terça-feira, 6 de novembro de 2012

O ATRASO DA VANGUARDA

Os Estados Unidos são a mais antiga democracia em funcionamento no mundo. Foram a primeira república fundada sob a influência dos ideais iluministas, mais de uma década antes da Revolução Francesa. E ao longo de mais de duzentos anos de existência, tiveram uma única constituição - bastante emendada, é verdade, mas ainda a mesma de 1776. Têm um sistema extraordinariamente estável, apesar das eventuais turbulências: nunca sofreram um golpe de estado ou uma ditadura militar, algo de que nenhum de seus vizinhos na América Latina pode se gabar. Este modelo bem-sucedido gerou inúmeras imitações e funciona bastante bem até hoje, garantindo um equilíbrio entre os três poderes ("checks and balances") que impede que um deles se sobreponha aos outros. Mas claro que é imperfeito. Tem muitos arcaísmos embutidos, dos quais o mais evidente é o Colégio Eleitoral. As eleições para presidente não são diretas: cada estado tem direito a um determinado número de votos nesse colégio, proporcional à sua população. Em 48 deles, o vencedor do pleito no estado leva todos os votos (as exceções são Maine e Nebraska, que dividem proporcionalmente seus votos). Quatro vezes houve discrepâncias com o voto popular - três delas ainda no século 19, mas a última, em 2000, abriu feriadas que ainda não cicatrizaram. Bush perdeu nas urnas e só levou a presidência porque a Suprema Corte, dominada por juízes indicados por presidentes republicanos, suspendeu a recontagem na Flórida quando sua vantagem era de pouco mais de 500 votos. Na época achei que a indignação popular levaria a uma nova emenda constitucional, abolindo esse dinossauro setecentista. Mas a maioria dos americanos acha que sua constituição tem origem divina e não pode ser reescrita a toda hora, o que evidentemente também tem suas vantagens. Hoje existe o risco de, mais uma vez, este sistema antediluviano provocar um impasse. Além do mais, a maneira de votar não é padronizada: há urnas eletrônicas, papéis que precisam ser perfurados e até mesmo lugares onde só se vota pelo correio, como o estado de Washington. Tenho inveja de alguns avanços em vigor por lá, como o voto não-obrigatório ou o voto antecipado. Mas ainda prefiro as eleições brasileiras, com segundo turno (o que sempre legitimiza os resultados) e totalmente digitalizadas, com resultados anunciados no mesmo dia. Coitados dos gringos...

28 comentários:

  1. Os EUA são a mais perfeita "ditadura militar" que existe. Um país com a grana que tem e não tem nem um SUS, mas torra TRILHÕES em brinquedos de guerra?

    O último Presidente que ousou achar que poderia se contrapor ao Pentágono acabou com os miolos espalhados pelo capô.

    Democracia? sei...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh Lord... petista identificado!

      Excluir
    2. Cada país com suas prioridades, não é mesmo? Infelizmente não existe outro país para exercer o papel que os EUA tem. A China poderia, mas prefere exercer seu poder corrompendo seus alvos.
      Do ponto de vista periférico do Brasil, o fato de os EUA torrarem dinheiro com guerra é visto com inveja e medo, já que o próprio Brasil sente suas próprias ambições ameaçadas. Mas inveja brasileira a parte, essas ações militares são votadas em congresso/senado, o que constitui uma democracia.

      Excluir
  2. Tony, entre o sistema eleitoral caótico americano e a nossa história democrática capenga eu fico com o caos dos gringo!

    ResponderExcluir
  3. Ontem vi que é possível votar até por e-mail!

    ResponderExcluir
  4. Não há o que discutir: o sistema eleitoral brasileiro é muito mais justo e eficaz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Justo com certeza por ser uma eleição direta.
      Mas será eficaz mesmo? Um sistema eleitoral onde se proliferam micro partidos e candidatos folclóricos precisa ser repensado.
      Não confunda eficácia com eficiência. A eficiência eleitoral brasileira realmente é benchmark para qualquer país, saber o resultado da eleição no dia seguinte é um marco que poucos países conseguem. Mas a eficácia é discutível, vc tem um sistema eficiente que recebe lixo como matéria prima e solta lixo como produto final (garbage in/garbage out).

      Excluir
    2. Me expressei mal, estava me referindo só a apuração dos votos/organização das eleições de forma geral. O resto, de fato, é um carnaval.

      Excluir
    3. O resultado da reeleição de Obama saiu rápido o suficiente pra calar a boca de gente boboca que se acha expert em tudo. Credo, quanta baboseira essa gente escreve só pra fingir que é culta.

      Excluir
    4. Achar que só no Brasil tem candidatos folclóricos é uma verdadeira ignorância. E também existem vários micro partidos. a diferença é que os partidos Democrata e Republicano são gigantescos. Alguém por aqui gostaria que a disputa do poder no Brasil ficasse sempre entre PT e PSDB e todos os outros não existissem? O problema do Brasil é algo muito pior: A corrupção enraizada, seja de pessoas folclóricas ou não, seja de qual partido for.

      Excluir
  5. Até mesmo a Fox News anda defendendo o fim do colégio eleitoral... https://www.facebook.com/l.php?u=http%3A%2F%2Fwww.foxnews.com%2Fpolitics%2F2012%2F11%2F05%2Feffort-underway-to-end-electoral-college-with-chance-romney-wins-only-popular%2F&h=mAQE5TdXc

    Pior que isso é a pessoa ter que votar NUMA TERÇA-FEIRA, porque duzentos anos atrás domingo era dia de rezar e segunda era o dia em que a pessoa pegava o cavalinho e ia até o local de votação (ou seja, demorava para chegar). Uó: http://edition.cnn.com/2012/11/06/politics/fun-election-facts/index.html?hpt=us_t4

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode-se votar antecipadamente qualquer dia da semana nas 2 semanas que antecedem o dia da eleição em quase todos os estados americanos, então se o dia final da eleição é terça, isso não desculpa para não votar.

      http://en.wikipedia.org/wiki/Early_voting

      Excluir
    2. Querido, meus amigos americanos são pessoas ricas, e que tem problemas pra votar por ser terça-feira mesmo assim. E como vc bem disse, em quase todos os estados, mas não em todos os estados existe o tal "early voting". Isso faz diferença. O nome disso é um sistema anacrônico, que em vez de se inspirar em outros, mantém tradições toscas, além de ser evidentemente indireto devido ao sistema de colégio eleitoral, que felizmente deve ser extinto no futuro (como aponta a matéria da Fox).

      Excluir
    3. "Querido, meus amigos americanos são pessoas ricas..." parei de ler aqui.

      Excluir
    4. Amorrrr, Fox é leitura de bossais e neo-cons, mude seus hábitos de leitura para alguma coisa menos tendenciosa.
      Early voting existe em todos os estados:
      http://www.270towin.com/early-voting-2012-election/
      Então só não vota quem não quer mesmo, mesmo seus amigos "ricos".

      Excluir
    5. Anônimo 1: poxa, que pena. Geralmente leio textos inteiros antes de criticá-los. E justamente o fato de serem pessoas ricas (que supostamente teriam mais flexibilidade com o chefe, por exemplo) é o X da questão, e mostra o quão problemático é para uma pessoa pobre votar. Ai, sério, go back to school.

      Anônimo 2, se ATÉ MESMO a Fox News (conservadora) acha que tem que mudar, então tem que mudar mesmo. Foi isso que quis dizer. Go back to school, sério. Aprende a interpretar.

      Excluir
    6. Joaninha,

      Seus amigos não são ricos, são ,no máximo, remediados.
      Ricos de verdade não tem chefes, são chefes.

      E pelos vistos continua sem um caralho para chamar de seu,
      né ?

      Excluir
    7. Ai, sério Joana Moron, essa é sua réplica: go back to school ?

      Risível.

      Excluir
    8. @James, não necessariamente. E mesmo que elas não tenham chefe, têm uma responsabilidade perante alguém ou perante algum grupo de clientes (caso sejam empreendedoras ou algo do tipo). Sua hipótese diz respeito a pessoas tipo Paris Hilton e afins, mas até a dona Paris tem uns trabalhinhos...

      O verbo "ter", quando utilizado no plural, ganha um acento circunflexo. Logo "ricos de verdade não têm chefes".

      Pode ser o seu caralho? Que tal postar uma foto dele?

      @novo anônimo: go fuck yourself. Melhorou? Beijos

      Excluir
    9. zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzroinc ...

      Excluir
    10. @Joaninha: Meu caralho ? Sem chances, não o achei no lixo.

      Excluir
    11. É pedir demais que o debate se mantenha num nível razoavelmente civilizado?

      Excluir
    12. Desculpa, Tonyyyyy...é que me chamaram de moron :(

      @James, poxa...que pena que vc não quer brincar comigo...

      Excluir
    13. @Tony, lamento o uso de palavras de baixo calão, mas parece não ter outra forma de descrever esse moleque que atende pelo nome de João. O rapazinho é rápido e grosseiro nas ofensas àqueles que discordam dele. Já falei e repito, para mim é falta de r... ooops, deixa prá lá.

      No futuro procurarei me ater a uma forma, digamos, mais apropriada sem contudo, esquecer do conteúdo.

      Quanto ao moron, não é um palavrão e se encaixa perfeitamente.

      Excluir
    14. Quem me conhece, sabe que eu tenho o ISO:9001. Não é mesmo, Tony?? Eu sou apenas um brincalhão. Beijos :**

      Excluir
    15. @João, você deve realmente ter ISO 9001, pois é consistente e repetitadamente CHATO.

      Excluir
    16. Errata: onde se lê repetitadamente leia-se repetidamente.

      Excluir
  6. Obama é reeleito presidente dos EUA

    O casamento gay é legalizado em seis Estados do país e no Distrito de Colúmbia --nesses casos, o direito foi conquistado por meio de legisladores ou de ordens judiciais, e não por votação da população.

    O Maine se tornou o primeiro Estado americano a aprovar o casamento entre pessoas do mesmo sexo por voto popular, durante um referendo realizado nesta terça-feira.

    ResponderExcluir