segunda-feira, 27 de agosto de 2012

GATOS E DEUSES


"O Gato do Rabino" foi lançado no Brasil com algumas cópias dubladas em português. Pobres dos pais que levarem seus pimpolhos esperando ver as travessuras de um bichano brincalhão. O filme é uma animação para adultos que inclui algumas mortes violentas e, principalmente, uma discussão interessante sobre racismo e intolerância religiosa. Claro que é tudo bem light, mas é bom deixar claro que de "Kung Fu Panda" esse gato não tem nada. O diretor e desenhista Joann Sfar (que debutou com "Gainsbourg") adaptou alguns dos livros de sua série em quadrinhos do mesmo nome, o que provoca alguns desvios inusitados no roteiro. A história começa em Argel ainda nos tempos da colonização francesa. Primeiro o gato (que não tem nome) engole um papagaio e desanda a falar; depois surge um judeu russo em busca de uma cidade sagrada na Etiópia, e o rabino e segus amigos partem para uma expedição que cruza meia África. Piadas e tiradas filosóficas vão se revezando sobre um visual rico em detalhes, e a mensagem de convivência lembra a de outro desenho animado francês, "Azur e Asmar" (que no entanto era mais bonito e melhor resolvido). Mas o mais divertido é mesmo a obsessão do gato em realizar seu bar mitzvah, já que ele se considera judeu. Só falta gravar um vídeo à la Nissim Ourfali.

Nenhum comentário:

Postar um comentário