8. "The Killing" é inspirada em uma série dinamarquesa...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é "inspirada", é remake mesmo. Pagaram os direitos e tudo.

      Aliás, a próxima temporada da TV americana virá cheia de "remakes" internacionais. Vi a lista de pilotos que estão sendo testados e tem programas ingleses, israelenses, dinamarqueses e holandeses.

      Excluir
  9. Tony, na verdade, os dois comentários anteriores nem eram para serem publicados, assim como este. Eu quis apenas chamar sua atenção para esses dois pequenos errinhos do seu texto. Você grafou "In Therapy", ao invés de "In Treatment", além de ter dito que "The Killing" teria surgido na Suécia, ao invés da Dinamarca. Só trocar no texto, nem precisa publicar o comentário. Não comento muito, mas adoro seu texto. Me divirto sempre. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaaaaaaaah bom. Quando for assim, avise! Estou numa vula tão grande que nem percebi que era para corrigir. Agora já consertei, obrigado. E obrigado pelas palavras gentis.

      Excluir