segunda-feira, 18 de março de 2013

ESTELIONATO, SIM OU NÃO?

Uma das metas de Marco Feliciano na presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara é promover um plebiscito sobre o casamento igualitário. É claro que, dada a requintada educação e a elevada civilidade do nosso povo, o "não" teria uma vitória retumbante. Isto é democracia? Claro que não: direitos das minorias não podem ser submetidos à vontade da maioria. Por isto eu proponho uma consulta muito mais urgente, cujas consequências atingiriam muito mais que os de 5 a 10% de homossexuais que compõem a população brasileira. A pergunta é a seguinte: você é a favor de falsos profetas, que vendem milagres? Às urnas!

17 comentários:

  1. A campanha pelo "não" teria infinitamente mais recursos do que a campanha pelo "sim", mesmo que as bibas endinheiradas abram a carteira. Até quando as Igrejas vão dominar as pessoas?

    ResponderExcluir
  2. Às favas com o bem de todos, né? Falando nisso, já viu a campanha de difamação que Jean Wyllys está sofrendo nas redes sociais, Tony?

    ResponderExcluir
  3. Nao faz mt diferenca, faz? O casamento ja é realidade no Brasil. Casei-me sexta-feira passada.

    ResponderExcluir
  4. Oi, gosto do seu blog.
    mas seria legal assuntos mais leves as vezes. seria otimo se vc escrevesse sobre a segunda temporada de GIRLS, ou o episodio final que foi ao ar no ultimo domingo.

    Abraço
    sempre acompanhando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acorda, alienado do caralho!!!

      Excluir
    2. Além de alienado, nem deve acompanhar o blog direito (apesar do "sempre acompanhando"). Não reparou na diversidade de assuntos abordados pelo Tony, inclusive os "mais leves"...
      Tsc, tsc...

      Excluir
    3. Gentem, querem parar de fazer "bullying" num leitor que GOSTA do meu blog?

      Tenho falado menos de TV aqui porque falo sempre desse assunto na minha coluna do F5. Sabe como é, lá me pagam...

      Falei de "Girls" no ano passado, quando estreou a 1a. temporada. Gosto da série, mas não adoooro. Vi alguns episódios desta segunda, não todos, e confesso que estava focado em outras coisas nos últimos dias.

      Os temas do meu blog passam por fases. Tenho andado muito politzado, porque o noticiário está repleto de notícias sobre homofobia e discriminação. Mas tenho períodos mais fúteis, onde só falo de roupinhas e acessórios.

      Vou tentar ser mais leve nos próximos dias. Até eu acho que ando pesado demais.

      Excluir
  5. Respondendo ao LUCAS T.

    Até quando houver dirigentes egoístas e mal caráter e pessoas
    com uma cabeça de merda que pensam como eles...

    ResponderExcluir
  6. Silas Maracutaia, Menos Feliciano, Jafoi Bolsonaro, Myriam Prios... Ai ai como esse povo me cansa! Tentei colocar o nome deles na boca do sapo, mas o sapo morreu... Tadinho do Sapo.

    ResponderExcluir
  7. E se fosse um plebiscito que perguntasse: Você concorda com a isenção de impostos para igrejas e templos?
    Beijos do Cia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é mais complicado, porque a isenção fiscal das Igrejas é cláusula pétrea (imexível) da nossa constituição. E mexeria num vespeiro muito maior do que só as igrejas neopentecostais...

      Excluir
  8. Sinceramente gente, a questão não é a religião. O E. brasileiro é laico, ou seja, nós temos liberdade de praticar qualquer culto religioso e expressar tal crença à vontade.

    A batalha das minorias deve caminhar no sentido da educação e do esclarecimento. Caminho muito longo aonde obstáculos Felicianos vão surgir. Normal.

    O escárnio, a brutalidade, o despreparo histórico e biológico são armas que não devem nos acompanhar.

    Cabeças erguidas, claridade de ideias, fé, respeito consigo e com os outros, saúde e sorte. Estes sim, são os sentimentos que devem integrar o cotidiano homossexual, que serão repassados ao mundo. Repisa-se: cotidianamente, exercicio diário é a arte da guerra.

    Por óbvio que não deverão ser tolerados assassinatos, agressões, e discriminação, mas usando a cabeça tais crimes serão processados e julgados normalmente.

    Com relação ao casamento, em todos os Tabelionatos do Brasil há possibilidade de se fazer a "Escritura Pública de Constituição de União Estável Homoafetiva", caso o cartorário se rejeite a escrever o solicitado procure, imediatamente, a Corregedoria da Justiça Estadual, o Ministério Público Estadual, o Conselho Nacional de Justiça e a Polícia Militar e exija o cumprimento dos seus direitos.

    Espero ter me feito entender.

    ResponderExcluir
  9. Taí uma coisa que gostaria de ver! Um plebiscito talvez surpreenda! Tenho quase certeza que teríamos o sim como vitória. Ñ acho o casamento importante nem para os héteros mas sei que precisamos resguardar os direitos de cada um no que diz respeito a direitos adquiridos na vida a dois. Enfim, se é o que querem lutaremos por isso. Vivo um casamento hétero a 30 anos, meus filhos, são até onde sei, héteros. Me interesso pela causa porque sou 100% contra o preconceito, especialmente contra os gays. Tenho muitos na família, e vejo o quanto sofrem com preconceito!

    ResponderExcluir
  10. O Feliciano renunciou: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=XylWZOMnjU4

    ResponderExcluir
  11. Parece até o caso das Ilhas Malvinas: aqueles que propõem o plebiscito só o fazem porque estão certos da vitória. Se tivessem dúvidas quanto ao resultado, jamais sugeririam uma consulta popular.

    ResponderExcluir
  12. Sempre achei essa história de plebiscito um estratagema. E quem começou com essa história foi a nova musa dos 'mudernos', Marina Silva, que de boba não tem nada!

    ResponderExcluir