sábado, 3 de novembro de 2012

POR BAIXO DESSA ROUPA EU ESTOU NUA

Qual o sentido da vida? O que acontece após a morte? Por que motorista de táxi nunca tem troco? Estas são questões eternas, que a humanidade faz a si mesma desde a aurora dos tempos. Também existem as questões transcendentais da modernidade, que só começaram a ser feitas agora. Por exemplo: um homem pode se vestir de mulher e continuar sendo hétero? Parece que o cartunista Laerte tentou, mas não deu muito certo. Agora é a vez do enfant terrible do cinema canadense arriscar uma resposta. "Laurence Anyways" é o terceiro filme de Xavier Dolan, que estourou aos 18 anos com o excelente "Eu Matei Minha Mãe". Era bom porque talvez fosse autobiográfico; aqui ele se mete a falar de assuntos que seus atuais 23 anos não lhe autorizam a conhecer, e se dá muito mal. Apesar das longuíssimas três horas de duração,nenhum dos temas é explorado a contento. O delicioso Melvil Poupaud não convence um segundo sequer como transgênero: usa roupas femininas com a mesma graça e leveza de um homem hétero vestindo a saia da mulher num bloco de carnaval. Seu amor pela esposa tampouco é crível. Os dois não têm a menor química, e nem teriam por que ter - ela é uma puta duma chata. Há muitos momentos interessantes, um pouco de excesso na direção de arte e boas canções oitentistas na trilha sonora, mas nem isto salva "Laurence Anyways" do desastre. Ainda bem que Xavier é jovem e pode aprender com seus erros.

4 comentários:

  1. Que pena.
    Eu matei minha mãe tem bons momentos mas não acho isso tudo não, já Amores Imaginários, é um dos meus filmes favoritos.
    Irei conferir de qualquer forma.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, eu li hoje um artigo muito impressionante sobre esse assunto. Na verdade é um trecho do livro da esposa de um inglês que resolveu virar mulher. Claro que é só o lado dela, mas fiquei com um sentimento misto. Dá pra sentir o rancor nas palavras dela. A parte que mais me tocou foi quando ela pediu pra ele dar "apenas mais alguns anos de infância para as crianças", sabendo que o fato dele virar mulher iria aalar muito os três filhos (um era bebê ainda). Muito tocante o depoimento dela. A gente sempre tenta entender o transexual e acho que deve ser assim mesmo, mas essa história de casar, ter filhos e depois resolver mudar de sexo é complicado. Sei lá. Simpatizei com a mulher. Por mais que seja rancorosa.

    Segue o link. Vale a leitura:

    http://www.guardian.co.uk/society/2012/nov/02/my-husbands-sex-change

    ResponderExcluir
  3. Se puder elabore:
    Por exemplo: um homem pode se vestir de mulher e continuar sendo hétero? Parece que o cartunista Laerte tentou, mas não deu muito certo.
    Como assim "não deu muito certo" ? O que teria dado certo nesse caso ?

    Pelo que entendi do filme ( não o vi ) ele é crossdresser não transgênero.

    ResponderExcluir
  4. filmes de 3 horas andam me cansando. acho que se tu não consegue passar a mensagem em 90 minutos há algo de errado.

    ResponderExcluir