quinta-feira, 28 de março de 2013

ATEUS, SAIAM DO ARMÁRIO

Eu não sou ateu. Mas tenho até vontade de me passar por um, para afrontar essa maré obscurantista que enlameia o Brasil. A jornalista Eliane Brum, uma das minhas "ídalas" atuais, conta nesta coluna como foi seu embate com um taxista evangélico - que era até boa praça, mas tentou convencê-la a "receber Jesus". Elaine diz que é atéia e que têm muitos amigos que tampouco acreditam em Deus. Diz também que vários deles andam evitando se admitir como tal, ou falando apenas que são "agnósticos" (um termo complicado, que muitos da manada neopentecostal não sabem o que quer dizer). Pois eu acho isso perigosíssimo. Temos mais é que enfrentar essa corja de frente, com todas as letras. Como gay assumido há quase 40 anos, sei muito bem que é só saindo do armário e tendo orgulho de ser o que se é que se derrota o preconceito. O ateísmo sofre discriminação em quase todo o mundo, mas tem posto a cabecinha de for anos últimos tempos e aqui não tem como ser diferente. Aliás, sinto que o Brasil vai repetir o que se passou nos EUA uma década atrás. Lá por 2004, com o apoio explícito do governo Bush, parecia que os fundamentalistas estavam a ponto de transformar o país numa teocracia. Deu no que deu: duas vitórias consecutivas de Obama e até alguns líderes religiosos repensando seus dogmas. Oremos para que isto aconteça por aqui.

33 comentários:

  1. ai eu to que nao me aguento, comento em tudo, eu me esbaldo no seu blog
    ateismo e interessante, mas e um saco ter que escutar aquele discurso que sai pela culatra, insuportavel!
    maaaas como os gays, ateus nao querem ser motivo de odiaçao, o problema e da falta de peito, de dizer o que sou, a questao e que um politico no exemplo do barack obama tem que ser um adiministrador, ele sendo ateu da um catalogo de posiçoes muito maior, por que ninguem vai estar o controlando por tras as decisoes
    ja os ateus a unica coisa a se dizer e que eles soltem a galinha interior, os gays nos ultimos tempos buscam direitos se organizando, esse e o caminho, se organizar, mas cuidado pra nao virar igreja.

    ResponderExcluir
  2. Se o Brasil não tomar cuidado seremos uma República Fundamentalista Evangélica!!!!! Com tanta gente cega e fácil de se manipular futuro sombrio pela frente!!!!Tanto politicamente quanto religiosamente.

    ResponderExcluir
  3. Estamos caminhando a passos largos para esta Teocracia evangélica que o Anônimo acima comenta. E como "poderoso caballero es Don Dinero", e dinheiro é o que não falta para estes aproveitadores da fé alheia, não vai haver obstáculo que não poderão superar.
    No momento em que elegerem um presidente, faço minhas malas e me mudo.

    ResponderExcluir
  4. Entendo que o termo 'agnóstico' é bem complicado, mas em última análise o agnóstico pensa assim: Não é que Deus não exista, só que é impossível para seres humanos conhecê-lo. Talvez até ele nos deteste.
    O ateu não acredita em Deus, o agnóstico não se importa se ele existe ou não.
    Eu me sinto muito mais atraído pelo pensamento agnóstico do que pelo pensamento ateu.

    ResponderExcluir
  5. Ai Tony, tão esclarecido e ainda esperando Jesus Cristo depois de tantos anos... não me diga que está com medo de perder a casa com piscina e espaço gourmet lá no céu.

    já te recomendei, vou falar mais uma vez, porque a esperança nunca morre: "O maior espetáculo da Terra", do Dawkins. É cara-na-poeira, não tem como não enxergar. Mas vê se pega o livro certo. Não estou falando de "God, a delusion".

    ResponderExcluir
  6. Tony, só um detalhe bobinho: O nome dela é Eliane e não Elaine, e o link não está abrindo; um ótimo feriado para você!

    ResponderExcluir
  7. Já viu isso, Tony:

    https://www.facebook.com/photo.php?v=577922708897989&set=vb.373007282785505&type=2&theater

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vi. Gays não são santos: são humanos. Episódios como este são mega-amplificados pelos evangélicos. A notícia foi dada pela Record... Não admira que Ana Paulda Padrão tenha pedido a conta.

      Excluir
    2. Sim, e não sei se já viu, mas o inferno no Facebook já começou.

      Excluir
    3. Era tudo que Feliciano queria...

      Excluir
  8. Desculpa, mas militância ateia (é sem acento agora) = militância evangélica. São tão insuportáveis, intolerantes, etc, quanto. Agnosticismo é muito mais razoável que ateísmo. O mais engraçado são os fãs daqueles livros "Deus [fill in the gap]", que se acham os ateus mais cult, falam em Big Bang (hoje em dia já se fala em pré-Big Bang, então deixem esse conhecimentozinho de lado e vejam mais BBC HD), etc. Affão, sério. Pfffff, show me your dick, don't say you're an atheist.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não concordo! Militância ateia (temos até 2016 para ajustar a nova conveçao ortografica, nao?) difere da militância evangélica em varios aspectos.

      Varias pessoas (quem fez ensino médio?) falam (ou teriam a capacidade de falar) de Big Bang. Até os museus da criaçao dos EUA falam disso, afinal a ideia de que o Universo teve um começo e se expande lhes parece bem agradavel. Alias ai esta uma diferença fundamentalentre as militancias: a ateia esta mais propensa a corrigir ou aceitar novos paradigmas que possam ser estabelecidos pela ciencia. Ja a militancia evangélica faz apenas uma triagem do que lhe é conveniente (como se ciencia fosse um self-service) e nega todo o resto que esta em contradiçao com uma leitura literal da biblia. O nivel do discurso das duas militancia é bem diferente também..

      Quanto à BBC 'HD', boa progrmaçao de fato, mas quem se interessa por ci^encia normamente nao se contenta com as informaçoes mais superficiais que a divulgaçao cientifica na sua forma televisionada pode prover. Tempo e linguaguem de tv nao permitem abordagens mais aprofundadas, que podem (e sao) melhor desenvolvidas em livros de divulgaçao cientifica como esse do Dawkings que voce parece citar.

      Nao acho insupportavel alguem que tente defender seu ponto de vista de forma razoavel e coerente. Também me simpatizo com a idéia do agnosticismo. Mas prefiro uma reposta menos indiferente às (mimetizando seu estilo) 'big questions'.

      Na verdade, sinto o cheiro de um certo preciosismo pretensioso, mediocre e desinformado no seu discurso. Como que se o mais importante fosse destacar o novo acordo ortografico e a resoluçao da sua TV em vez de argumentar porque o agnosticismo lhe parece mais interessante..

      Enfim, vejo mais intolerancia quando alguem sugere que a outra pessoa para mesmo de se declare como ateista do que qunado alguem prefere discutir as razoes que lhe levaram a adotar essa maneira de ver a vida.

      Excluir
    2. Ora, Tulio (tem acento?), gente coisa é outra fina!
      OBS: ESTOU SENDO IRÔNICO!

      Excluir
    3. Tem que ver isso no novo acordo ortografico. :o)
      De qlq maneira nao tem acento no meu RG (normal? erro do cartorio? erro dos meus pais?)...
      e no mais mon clavier est français, donc pas tous les accents pour les voyelles dont j'ai besoin <\modo pretensioso>

      Excluir
    4. Meu RG também não tem acento, mas eu coloco senão me chama de farLLEY.
      But once my name is British (Celtic in fact) accents are not used.
      Afinal, a gente também somos intelijumentes, curtos e deformados.
      OBS: ironia de novo!

      Excluir
    5. Tulio captou a essência da Joaninha.

      Excluir
    6. Pensei que fosse apelido lelek rsrsrs. Brincadeira carinhosa.

      Geralmente não se acentua nomes, gente. É uma convenção social.

      Mas então...

      QUERIDOS...a questão é: se não se tem certeza que não existe/não se pode ter essa certeza, qualquer decisão pessoal no sentido de não acreditar numa entidade divina é falha. Não cabe discussão; não temos como chegar à resposta. Logo, agnosticismo é muito mais razoável do que é ateísmo. Ateísmo é tipo aquela tia que não saiu dos anos 80, sabe? Gente, 2013, sejam agnósticos...

      Fárlley, os celtas não estavam só no Reino Unido, mas também por toda Europa. Uma área celta fortíssima é o norte de Portugal, por exemplo, onde se encontram casas celtas muito bem conservadas. Parecem casinhas dos Smurfs.

      Bjs :*

      PS: Anônimo, tô louco pra te conhecer! Será que não conheci? Você é o ex-amigo do R? Grato pela resposta.

      Excluir
    7. Nome não se acentua, JoÃo?

      Excluir
    8. Til não é acento gráfico.

      Excluir
    9. "Gente, 2013, sejam agnósticos" militância agnóstica detectada! :o)
      Isso que o João disse (não a parte dos anos 80...:)) e que o Fárlley tinha dito alguns comentários ai acima é a questão que ainda me intriga com relação ao atéismo. Não tenho uma resposta que me pareça totalmente convincente, mas ainda prefiro me identificar como ateu por dois motivos:
      1. Eu não creio que os outros animais tenham algum crença num ser superior invisível. Eu acredito que a vida surgiu através da evolução. Baseado nesses dois pontos eu só consigo concluir que deus aparece como uma necessidade humana num determinado momento da (pré?)história. Se deus depende do homem para existir e o homem consegue hoje viver perfeitamente sem deus eu não vejo nem mesmo razão de cogitar sua existência. O ponto fraco do meu argumento é se vc começa a definir deus, não mais como um ser pessoal mas como algo abstrato, como um força indiferente, o mistério último. Nesse caso o pensamento agnóstico caberia muito bem.
      2. Como estou convencido que um deus pessoal (p. ex. como o bíblico ciumento (Êx 34:14), amoroso (1 João 4:8), autoritário (1 João 5:3) e compassivo (acrescenti só por paralelismo e to com preguiça de buscar um versículo como ref..)) não existe, a posição de ateu serve como uma esécia de contraponto com relação à onda convervadora-gospel dos nossos tempos :p ...Nesse caso é sim uma militância.. E sim, tem um quê de pirraça ai! :pp Mas talvez numa sociedade mais informada (oi, Suecia!), ou num equilíbrio no futuro no qual a crença seja de fato uma escolha pessoal (já que tem neurocientista por ai falando que tem cerebro que é mais propenso a ter crençqs religiosas que outros..) e não apenas resultado de falta de infromação ou de pressao social, uma posição agnóstica seja mesmo a mais coerente (mas com deus sendo algo tão fora do alcance que pode ser desprezado...)

      Excluir
    10. João:
      Eta curtura, sô!

      Excluir
  9. Sou ateu e gay. e o que pesa mais, muitas vezes é ser ateu.principalmente para meus amigos religiosos e ...gays! é inacreditável a lavagem cerebral que a religião faz com as pessoas. é algo que vem antes do seu nascimento

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não sei como é em outros países, mas no Brasil falar que se é ateu é como falar que se é um assassino.
      Perguntaram a Saramago: "Como podem homens sem Deus serem bons?", e ele respondeu: "Como podem homens com Deus serem maus?"

      Excluir
    2. Boa parte da Europa Ocidental tem grande proporção de ateus. Lá, dizer que não se acredita em Deus pega até bem.

      Excluir
  10. O Senhor não te esqueceu, continua a te amar, mesmo vivendo no pecado. Tua hora de se arrepender está próxima e o povo de Deus estará de braços abertos para te receber!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala para esse povo apoiar os braços para não cansar.

      Excluir
    2. Engraçado, não? Deus te ama, mas tem sempre um SE.

      Excluir
  11. A diferença entre "militância ateia" e militância evangélica ou religiosa de qualquer forma, é clara. A Religião leva ao fanatismo e afeta muito mais as vidas das pessoas do que a "militância ateia", infelizmente. E para queles que dizem que ateísmo é uma forma de Religião, honey, don't: "Ateismo é uma Religião tão quanto abstinência é uma posição sexual". Prefiro mil vezes ouvir por horas a fio de um "militante ateu" do que um segundo da ladainha covarde de qualquer religioso. Não existe Big Daddy fora daqui. Caiam na real.

    ResponderExcluir
  12. http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-luta-de-madalyn-murray-o%E2%80%99hair

    Documentário sobre a história de Madalyn Murray O’Hair, a primeira ateia ativista dos EUA e, portanto, a mulher mais odiada de sua época. O documentário ainda fala sobre a morte dela e de sua família, a investigação e prisão dos criminosos.

    A história desta mulher deve servir como exemplo para o movimento ateu brasileiro, que tem de parar de frescuras, intrigas e coisas do tipo, para realmente se unir e lutar junto.

    ResponderExcluir
  13. nao pensava q tema religioso pegava tao fundo nos gays. afff

    ResponderExcluir
  14. Eu assim como vivia num mundo paralelo em relação a minha orientação sexual na adolescência, a ponto de me sentir gay mas não formalizar o conceito do termo para mim mesmo, repito a situação, mas agora com relação a crença religiosa. Não adianta querer me enganar como fiz antes, está na minha essência. Chega de ficar em cima do muro, sou ateu e pronto, todos os questionamentos que fiz desde criança só mostram que sempre fui mas não conseguia impor isso na minha vida. Porém sigo a "ideologia" agnóstica: vivo a vida numa boa e não me importo se existe ou não, apesar de sentir que não exista mesmo.

    E puxa Tony, achei que você fosse também pelo tom de seus textos com relação ao assunto e até uma vez você ter mandado jesus ou bíblia para as cucuias rsrsrs. Enfim, meu ponto de vista: acho que gays serem religiosos seja o cúmulo da incoerência (digo em relação as religiões tradicionais), o que é bem diferente da crença na espiritualidade (aparato abstrato dos seres, sem relação com divindades). Mas quem quiser crer ou seguir dogmas não me importa, desde que respeite quem não é assim. E para quem diz que militantes ateus são iguais a evangélicos, por favor guarde suas palavras para si, pois não sabe a merda que está dizendo.

    ResponderExcluir
  15. Só uma perguntinha: quantas vezes vocês foram parados na rua por alguém segurando um folhetinho dizendo: "O nada te ama"? quantas vezes bateram na porta da casa de vocês alguém com um livro do Dawkins dizendo: "Bom dia, você conhece o Nada"? alguém aí já viu um culto ao nada, numa igreja ateísta? Nenhuma, né. É claro, pois não existe proselitismo ateu como há entre os evangélicos. Religião tem que ter algo sobrenatural: que coisa sobrenatural um ateu que nega o sobrenatural crê mesmo? vamos usar a massa cinzenta aí no cérebro, não tem contraindicação não. Quanta à militância ateia, aquela de se organizar em associação e lutar pelos seus direitos, não só pode como deve ter. Ficar esperando os evangélicos meterem uma lei mandando os ateus para um campo de concentração não é uma boa ideia, os judeus também não ligaram pra Hitler no início e deu no que deu. O mesmo vale para a militância negra, gay, dos idosos, das crianças, dos deficientes, das mulheres etc.

    ResponderExcluir