domingo, 30 de dezembro de 2012

A BOA MOÇA E A MULHER DE MALANDRO

Kylie Minogue ainda tem voz e atitude de garotinha, mas já tem 44 anos de idade e 25 de carreira. Para comemorar esta última efeméride, ela acaba de lançar "The Abbey Road Sessions", onde regrava seus maiores sucessos acompanhada por uma orquestra. Não chega a ser um "Acústico MTV" porque há guitarras elétricas aqui e ali, mas o resultado é bem diferente da sonoridade dance a que ela nos habituou. Babas manjadas de repente se despem dos teclados eletrônicos e se revelam composições delicadas, com Kylie cantando melhor do que nunca. Que ela é de fato boa cantora, já tinha conferido ao vivo. Em 2008, quando fez show em São Paulo, o público pediu por "Come Into My World", que não estava no setlist, e a moça não se fez de rogada: mandou acappella mesmo, com potência e afinação surpreendentes. Este novo disco - que vem numa edição luxuosa, com capa dura e álbum de fotos - não vai conquistar novos fãs, mas é um presente para os antigos. Aí acima está o vídeo da única inédita, "Flowers"; para uma amostra do resto, clique aqui. E aqui tem um breve making of do projeto.

Enquanto Kylie assume tranquilamente a persona de senhora bem-comportada, outra diva pop segue no caminho oposto. Rihanna está transcendendo o rótulo de mera periguete: em seu novo disco, "Unapologetic", assume com garbo a coroa de mulher de malandro, aquela que gosta de apanhar. Depois de levar uma surra do então namorado Chris Brown alguns anos atrás, gravado um disco de desabafo e se tornado meio que um símbolo da luta contra a violência doméstica, Ri-Ri fez o impensável: reatou com o homem que lhe bateu. E não pede desculpas por isto, como diz o título do CD. Junte-se a isto o fato dela não ser exatamente uma rapariga de fino trato, e sua imagem fica mais vulgar que a de Valesca Popozuda (com alguns milhões de dólares a mais em cabeleireiro e esteticista, é verdade). Mas o disco até que é bom: Rihanna tem lançado um trabalho novo por ano desde 2009, e nunca deixou a peteca cair. Fora que a melhor faixa, além do ultra-tocado single "Diamonds", é "Nobody's Business", uma parceria da vítima com seu algoz (que possui inegável talento, convenhamos). Se este for o preço para produzir boa música, Rihanna bem que pode aguentar mais uns sopapos.

Um comentário:

  1. Rihanna é mais uma mina de ouro da Universal/Def Jam Recordings. E a Kylie é simplesmente tudo de bom.

    ResponderExcluir