sexta-feira, 9 de novembro de 2012

I DREAMED A DREAM IN TIME GONE BY

Caiu hoje na rede o trailer internacional de "Les Misérables". Dá para perceber o gimmick que o diretor Tom Hooper (que ganhou um Oscar por "O Discurso do Rei") inventou: os atores estão cantando em cena para valer. Não estão fazendo playback. Até onde eu sei, isto nunca foi feito antes no cinema musical. Se der certo, Hugh Jackman pode ir se preparando para sua primeira indicação e Anne Hathaway pode ir abrindo espaço na prateleira. Se der errado, fazer tratamento de canal talvez seja menos penoso do que assistir ao filme inteiro.

11 comentários:

  1. Realmente cheira a Oscar.
    Apenas Barbra Streisand cantou em cena, sem playback a musica final de Funny Girl, My Man... e ganhou o seu Oscar!
    Hugh é tão talentoso musicalmente que mereceria o seu também.

    ResponderExcluir
  2. Tony, acho que fizeram isso em "Across The Universe", o musical! Os atores tinham que cantar em cena também!

    Jackman tá prometendo, mas Lincoln tá chegando e Daniel Day-Lewis é sempre um alvo a se bater... ainda mais junto com o Spielberg!

    ResponderExcluir
  3. Outro dia vi os bastidores, eles cantam ao vivo acompanhado de um piano, depois a orquestra entra na mixagem. Nesse momento sempre será possível salvar alguma derrapada. No fim, acho q essa curiosidade vai servir mais como publicidade.

    ResponderExcluir
  4. Acho que vai ser incrível, mas o Russell Crowe de Javert me dá um pouco de medo...

    ResponderExcluir
  5. Les Mis é chato pra c....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, para atender a todos os gostos tem Priscila, Família Adams, A Gaiola das Loucas, Noviça Rebelde, O Mágico de Oz...

      Excluir
    2. Família Adams é fraco, A Gaiola tb. Pra quem gosta de musical chato tb tem Camelot, Nine, Hello Dolly, Mamma Mia, Moulin Rouge etc. A lista é grande.

      Excluir
  6. É muito pouco provável que Les Mis - o filme - consiga repetir o incrível impacto da montagem teatral há vinte e poucos anos atrás. Adaptação, encenação, músicas e letras, cenários e iluminação, tudo era um arraso. E com as vozes que se sucederam nos palcos, de Colm Wilkinson e Patti Lupone a Alfie Boe, com destaque para o Javert negro de Norm Lewis, não sobrou pra mais ninguém.
    Como o diretor Hooper já mostrou competência e sensibilidade no Discurso do Rei e as cenas externas das barricadas vistas no trailer são de fato impressionantes, e o filme deve ser mesmo muito bom.
    Mas o canto só valerá pelos potentes amplificadores dos cinemas de shopping centers, à exceção, é claro, do Colm Wilkinson, o inigualável primeiro Jean Valjean, que será o bispo no cinema, e de Samantha Barks, que repete ali sua bela Eponine.

    ResponderExcluir
  7. Não tem relação ao post, mas queria que você comentasse o artigo do JR Guzzo na Veja dessa semana.

    ResponderExcluir
  8. Todo mundo afinado... Afinal existe o Auto-Tune...

    ResponderExcluir
  9. Li em algum lugar que não haverá diálogos, tudo será cantado. Se for assim, que porre... Preguiça eterna em looping infinito, apesar de meu amor por Crowe.

    ResponderExcluir