terça-feira, 4 de dezembro de 2012

SORRIA, ELES ESTÃO SENDO FILMADOS

"O cidadão fez algumas ofensas à minha pessoa e à do meu amigo, e neste momento a gente agrediu, sem mais nem menos, e foi uma agressão normal, como qualquer tipo de agressão que acontece no trânsito de São Paulo". Epa, agressão "normal"? Isto para mim é o que disse de mais chocante o tal do Bruno Portieri, um dos brutamontes que agrediu o estudante André Baleeira ontem à noite aqui em São Paulo, em plena avenida Henrique Schaumann. Claro que dá para perceber que esta foi a maneira que Diego, sendo um tipo de poucas luzes, encontrou para afastar a suspeita de homofobia. Mas as palavras escolhidas por ele, sabendo que estava sendo filmado, revelam algo ainda pior: a concepção de que é normal partir para cima de alguém no meio da rua, ainda mais se estiver em vantagem numérica (Bruno foi acompanhado pelo personal trainer Diego Mosca, ainda maior do que ele). Em outro momento, achando que falava em off, o covardão disse outro despautério: "Ele mexeu com as pessoas erradas no lugar errado no momento errado, e foi agredido. Aprende: nunca mais mexe com ninguém na vida" (André na verdade xingou-os de volta quando foi xingado por eles). Esses dois montes de estrume em forma de músculo mostraram que o cérebro realmente não é seu ponto forte, pois se esqueceram que muita gente tem smartphone hoje em dia, podendo gravar tranquilamente tudo o que se passa. Sem falar nas câmeras de vigilância e nos perfis do Facebook - sim, os dois panacas estão lá, mas já bloquearam suas contas. Bestalhões como estes não percebem que o mundo mudou não só na cabeça das pessoas, como também na tecnologia: as merdas que fazem e dizem são facilmente registradas para a posteridade. Dá vontade de rir na cara dos manés.

(assista aqui à reportagem da Band sobre o assunto, e aqui a da ungida 'emissoura' Record, cujo apresentador se escandaliza por ainda existir ho-mo-fo-bia no mundo. Como é que pode uma coisa dessas?)

33 comentários:

  1. Tony, existe fisioculturista hétero?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Outro preconceito?

      Excluir
    2. Senhor Jôka sou fisioculturista e hétero, cuidado com suas palavras, ou você esqueceu o que acabou de ler ai em cima? Duas pessoas estão sendo presas por preconceito igual ao seu! Esses dois merdas são da academia que eu frequento, e lá treinam gays e héteros sem nenhum preconceito, eles não fazem isso lá dentro porque são uns merdas e sabem que lá eles que iriam sofrer. Bater em mulher ou em pessoas mais fracas é uma atitude covarde. Eles provaram mais ainda pra mim que não valem nada pois se brigam com alguém do porte físico deles de igual pra igual mesmo sendo uma atitude errada é mais aceitável. Enfim senhor Jokâ respeite o direito de escolha de cada um!

      Excluir
  2. A quem argumente que não é necessária a aprovação da Lei Anti Homofobia por que já existe leis que definem crimes como lesão corporal, injúria, ameaça, etc. Esquecem eles que ninguém é insultado, discriminado, demitido ou excluído de um processo seletivo para emprego, ninguém sofre agressão física ou é assassinado no Brasil pelo simples fato de ser heterossexual. Já os gays enfrentam tudo isso, apenas por serem o que são, isso porque não existe legislação específica para tipificar crimes contra essa minoria. Da mesma forma que era corriqueiro para qualquer branco insultar um negro antes da Lei Anti Racismo e para um marido agredir sua esposa antes da Lei Maria the Penha, atualmente é muito fácil para grupos de rapazes insultar e agredir um homossexual na rua, pois eles sabem que não serão presos por esse tipo de agressão. Agora se o insulto for a um negro ou agressão a uma mulher, o criminoso será preso e isso faz com que esse tipo de crime diminua a cada dia. Legislação igual para grupos que são tratados de forma diferente não é justa. Os gays são uma minoria desprotegida no Brasil, por isso a Lei Anti Homofobia é tão necessária e urgente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí. Éstá na hora de fazer algo efetivo.

      Excluir
    2. Estamos vivendo um momento impar de nossa história.
      Podemos lutar, levantarmos nossa voz, de nos indignarmos e irmos fazermos algo.
      Está na hora de um protesto de verdade.
      Está na hora de darmos um basta a esse ódio infantil, ultrapassado e descabido contra os gays.
      Está na hora de não se conformar mais com o que dizem da gente, do modo como falam com a gente, do quanto zombam da gente. Está na hora mandarmos essa gente ir tomar no olho do cú.

      Excluir
  3. Vale a pena seguir o caso. Saber o que vai acontecer e como serão julgados. Fazer pressão, tirar fotos, enfim, não deixar a peteca cair. Pois sem esse 'castigo' muitos fortões vão achar que tudo continua igual. Enfim, algo como a marcha na Paulista, há aproximadamente 2 anos atrás. Vamos lá. É isso, ou mais daquilo.

    ResponderExcluir
  4. E cara de passiva dessa gay enrustida? Aff vai dar a bunda fia e para de ser loka!

    ResponderExcluir
  5. O facebook de ambos continua válido.

    PERFIL DO AGRESSOR DIEGO NO FACEBOOK
    https://www.facebook.com/diego.mosca.18

    PERFIL DO AGRESSOR BRUNO NO FACEBOOK
    https://www.facebook.com/bruno.portieri

    Já está rolando uma campanha no facebook.

    ResponderExcluir
  6. os homofóbicos vão dizer que não existe homofobia, que o menino apanhou da mesma forma que qualquer um, hetero, mulher, negro etc., sofre agressões cotidianas. Mas é por isso que eu não gosto do termo "homofobia", e prefiro "crime de ódio". O que estas musculosas cometeram é um crime de ódio, que não tinha motivo algum senao o ódio, e isso tem que ser tipificado como tal. Não é uma agressão comum, do tipo que o resto da população sofre, pois os gays também são vitímas de todos os tipos de agressões comuns (assalto, etc.) e MAIS ESTE tipo especial, direcionado apenas aos gays, e que ninguem que seja hetero corre um risco significativo de sofrer (tirando aquela historia do pai que apanhou porque estava abracado com o filho).

    Mas claro que isso não vai dar em nada, logo logo vem o Malafaia dizer que foi só "liberdade de expressão".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Homofobia é um termo estranho... Fobia quer dizer que vc tem medo de alguma coisa. Quem é 'homofóbico' não tem medo de gays. É apenas um idiota.

      Excluir
  7. Revoltante viu esses dois idiotas que malham o corpo e tem cérebro de ameba, agredir o rapaz, claro que ele reagiu não tem sangue de barata, o melhor para estes idiotas que agrediram o rapaz e que eles levassem uma bela surra.E na cadeia.

    ResponderExcluir
  8. O pior é que conhecia o Bruno, estudava na mesma sala que ele na aculdade Unip, ele estava cursando Logística, na sala sempre foi uma pessoa calma e prestativa, realmente as aparencias enganam, pois não passa de um troglodita, nunca imaginei que fosse capaz de tamanha crueldade, espero que fique um tempinho no CDP pra refrescar as idéias.

    ResponderExcluir
  9. O Ivan levantou um questão muito importante. O termo homofobia está muito desgastado por vários motivos, desde exposição equivocada na mídia, discussões de cunho religioso que não levarão a nada e até mesmo o uso indevido e exagerado do termo em alguns casos. Um passo importante para aprovar uma legislação que proteja os gays, seria deixarmos de lado o termo homofobia e passarmos a difundir o termo discriminação, incluindo assim outras minorias que também são vítimas de injúria, agressões gratuitas e desrespeito, como deficientes, obesos, imigrantes, favelados, nordestinos, etc. Se falarmos em uma Lei Anti Discriminação ficará muito difícil para a bancada evangélica se opor a algo que protege as minorias de bullying, agressão física, etc. Qual seria a justificativa deles? Que os gordinhos não entrarão pelo porta do céu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A agência de notícias Associated Press, dos Esrtados Unidos, acabou de banir o termo "homofobia". Eles alegam que o termo é incorreto, pois não se trata de uma fobia no sentido clínico - um medo irracional, praticamente uma doença mental, como a claustrofobia ou a aracnofobia.

      Mas o jornalista gay Michelangelo Signorile, um dos mais influentes de lá, foi contra. Ele disse que o termo é mesmo pouco acurado, mas então deveria ter sido trocado há 20 anos, quando entrou em circulação. Sumir com ele agora é fazer o jogo dos homofóbicos, que aliás alegam que a homofobia não existe.

      A Associated Press quer usar "anti-gay" no lugar de homofobia, que também é um termo forte - e que os anti-gays de verdade certamente também refutarão, dizendo que não são "anti", apenas não "concordam" com os gays (tentando reemoldurar seus preconceitos como uma simples questão de opinião).

      Aqui no Brasil, a palavra "homofobia" acabou de "pegar". Acho cedo para trocá-la. Fico com ela, inclusive pelo terror que inspira no coração dos homofóbicos.

      Excluir
    2. Precisamos definir quais são os objetivos do movimento: Brigar e causar terror, mesmo que isso não nos traga nenhum benefício ou conquistar direitos usando uma estratégia eficiente. Precisamos amadurecer o debate!

      Excluir
    3. Na Europa tb a AP saiu com esta recomendacao de nao usar homofobia e sim anti-gay pelos mm motivos que vc expos acima.
      Real/te precisamos debater isso com urgencia!

      Excluir
  10. Olá Tony! Leio a sua coluna no F5 e nem imaginava que você tinha um blog também. Aceita parceria? o meu blog é o www.dslblog.blogspot.com
    Abraço

    ResponderExcluir
  11. Tony, desculpe-me ser repetitivo, ja falei isso aqui algumas vezes e repito: no dia que os gays de Sao Paulo fizerem como os da Farme no Rio e colocarem esses pitibulls pra correr na força, no grito, isso nao acontece mais. Esses musculos tem que servir pra alguma coisa alem de "status de boite"!

    Até Jesus "rodou a baiana" no Templo e saiu gilletando todo mundo.

    Chega de ficar achando que isso é problema dos outros, isso é problema nosso! De gays, amigos de gays, filhos de gays, pais de gays, irmaos de gays, irmaos de gays... seres humanos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos montar a Barbie's Superleague e sair por aí dando o troco nos playboys espancadores.

      Excluir
  12. E as duas têm trocentas amiguës em comum comigo. UY!!!!

    Aliás, com essa papada, devem estar fazendo ornitologia na academia, mas não malhando.

    ResponderExcluir
  13. e o laquê no cabelo, ai meus sais!!!!

    ResponderExcluir
  14. o que mais me irrita é a diferença de tamanho e a quantidade de envolvidos, COVARDES essa é a melhor palavra que define, pq nao tentao acreditar um cara do tamanho deles e mano a mano, eu no lugar desse rapaz alem da acao penal , entrava com uma acao civil e pedia danos morais, um valor bem alto para doer no bolso desses covardes.

    ResponderExcluir
  15. NINGUEM APANHA DE GRACA ! APRENDE LEI DA VIDA ! VOCE NAO VIVE EM UM MUNDO DE FANTASIA !!! SE FOSSE NEGRO SERIA POR RACISMO SE FOSSE JAPONES POR ETNIA! APRENDE A TIRAR SUAS CONCLUSOES ! NAO TO FALANDO QUE ELES TAO CERTO! MAIS FOI CRITICAR POR HOMOFOBIA ? RIDICULO, BANDO DE ALIENADO OTARIO !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, um homofóbico covarde! Não tem coragem de mostrar a carinha nem de assinar o nome... Somos muito mais machos que esse mané, coitado.

      E também é burro, coitado. Se fosse japonês apanharia por "etnia"? Oi?

      O estudante foi agredido por homofobia SIM. Foi xingado de viado, à toa, xingou de volta e apanhou. Lide com isto. E vai aprender a ler, escever e a ser gente, seu babacão.

      Excluir
    2. Uhmmm... Outro enrustido, gente! E covarde porque nem pra assinar. Assim, nas sombras, é fácil ser macho.

      Excluir
    3. Vai dar o brioco na esquina que é o que você tem vontade de fazer e não tem coragem. Enrustido covarde!

      Excluir
  16. E essa sobrancelha feitinha?! Uhmmm... BOIOLA!

    ResponderExcluir
  17. Esse caso pode se tornar um marco nos crime de homofobia:

    Os acusados serão processados na esfera administrativa na Lei Estadual Anti Homofobia e poderão ser condenados a pagar multa que varia de 1.000 Ufesp´s (R$ 18 mil) a 3.000 Ufesp´s (R$ 54 mil). O processo será julgado por uma comissão processante que, desde 2001, já julgou mais de 260 denúncias de homofobia. De acordo com a coordenadora de Políticas para a Diversidade Sexual, Eloísa Gama Alves, a Secretaria da Justiça já está acompanhando o inquérito policial aberto contra os dois estudantes, por tentativa de homicídio, e deverá acompanhar o caso também na esfera judicial. Eloisa Gama disse que, mesmo antes de o Congresso se posicionar sobre o projeto de lei que por lá tramita com o objetivo de criminalizar a homofobia, "os agressores precisam saber que o Estado de São Paulo não admite este tipo de violência e pune os responsáveis". A coordenadora conta que, embora a lei complete 11 anos em 2012, muitas pessoas ainda não sabem de sua existência. Entretanto, aponta que o número de processos instaurados em 2011 (63 processos) foi quase o dobro daqueles abertos em 2010 (33), o que mostra que São Paulo tem intensificado o combate à homofobia.

    Não sabia da existência dessa lei! Vamos divulgar, saber mais sobre ela e sobre a Eloísa Gama.

    ResponderExcluir
  18. Obrigado e desculpa (André Baliera)
    http://www.youtube.com/watch?v=BgzJKI-lYdI&feature=autoshare

    ResponderExcluir
  19. Tony, Você vai no churrascão das cabras? https://www.facebook.com/events/225379997595284/

    ResponderExcluir
  20. E a juíza já descaracterizou a tentativa de homicídio. Ao menos vão passar o final de semana no Cadeião de Osasco, lugar onde nem as que "adoron perigoon" gostaria de passar uma noite sequer.

    ResponderExcluir