segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

O SENHOR DOS ELÁSTICOS

Onze anos e três longas horas depois do primeiro "Senhor dos Anéis", emerge uma certeza dentro de mim: já deu, né? "O Hobbit - Uma Jornada Inesperada", o aguardado prequel à trilogia que conquistou o mundo no começo da década passada, é mais do mesmo. Ou melhor, do mesmo não, pois é bastante inferior aos outros filmes. Não em termos de produção, é óbvio: assiti em IMAX 3D e é tudo absolutamente espetacular, das barbas dos anões às inevitáveis cenas de batalha. Mas não tem a grandeza espiritual da obra máxima de J. R. Tolkien, inclusive porque o próprio autor queria assim: "O Hobbit" foi concebido como um livro mais simples, voltado ao público infantil. Mas depois de duas temporadas de "Game of Thrones" é esquisito voltar a este universo de fantasia onde não existe nem a sexualidade nem a dubiedade: os elfos são bons porque nasceram elfos, os orcs são maus porque nasceram orcs e assim por diante. O pior é que a ganância dos produtores desdobrou este pequeno volume em TRÊS longuíssima-metragens, esticando um fiapo de história como se ele fosse um elástico. O resultado é que este primeiro episódio é pouco mais que uma sequência de correrias, com os heróis fugindo de todo tipo de monstro (tem até dois gigantes de pedra que lembram o Pão de Açúcar depois de algumas doses de whisky). "O Hobbit" só cresce quando surge o Gollum, já perto do final. Este sim é um personagem trágico (além de engraçadíssimo), numa atuação magistral de Andy Serkis que já teria ganho um Oscar - não fosse pela "maquiagem digital" que cobre o ator.

20 comentários:

  1. Acho que a sexualidade está no simbolismo do Hobbit. Às vezes quanto menor a altura, maior a...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. uhummmmmmmm continua sonhando com paus mas ainda não tem um para chamar de seu, não é ?

      Excluir
    2. Tô ignorando todo mundo no Grindr. Sem paciência pra sexo casual.

      Excluir
    3. Então tá bom então... compra um dildo. Ele não vai reclamar da sua cara.

      Excluir
    4. Você acha mesmo que reclamam da minha cara? Querem fazer sexo comigo na mesma hora. Só que eu não vejo graça nisso, de verdade...já passou essa fase. Tem gente que com 30, 40 anos na cara ainda tá nela.

      Excluir
    5. Olha só, tão requisitado para fazer sexo com um bando de gente desesperada que trepariam até com um posto. Que lisongeiro, só que não.



      Excluir
  2. Deixa de ser rabugento!!!! :-)

    ResponderExcluir
  3. Não consigo imaginar o livro O Hobbit dividido em três filmes. O Silmarillion seria uma ótima opção pra trilogia. Vai entender como eles decidem essas coisas.

    ResponderExcluir
  4. Já leu os contos inacabados? Eles vão conseguir fazer uns 30 filmes!! E vai ter público!!! kkkk!!! Um beijo, seu leeendo!!! Já chegaste de NYC??

    ResponderExcluir
  5. Não é meu estilo de filme, então prefiro não opinar. Só lembro dos fade outs infinitos no final do 3º filme e eu pensando "é agora, vai acabar", só que não.

    ResponderExcluir
  6. A "obra máxima" de Tolkien nasceu justamente como continuação do "Hobbit"... Por causa deste, foi encomendada uma nova sequência e então Tolkien criou uma obra mais extensa(não teria ele mesmo sido o primeiro a esticar o conto dos hobbits?).

    Logo... chega a ser chato ver tanta gente torcendo o nariz por esticarem o livro em três partes nas telas... Eu chego a ficar indignado quando ouço alguém dizendo "é um livro curto... li em poucas horas..."... Porra! Ninguém para pra imaginar as cenas? As paisagens? As descrições? Então porque não pegam um resumo logo?

    E outra: "SdA" é uma ponta do iceberg da obra de Tolkien. É meio forçado dizer que é a que tem a maior "grandeza espiritual" quando se tem a série de Silmarillion, cuja compilação em um único volume foi exigência do próprio autor...

    ResponderExcluir
  7. Pois eu como fã e LEITOR das obras de Tolkien, adorei o filme.
    Muito detalhado e com as várias passagens do livro.
    Excelente filme.

    ResponderExcluir
  8. Achei uma chatice sem fim! Não entendo como tem tanto punheteiro que adora essa série.

    ResponderExcluir
  9. Looooooooooooooooooooooooooongo e chato até a última raiz dos cabelos.
    Comida velha requentada.
    Só se salva a batalha de charadas entre o Smeagol e o Hobbit.

    ResponderExcluir
  10. Eu quero saber onde rola a IDENTIFICAÇÃO com os personagens e as situações vividas, tão importante no cinema. Sò isso.

    ResponderExcluir
  11. vc reclama, reclama e reclama e depois que sair a sequencia vc vai la e assiste do mesmo jeito ( vc fez isso com aquele merda de crepusculo)

    ResponderExcluir
  12. Não sabia que para apreciar uma obra qualquer - filme, livro, música, peça de teatro, seja lá o que for - você precisa identificar-se com personagens e situações. É fechar-se muito no próprio mundinho...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode dar um desconto, ele é novinho e não viveu o suficiente.

      Excluir
  13. É verdade. Fui muito ranzinza com o menino...

    ResponderExcluir