sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

MEUS DISCOS DE 2012

Partiu retrospectiva. Vou começar pela música, onde já cheguei num consenso comigo mesmo. Como em todos os anos deste blog, comprei menos CDs e baixei mais músicas que no ano anterior. O fato estranho é eu AINDA comprar CDs, apesar das lojas estarem sumindo mais rápido que o pássaro dodô. Mais estranho ainda é eu AINDA não ter comprado absolutamente nada na iTunes Store - justo eu, que sou teleguiado pela Apple. Então lá vai uma resolução para 2013: comprar na iTunes Store. E lá vão os meus cinco discos favoritos do ano, em ordem decrescente. Para variar, a lista é dominada pelo mulherio:

TREME, Gaby Amarantos - A Beyoncé do Pará foi revelada para o resto do país no final de 2011, e nunca mais saiu da mídia. Houve dias em que parecia estar em todos os canais de TV ao mesmo tempo. Mas o hype é justificado: além de ter um vozeirão e ótima presença no palco, Gaby produziu um disco onde borra as diferenças entre o brega e o cult. É o som de um Brasil moderno, orgulhoso das raízes e querendo ir às compras.

VOWS, Kimbra - Todo mundo ouviu a voz cristalina dessa cantora da Nova Zelândia no megahit "Somebody That I Used to Know", ao lado do belgo-australiano Gotye, mas poucos descobriram seu sensacional CD de estreia. A moça ainda é uma compositora incrivelmente original, com músicas que soam como anjos embriagados. Para mim, Kimbra foi A novidade internacional do ano. Vocês prometem que vão prestar mais atenção nela no futuro?

COEXIST, The xx - E por falar em prestar atenção, eu finalmente me dei conta da existência da banda inglesa The xx, com apenas três anos de atraso. Me apaixonei por este segundo disco deles e corri para comprar o primeiro. Delicado, melancólico, perfeito como música de fundo ou para um mergulho no inconsciente. Só não recomendo ouvir sem parar, sob o risco de entrar numa fossa daquelas de que a gente só sai a doses de J.Lo.

KAAS CHANTE PIAF, Patricia Kaas - Adoro essa francesa desde que ela surgiu no final dos anos 80, cantando um pop sofisticado com sua voz meio rouca. Este ano ela se jogou num projeto arriscadíssimo: regravou os sucessos de Edith Piaf. E conseguiu a façanha de tanto prestar homenagem aos originais como recriá-los à sua maneira, com arranjos suntuosos do maestro Abel Korzeniowski. Époustouflant.

MDNA, Madonna - A tia entrou nesses Top 5 mais pela fraqueza da concorrência do que por mérito próprio. Até que ousou bastante em faixas como "Gang Bang" e "I'm Addicted", que flertam com o dubstep. Mas podia ter ousado mais, para justificar seu título de rainha. E já passou da idade de cantar travessuras como "Give Me All Your Luvin'". Mas sua apresentação no Super Bowl e sua turnê mundial mostraram quem é que (ainda) manda.


Para não acharem que eu só ouço deevas beeshas, vou citar outros dez discos de que gostei muito em 2012, agora em ordem alfabética:

THE ABBEY ROAD SESSIONS, Kylie Minogue
BORN TO DIE, Lana del Rey
ECHOES, Will Young
ELLES ET LUI, Alain Chamfort
ELYSIUM, Pet Shop Boys
LÍDERES, Wisin & Yendel
MAGIC HOUR, Scissor Sisters
THE ORIGIN OF LOVE, Mika
QUINTO, António Zambujo
VENGEANCE, Benjamin Biolay

E meus hits do ano? Nesta categoria não sigo apenas meu gosto pessoal, mas também o que tocou sem parar e mesmo assim não me fez gritar de pavor. É por isto que o primeiríssimo lugar foi para o senhor aí ao lado. Oppa!


GANGNAM STYLE
, PSY
PARTY FOR EVERYBODY, Buranovskyie Babushki (do Eurovision)
VEM DANÇAR KUDURO, Robson Moura e Lino Krizz (você sabe de onde)
SOMEBODY I USED TO KNOW, Gotye feat. Kimbra
GIRL GONE WILD, Madonna
HISTORY IS MADE AT NIGHT, Megan Hilty & Will Chase (da série “Smash”)
ZOU BISOU BISOU, Jessica Paré (da série “Mad Men”)
LET’S HAVE A KIKI, Scissor Sisters
ALGO ME GUSTA DE TÍ, Wisin & Yendel feat. Chris Brown
A MORENA, Mu Chebabi & Luiza Casé (da novela “Gabriela”)

Sinta-se livre para discordar das minhas escolhas, e também para sugerir preciosidades que eu deixei escapar. The ear has to travel.

8 comentários:

  1. Cadê Norah Jones?? O melhor disco do ano!!

    ResponderExcluir
  2. Motel, da Banda Uó. Pop brasileiro ainda vive.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse eu comprei, e gostei muito. Só não entrou nos meus Top 15.

      Excluir
  3. Esqueceu do " ai se eu te pego", que elegi como hit do ano. E " call me maybe", a praga do ano.

    ResponderExcluir
  4. Respostas
    1. Comprei o disco, gostei mas não adorei (rap não é a minha praia), e acabou ficando de fora dos meus Top 15. Vou escutar com mais atenção.

      Excluir
  5. Ainda não consigo engolir Gaby Amarantos. Acredito que seja pela falta que faz um bom compositor. E olha que gosto de Calypso, Reginaldo Rossi e muitas outras breguidades...

    Gangnam Style a meu ver merece a framboesa de ouro musical de 2012. Chega a doer no ouvido... Eu teria trocado por Call Me Maybe, como bem lembrou o anônimo acima.

    ResponderExcluir
  6. baixei o mdna e 5 dias depois deletei, deixando apenas masterpiece. não tive paciência para ouvi lo. dos listados, apenas conheço (e como conheço) o interessantissimo Born to die e Born to die paradise edition da Lana del rey

    ResponderExcluir