domingo, 11 de novembro de 2012

ARGO FUCK YOURSELF

Então é isto o que acontece quando tudo dá certo em Hollywood. Quando um roteiro afiado, ótimos atores, primorosa reconstituição de época e direção segura se alinham. "Argo" é um dos melhores filmes deste ano, porque é o cinemão americano em todo seu esplendor. Nada de encucação, nada de planos mortos, nada de barriga. Só entretenimento em estado puro, do começo ao fim. A descrição de "Argo" parece improvável: um thriller tenso de fundo político, com toques de comédia. O mais incrível é que é baseado num fato real, que permaneceu em sigilo durante mais de 16 anos. Foi revelado pelo governo Clinton em 1997, e não dá para entender porque levou tanto tempo para chegar ao cinema. Talvez estivesse esperando pelo diretor certo. Ben Affleck, que chegou a ganhar um Oscar de roteirista (por "Good Will Hunting", em parceria com seu bro Matt Damon) mas como ator nunca passou do razoável, está se revelando um digníssimo herdeiro da tradição de Warren Beatty e Clint Eastwood, que também passaram para o lado de trás das câmeras. O resgate de seis diplomatas americanos que conseguem escapar da embaixada de Teerã, invadida por uma turba ensandecida, é uma nota de rodapé da história, mas material de primeira para um filmaço. A CIA resolve disfarçá-los como uma equipe canadense de filmagem, em busca de locações no Irã para uma bobagem de ficção-científica. Claro que nem tudo é 100% verdade: o grupo conseguiu fugir sem grandes precalços na vida real, bem diferente do que se vê na tela. Mas isto é o "de menas". Assim como "Intocáveis", "Argo" vai ser um daqueles filmes que agradam a todo mundo, da sua mãe ao porteiro do prédio. Vai ser indicado a uma carroça de Oscars e entrar em todas as listas de melhores de 2012. Não é uma obra profunda nem vai mudar a vida de ninguém, mas é diversão garantida. Vai!

(o delicado título desse post se refere à maneira carinhosa com que os produtores do filme de araque se tratam entre si)

4 comentários:

  1. Tony, não encontrei nenhuma outra forma de me comunicar com você, então vou fazer algo chato pra caramba, e escrever na parte de comentários sobre algo não relacionado ao post...
    É que conversando outro dia com um amigo de uma amiga sobre o livro que lancei recentemente, ele me indicou seu blog, dizendo que eu provavelmente gostaria dele, e que eu deveria arranjar algum jeito de entrar em contato contigo pra divulgar pra você meu livro. Segui a dica e aqui estou.
    O blog do livro é esse: http://anovarazao.blogspot.com.br/, e o link do livro no site da editora é: http://editoramultifoco.com.br/literatura-loja-detalhe.php?idLivro=982&idProduto=1012.
    Se te interessar, dê uma olhada. E obrigado desde já.

    ResponderExcluir
  2. A sequencia final desse filme foi realmente eletrizante, fiquei com o coração na boca. Super recomendo.

    ResponderExcluir
  3. eu morro de tesao nesse ator, ele é o meu brad pitt, a boquinha do BEN AFLLECK é tudo de linda, a pele, o sorriso, as pintinhas que ele tem no rosto, simplismente perfeito.

    ResponderExcluir
  4. Tony, post perfeito. Achei a crescente de tensão do filme perfeita, impecável. E Alan Arkin dando certa leveza. Fiquei toda torta na cadeira do cinema, segurando a respiração sem perceber.
    E pra arrematar, o que não faz uma barba, minha gente? Sempre achei Ben Affleck um picolé de chuchu até vê-lo neste filme. Tá gato!

    ResponderExcluir