quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

AGORA EM NOVA EMBALAGEM

As declarações de apoio à renúncia do papa são de foder de dar risada. "Um ato corajoso", dizem os católicos devotos. Oi? Pelo menos um cardeal polonês teve o culhão de dizer que "da cruz não se desce" - e logo depois declarou que sua frase foi tirada do contexto etc. etc. Pois para mim esse papo de velhice não cola. Se estivesse tão caquético assim (e ontem vimos que ele não está), Ratzinger poderia ficar quietinho lá no Vaticano, sem viajar, aparecendo nas missas do galo e olhe lá. Mas parece que o que está em curso é mesmo um rebranding da Igreja. O grande defeito de Bento 16 é ser um velho antipaticíssimo, sem o carisma ou a fofura de seu antecessor. Por isto, aposto que o próximo papa será jovem (menos de 70 anos), bonitão, capaz de hipnotizar as massas com seu charme e veneno. Tudo para dourar a pílula, é claro, pois suas posições acerca de homossexualidade, celibato, ordenação de mulheres, aborto, camisinha e pílula serão as mesmíssimas do atual pontífice. Peter Turkson, o cardeal ganês, preenche todos esses requisitos, com o bônus de ser negro. Já tem neguinho por aí dizendo que ele defende a pena de morte para gays em Uganda, mas sua página na Wikipedia garante que não é bem assim: de fato, Turkson disse que "a intensidade da reação é proporcional à tradição", mas também que as sanções impostas por alguns países são exageradas. Ou seja: ele está mesmo no páreo.

15 comentários:

  1. Ah, não sei sabe. De repente ele só renunciou porque é alemão mesmo. Racional.

    ResponderExcluir
  2. O mio babbino caro
    Fico atemorizado ao imaginar os comentários que virão a seguir.
    O Brazil não é para iniciantes."Mergulhai, pensamentos, fundo, fundo na minha alma. Ali vem Clarence" (WS).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Brasil se escreve com S, não com Z.

      Excluir
    2. Esse pessoal aqui tem tara em querer corrigir um ao outro. É doença. Quem não sabe que Brasil é com S e Brazil no idioma " estadunidense cleycianico"é com Z otário.

      Excluir
    3. Pois é anônimo, ou bem se escreve em um idioma ou em outro, não acha ?
      Lamento mas não sei o que é idioma "estadunidense cleycianico".
      Acho que o otário aqui não sou eu.


      Severino.

      Excluir
    4. RAINDROPS ON ROSES AND WHISKERS ON KITTENS

      Excluir
  3. Como lá é tudo politicagem, vai ser um que seja do interesse deles!!! Só isso!!!! Pelo que vejo, daqui a algum tempo o Vaticano será apenas um museu nada mais que isto!!!!

    ResponderExcluir
  4. Tony, você deu destaque à mais branda das declarações, dá até pra ele desconversar e dizer que foi mal compreendido. Quanto a essas... "Nós [a Igreja] lutamos pelos direitos dos prisioneiros, os direitos dos outros; e a última coisa que desejamos fazer é infringir os direitos de alguém. Mas quando você está falando do que se chama 'um estilo de vida alternativo', estes são direitos humanos?" "Há uma sutil diferença entre moralidade e direitos humanos, e é isso que precisa ser esclarecido."

    http://www.ncregister.com/daily-news/cardinals-responds-to-u.n.s-criticism-of-africas-social-policies

    ResponderExcluir
  5. Te cuida, patuleia! As bees cultas estão invadindo o blog com suas citações shakespeareanas...ui!

    ResponderExcluir
  6. chega disso viado!!! que renunciem, que morram, se matem e se explodam! os católicos nunca se preocupam com nossas mazelas, então pq perder tanto,tanto tempo com a deles??? a verdade ficara a cargo da história contar,quanto algum explorador descobrir algum diário velho e empoeirado em algum porão perdido. noticia bombástica seria se ele abandonasse a igreja e fosse excomungado de resto no meio dessa corja vale tudo! duvidooooo um papa negro!!! próximo post..

    ResponderExcluir
  7. Até gostaria que o papa fosse negro, desde que ele não fosse de um país do continente africano, onde temos vários países que criminalizam a homossexualidade,em alguns casos punindo-a até com pena de morte. Não dá para esperar nada menos do que um papa ainda mais homofóbico que o alemão.

    ResponderExcluir
  8. Ao site “National Catholic Register”, o cardeal de Gana Peter Turkson tentou justificar o porquê da vontade de prender e matar gays e lésbicas na África seria compreensível: “A intensidade da reação (à homossexualidade) é provavelmente compatível com a tradição”. O cardeal ainda criticou a atitude do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, quando este pediu que o continente africano acabasse com a criminalização da homossexualidade. Para Turkson, defender os LGBT não é questão de direitos humanos. “Quando você está falando sobre o que é chamado de ‘estilo de vida alternativa’, são estes os direitos humanos? Ele [Ban Ki-moon] precisa reconhecer que há uma sutil distinção entre moralidade e direitos humanos, e é isso que precisa ser esclarecido.”


    Um papa que justifica a criminalização da homossexualidade e critica a defesa dos direitos humanos LGBT. Que ótimo hein! Vamos torcer para ser ele. Masoquismo? Imagina!

    ResponderExcluir
  9. Independente de quem seja, pois um vai ter que ser (in)felizmente, que seja alguém que ajude a ICAR ir cada vez mais para o buraco. Que as demais religiões sigam o exemplo e se enfraqueçam também. Afinal querer nações laicas na prática com elas tendo todo esse poder que ainda tem e sendo tão enraizadas nas sociedades, acho que é pedir demais.

    ResponderExcluir
  10. Ele me lembra aqueles pastores neopetencostais. #medo!

    ResponderExcluir