domingo, 6 de janeiro de 2013

CAÇA AO ELEFANTE

O Rio melhorou muitíssimo nos últimos anos em inúmeros quesitos, mas há um problema crônico tão renitente que eu suspeito até que esteja impregnado no DNA da cidade: a falta de sinalização. Talvez seja um sintoma da atitude marrenta dos cariocas, que se acham o povo mais cool do mundo e desprezam quem é de fora. "Se você não sabe o caminho, é por que você não é daqui - portanto, foda-se!". Placas, qunado existem, frequentemente estão colocadas logo após a saída que o incauto deveria ter tomado para chegar ao seu destino. Ontem sentimos na pele esse descaso, ao ficarmos dando voltas a esmo tentando encontrar a Cidade das Artes (que se chamava Cidade da Música e teve o nome alterado num rompante demagógico do prefeito Eduardo Paes, já que o lugar só está equipado para a música mesmo). "Encontrar" é força de expressão, já que se trata de um imenso elefante branco que domina a paisagem da Avenida das Américas, na Barra da Tijuca, mas quem disse que o acesso é fácil? Um labirinto de viadutos sempre nos levava para o lado oposto, e os poucos sinais luminosos, instalados às pressas para a ianuguração, estão soberbamente mal posicionados. Chegando lá, mais problemas: fizeram-nos estacionar a léguas do prédio principal, rentes a uma parede, e tivemos que correr pelos jardins inacabados para chegar menos atrasados à matinê de "Rock in Rio - o Musical". Aliás, "inacabado" é a palavra-chave: depois de dez anos em obras e quatro da inauguração atabalhoada por César Maia, o gigantesco complexo ainda não está pronto, e provavelmente nunca estará. É repleto de espaços mortos, passarelas que levam a lugar nenhum e espelhos d'água inúteis, num clima de monumentalidade estéril. Ainda tivemos que peitar uma funcionária que não queria nos deixar entrar na Grande Sala (admito, muito bonita) depois do início do espetáculo, mas nessa hora a marra da minha cidade natal me contaminou também. Soltei um "caguei" para ela e fomos para os nossos lugares. Sou carioca, pô, quero meu crachá.

8 comentários:

  1. O nome do lugar mudou, pois ficaria CM - Cesar Maia. Achei correta a mudança, pois ninguém merece ter o nome daquele uó estampado assim.

    Essa obra é vergonhosa...não precisa ser arquiteto para suspeitar que o projeto é grande demais, desproporcional, o que leva a crer que foi aumentado para torrar mais $.

    Falta de sinalização é um problema grave no Rio. E pior: muitas vezes a sinalização que existe é incorreta. O GPS sugerido pelo anônimo não é de grande confiança...só vejo caminhos malucos numa cidade com vários atalhos (túneis, mais precisamente), que são constantemente ignorados por esses aparelhinhos.

    Ué, mas por que estamos falando do Rio? Barra não é Rio de Janeiro. hahaaha brincadeira, jemt

    ResponderExcluir
  2. Sabe que eu olhei essa foto e pensei: realmente, esse edifício é uma homenagem estética ao elefante, mas por isso mesmo é original e belo...

    ResponderExcluir
  3. Elefante branco??? Mágina... :-/

    ResponderExcluir
  4. Quanto à falta de sinalização, eu sinto isso muito em Niterói... Sempre me perco quando vou pra lá...

    ResponderExcluir
  5. Quem é paulista, ainda que fake, não deve e não pode falar de dificuldade de circular em nenhuma cidade do mundo. Audácia!

    ResponderExcluir
  6. Imagina na Copa rsrs

    ResponderExcluir
  7. RIO DE JANEIRO JÁ ERA...

    ResponderExcluir