terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

ARROTO DE CRUSH

Ed Sheeran estourou na Europa há quase dois anos, mas só fiquei sabendo da existência do rapaz depois que ele teve seu primeiro sucesso indicado ao Grammy de melhor canção. De cabelos vermelhíssimos e pele quase transparente de tão branca, esse inglês de 22 anos participou anteontem da cerimônia de entrega dos prêmios ao lado de seu padrinho Elton John, num dos momentos mais fofinhos da noite. Sua música soa como um arremedo do insuportável James Blunt - só que as letras são ácidas. A badalada "The A Team", por exemplo, fala de uma garota drogada que vive nas ruas e que de beautiful não tem nada. Agora, bonito mesmo é "+", o CD de estreia do ruivo. Não é nenhuma revolução, mas todas as faixas são boas. Vamos ver se a qualidade se mantém: Sheeran já foi cooptado pelo showbiz mainstream, e está escrevendo hits para luminares como Taylor Swift ou One Direction. Melhor consumir antes que vença o prazo de validade. Seu disco é um bom antídoto para o prugurundum desse carnaval esquisito, sequestrado por tragédias e pelo papa.

3 comentários:

  1. One Direction é britânico também, não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, tem razão. Troquei o "americano" da frase por "mainstream", para não perder o sentido. Obrigado.

      Excluir