quinta-feira, 7 de março de 2013

A MELANCIA FLAMEJANTE

Liberace fez tanto sucesso nos anos 50 que ganhou até um museu em Las Vegas. Depois foi tão esquecido pelas novas gerações que o museu fechou as portas recentemente. Dá até para entender: seu estilo musical era caretérrimo. Liberace tocava no piano versões floreadíssimas de peças clássicas e sucessos do momento, e não cantava nada. Mas falava pelos cotovelos: seu talento como showman era tão grande que seu programa de TV era o favorito das velhinhas. Se seu som caducou, o visual espalhafatoso que adotou na segunda metade da carreira é antepassado direto do look consagrado por Elton John (confira no vídeo abaixo o encontro dos dois). Apesar de toda essa flamboyance, Liberace jamais se assumiu gay. Nem mesmo quando já estava visivelmente debilitado pela AIDS: dizia que tinha emagrecido muito por causa da dieta da melancia, muito em voga na época. Morreu em 1987 e ressuscita agora em maio, quando a HBO americana exibir o telefilme "Behind the Candelabra" (sempre havia um candelabro magnífico sobre seu piano de cauda). O diretor é ninguém menos que Steven Sodebergh e os protagonistas são os quase irreconhecíveis Michael Douglas e Matt Damon, que gravaram muitas cenas de sexo. Tantas que o filme, originalmente concebido para o cinema, não encontrou distribuidor. Foi para a TV paga e, provavelmente, também irá para a glória nos próximos prêmios Emmy.

12 comentários:

  1. Que coisa mais escalafobética!!!! Eu lembro de alguns filmes com ele, suas roupas eram mais irradiantes que Las Vegas!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Tinha reconhecido Damon, mas já ia correr pro imdb pra saber quem era o Liberace - acho refrescante ver atores já considerados "consagrados" como Michael Douglas (aspas porque não o acho nada disso, mas enfim) fazendo papéis assim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Michael Douglas atuou em vários filmes de sucesso e entre outros prêmios, tem 2 Oscars: Um pela produção de UM ESTRANHO NO NINHO e outro como melhor ator por WALL STREET. Com certeza ele é um ator/produtor consagrado e do alto escalão, mesmo não sento tão talentoso como o pai, por exemplo.

      Excluir
    2. Sobre Michael Douglas, vale lembrar que ele não tem problema nenhum em interpretar gays, de fato parece ser simpatizante. Em Will&Grace ele fez o papel de um policial gay que dava em cima de Will.

      Excluir
  3. Acho beeem suspeita essa história que o filme não encontrou distribuidor. Cheiro de marketing no ar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não encontrou pelas cenas picantes gays. Estamos falando dos EUA, um país extremamente esquizofrênico, onde vários atores já cansaram de rejeitar papéis gays com medo da carreira afundar. Sean Penn, Willian Hurt e Heth Ledger (que muitos grupos religiosos afirmaram que merecia morrer por seu papel em BROKEBACK MOUNTAIN) são raras exceções.

      Excluir
    2. A sociedade americana é provavelmente a mais contraditória do mundo.

      Excluir
  4. Tony,

    O James Franco é gay ou simpatizante? Sim, porque lindo e fofo, eu sei que ele é.

    Bjo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simpatizante, com certeza. Gay... hmmm... Ele e o irmão (que gravou um víddeo onde ele come a si mesmo) me parecem pós-gays: já devem ter feito de um tudo, mas não se preocupam com rótulos.

      Excluir
    2. Hmmmmm.... sabe que eu sinto a mesma vibe nele? Pós-gay é uma definição plausível...

      Excluir
    3. Acho que o James Franco se declarou bissexual. Só sei que o acho, além de lindo, bom ator.

      Excluir
  5. KKKKKK, a cafonice levada ao extremo.

    ResponderExcluir