sábado, 22 de dezembro de 2012

XUXANDO OS MAIAS COM VARA CURTA

Se você estiver lendo este post, é porque o mundo não acabou ontem. Foi só o final do 14o. b'ak'tun, o ciclo de 396 anos do calendário maia. Para comemorar o início de uma nova era, estou indo com um grupo de amigos passar o Natal em pleno território maia. Mais precisamente, em Belize, aquele paiseco da América Central de que pouca gente ouviu falar. Incrustrado entre o México e a Guatemala, bem pertinho de Cancún, Belize era a antiga Honduras Britânica, e tem uma história curiosa. Seu território pertencia integralmente à Guatemala até meados do século 19, e era praticamente inexplorado. Aí a Inglaterra chegou e fez a seguinte proposta: aí, Guate, você tá muito presa, precisa se soltar mais. Que tal uma estrada de ferro em troca daquela pedaço de terra banhado pelo Mar do Caribe? Os chapínes toparam, os ingleses ganharam mais uma colônia e NUNCA construíram a tal da ferrovia. A disputa territorial durou mais de 100 anos, até os guatemaltecos reconhecerem oficialmente a existência do país - independente desde os anos 60, agora com o nome de sua maior cidade (e ex-capital), Belize. Vamos para uma ilha no meio da barreira de coral que percorre o litoral, a segunda maior do mundo depois da australiana. Espero que por lá pegue internet, telefone, TV a cabo, o básico. Porque, se faltar tudo isto, é sinal de que os maias venceram.

7 comentários:

  1. Acho que nenhum filme do James Bond teve uma única cena gravada em Belize, fato raro.

    Boa viagem, bom natal, boa Belize, boa ilha.

    ResponderExcluir
  2. Cuidado, pois Belize prevê pena de 10 anos de detenção para homossexuais. Também é oficialmente proibida a entrada no País.

    De resto, enjoy your trip!

    ResponderExcluir
  3. Que lindo esse post queridão! Aproveite!! Bjaum

    ResponderExcluir