segunda-feira, 30 de maio de 2011

QUEM AMA NÃO MATA

Já disse algumas vezes aqui no blog que os casos de violência contra homossexuais tendem a aumentar. E não é só porque mais vítimas estão prestando queixas à polícia: vão aumentar mesmo, em números absolutos e até em ferocidade. A razão é meio paradoxal. É justamente a maior visibilidade e assertividade de gays e lésbicas que atrai a ira dos homofóbicos. A mesma visibilidade que nos torna aceitáveis pelas pessoas que têm cabeça e coração nos torna alvos fáceis para os trogloditas. Gente que não se conforma com as mudanças e que quer nos "colocar no devido lugar". Um fenômeno semelhante ocorreu na virada dos anos 70 para os 80. Os casos de crimes passionais aumentaram muito, em todas as esferas sociais do Brasil - inclusive nas mais altas. Homens supostamente esclarecidos matavam suas esposas ou namoradas porque elas os traíam, ou pareciam que traíam. Elas também eram mortas por usar minissaia, trabalhar fora, fumar fora ou - num caso ocorrido em Minas - assistir ao programa "Malu Mulher". Em seu livro "Histórias Íntimas", a historiadora Mary del Priore deixa clara a ligação entre esses crimes e o movimento feminista, que estava tornando as mulheres cada vez mais independentes dos homens. Um paralelo claro com os dias de hoje, quando os gays se cansaram de se esconder e sofrer calados. Portanto, preparem-se: vem chumbo grosso por aí. Literalmente.

15 comentários:

  1. Ola, Tony

    Acabei de ver um video no site da Cena G, onde homofóbicos evangélicos, deixam bem claro suas ações.
    É repugnante e vergonhoso.


    Abs.
    Fabricio
    PS - Temos que nos unir ainda mais se queremos - literalmente - sobreviver

    ResponderExcluir
  2. vc esqueceu de dizer " nos casos delas pedirem o divorcio" ou nao quisessem se relacionar com o parceiro. vc podera esplanar um pouco mais o caso do doca, sou bastante jovem e nao me lembro do caso.beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi, Tony

    Corrigindo, esta no MIX BRASIL

    http://mixbrasil.uol.com.br/pride/intolerancia/projeto-anti-homofobia-sera-alvo-de-marcha-de-evangelicos-em-brasilia.html

    Desculpe a falha
    Fabricio

    ResponderExcluir
  4. Papai Urso do Interior30 de maio de 2011 14:30

    "E eu não sei?!?..." - parafraseando saudoso José Lewgoy em Louco Amor do tempo que novela era nosso melhor produto televisivo. Mas sobre o que vc colocou, vai aumentar mesmo, já aumentou bastante de dois anos para cá. Programa que vai ao ar pela Band todas as terças, A Liga, da semana passada tinha depoimentos de pessoas contrárias a nossa visibilidade e até a nossa existencia enquanto cidadãos que pagam impostos mas que devem permanecer desprovidos de direitos, num destes o cara diz "eles tão muito saidinhos, tem muitas regalias agora, isso daí não pode...", um outro dispara "gay tem que morrer mesmo!"... O senso comum é assim, só cabeças "reformadas" de agora em diante poderiam reverter o quadro de intolerância, isso passa por... Adivinhe? Oi, quem sou eu? EDUCAÇÃO!! Pareço vitrola enguiçada, me estendo nos comments, sou trollado por gente chata direto, mas sigo dizendo: essa bagaça chamada Brasil só muda com e-du-ca-ção! Onde o conhecimento vigora, politicagem, demagogia e fundamentalismo religioso atrofiam, palavra de professor. E esta "educação brasileira" não melhora sem macroinvestimentos, essa foi a receita dos EUA, do Japão e de toda e qualquer nação civilizada da Europa que hj se faz respeitar.

    ResponderExcluir
  5. Como eu disse a decisão do STF (por unanimidade!!!) deixou essa turma louca de vez.

    Mais do que conseguir igualdade em comezinhos direitos triviais ligados à leis trabalhistas, previdência e de registro civil, a decisão do STF é um MARCO tão importante que eu acho que muitos gays ainda não se deram conta.

    Essa violência verbal que os gays sofrem da parte de um deputado federal, pastores e etc, tomou esse vulto pela visibilidade sim, mas TAMBÉM na esteira de um candidato a presidente ano passado ter dado espaço em pleno horário eleitoral a uma figura como silas malafaia.

    Aquilo parece que foi a senha para liberar qualquer inibição dos homofóbicos que antes se retraiam de dizer abertamente coisas mais pesadas contra os gays.

    Com um Bolsonaro na TV e no congresso repetindo coisas piores a coisa tende a piorar.

    Fui ver o vídeo que o Fabricio citou e acho que aquilo é uma gozação. Deve ser uma paródia de alguém tirando sarro dos homofóbicos.

    Nem eu acredito que eles sejam tão imbecis.

    ResponderExcluir
  6. Caro Roberto,
    Infelizmente aquilo é só a ponta do iceberg. Eles usam o pretexto de ser maioria para obter vantagem em TUDO!!!
    E mais uma vez, infelizmente, somos a minoria das minorias, e pela lógica (sic) deles, estamos no topo da lista. Parece que é gozação, mas não é, esses pilantras tem leis que protegem suas religiões, e nós não temos nada. E por isso deitam e rolam - simples assim

    Abs
    Fabricio

    ResponderExcluir
  7. Então, não sei vai piorar mesmo. Talvez vá dar a impressão q sim entretanto. Me explico: a verdade é q os crimes homofóbicos sempre existiram _ e os contra as mulheres tb _ a diferença é qto mais o assunto fica visível mais temos a impressão q aumentaram. Antes eles simplesmente não eram tão noticiados. mas acho q aqui vale uma reflexão: queremos ter visibilidade para fazer parte dessa sociedade. Pelo menos é isso q parece estar sendo reinvidicado. Esta sociedade está aí faz tempo e o q geralmente acontece é q nas tansformaçoes sociais aquilo q era "diferente" passava a ser assimilado ao tecido dos valores dessa sociedade. Se os gays querem ser aceitos como gays e mantendo uma identidade gay criada dentro de sua cultura q sempre foi de exclusao_ pq gays excluem e sao excluidos tb_ preparem-se para enfrentarem os mesmos deveres e os mesmos valores dessa sociedade dita "normal". Aí é q vem o chumbo grosso. Para as mulheres a mudança significou um aumento gigantesco nas obrigacoes sociais, um conflito interminavel entre os papeis de mae, mulher e profissional e em ultima instancia criou uma crise de identidade e lugar no sociedade para os homens de hj. As mudanças sociais reinvidicadas pelas mulheres ainda estao em franco processo de evolucao e levou geracoes para chegarmos até onde estamos. Nesse lugar imperfeito entre as relacoes profissionais e pessoais. O preço é altissimo e pede uma reflexao profunda sobre qual o papel de cada um de nos como cidadao. Nao estamos discutindo uma orientacao sexual. Esse debate é sobre cidadania e mtos ainda nao percebem isso. No terreno da cidadania somos todos iguais, e teoricamente deveríamos ser. Mas talvez a ideia de igualdade ampla seja tb uma ilusao completamente distante da pratica. Nao sabemos ainda isso. Sabemos sim q as mulheres sao diferentes dos homens e portanto deveriam ser encaradas pela sociedade com suas especificidades de maneira q a competicao no territorio profissional, por exemplo, oferecesse oportunidades iguais. Essa é a igualdade: oportunidades iguais respeitanto as diferenças. Enquanto reinvidicamos nossos direitos as vezes nao temos nocao completa dos deveres q vao vir junto... Mas isso faz parte do processo. A sociedade tem q passar por isso. E nós tb.

    ResponderExcluir
  8. Para o anônimo acima, o Doca Street era um bom vivant dos anos 70, que tinha um romance com a "pantera" socialite mineira Ângela Diniz, e a matou em um ataque de ciúmes por causa de uma alemã, em Búzios. O Fernando Gabeira escreveu um livro sobre o caso, que foi manchete de todos os jornais da época, chamado "Sinais de vida no planeta Minas".

    ResponderExcluir
  9. A liberdade de crença das parlamentares crentes mal-comidas não pode esbarrar na nossa liberdade de ir e vir, ser e existir, tudo isso garantido por Constituição Federal!

    Esse povo pode fazer suas marchinhas pra Jesus (como se Jesus precisasse de suas hipocrisias e preconceitos), mas alto lá, nada de vitimização que nós temos nossas paradas gays tb, as deste ano tem que sair do oba-oba e adotarem tom mais político, mais reinvindicador, tá na hora das quaquás e baladeiras pão-com-ovo darem um tempo do mundinho egoísta delas e pensarem no coletivo, de todas essas atrocidades que tem se visto na mídia, se mobilizarem de fato, senão daqui a pouco de um em um, já teremos um milhão de LGBTs mortos, estatísticas tão aí e não deixam mentir, estabeleceu-se uma ordem crescente nas formas de agressão e desumanidade de quem pratica e não um tom decrescente em virtude de conscientização como deveria ocorrer se tivéssemos material de esclarecimento e combate à homofobia em todas as mídias.

    Será que até isso terá de ser definido pelo judiciário? Pra que servem essas bost de legislativo se só legislam pra meia dúzia e não conseguem oenxergar o bom comum no todo? Isso tudo é péssimo, sinto vibe de que algo muito ruim está prestes a eclodir, só não sei ainda se favorável a nós ou desfavorável, só sei que isso de Malafaia e Bolsonaro já foi longe demais, já foi além do aceitável, nunca se viu uma campanha de perseguição tão violenta como a que eles fazem... E são aplaudidos e estão se transformando em caçadores de gays, uma verdadeira gestapo, incentivando espancamentos, um horror. Outra coisa lamentável é que Jean Wyllis é um exército de um homem só naquela casa infestada de ratos (alguns enrustidos, mais lamentável ainda), infelizmente ele não vai se transformar num capitão gay com poderes titânicos e nos livrar desses reaças sem a sociedade como um todo entender que nossa luta é justa e urgente.

    ResponderExcluir
  10. Até que o Doca Street era gato...

    ResponderExcluir
  11. Hoa Tony !

    Eu cosntantemente faço comparações entre Brasil e España, lógicamente por viver aqui e tentar compreender as diferenças entre os dois países em situações algo parecidas. Com a aprovaçao da alteraçao do Real Decreto que dispõe sobre o matrimonio entre dos pessoas de sexo oposto, para " dos personas adultas" e a consecução de cambio de gênero sem cirurgia para transsexuais, a visibilidade aumentou muito e aconteceram alguns casos de violência, mas nada mais que casos de agressão física moderada e verbal...Hoje em dia, praticamente não se escuta falar mais nisso. Outra coisa, a "normalização" da visibilidade também perpassa pela mídia, aqui nao existe um programa de televisão, seja um reality show seja de entrevistas e entretenimento sem um "maricón ". O mais famoso apresentador Jesus Vazquez é queridíssimo de señoras e señores de idade avanzada. O canal de telivisão que mais maricas apresentadoras possui é a Tele5, que por ironia do destino é de propriedade do grupo de....Berlusconi !!!! Existe um seriado estilo "Malhação" chamado FoQ ou Física o Química, com casais adolescente de rapazes que se beijam, transan...quer dizer uma vida normal e saudável junto com a problemática adolescente. Um professor da tal escola é bissexual e transa com hombres e mulheres...tudo na maior naturalidade. Agora mesmo, na televisao autonómica ou televisao local aqui de Canárias está passando um reality chamado Drag Superstar, que é para eligir uma Drag Queen, la mejor de las Islas Canárias, celeiro de Drag Queens com seu Concurso de Gala Drag Queen do Canarval de Gran Canárias. O programa mostra a família, os pais, os avós, as irmãs...enfim, que no fundo somos todos iguais, mas com algumas particularidades. O Papai Urso tem razao quando fala que a educaçao é a saída do atoleiro. Em España, ainda existe uma forte influencia da igreja católica, mas ainda assim
    , os avanços sao "imparáveis!". A democracia aqui, nao dá direito a ninguém ir a um canal de televisao para ofender a nenhum grupo, menos ainda se é uma minoria, porque pega tao mal, que acaba em escândalo. Os políticos aqui quando sao pegos recebenco dinheiro ilícito, sao forzados a demitir de seu cargo eleitoral. Igual ao Brasil nao ? Espanha nao é um pais perfeito...Ojalá !!!!
    O Brasil, é um pais riquíssimo, um povo maravilhoso, uma maneira única de ver a vida, mas tem que dar um giro de 180º na maneira de educar seu povo. Creio, que a verdadeira luta começa agora, que temos inimigos mais que declarados !

    Saludos desde Tenerife.

    ResponderExcluir
  12. Nunca vi reflexão mais lúcida que a do MARCOS sobre comportamento, sociedade, homens e mulheres, quaisquer que sejam seus hábitos e orientações sexuais... Parabéns, vale pensar...

    ResponderExcluir
  13. Marcus, eu fiquei com mais inveja do lugar onde vc mora, do que do vidão e do respeito que os gays tem na Espanha.

    Ai, me mordi de inveja agora.

    PRONTOFALEI!

    kkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  14. "as bicha todas malhando já", pra ficar fortinha e impor respeito. machão é covarde por definição!

    ResponderExcluir
  15. Hahahahah Roberto, tudo tem seus prós e contras ! Mas não me queixo ! Viver al lado da África nos permite ter praia todo o ano, enquanto na Península eles congelam no inverno. Mas o melhor lugar mesmo na minha opiniao é Gran Canária , a ilha de frente. O sul tem um Balneário famoso e um clássico destino gay Europeu, se chama Playa del Inglés, com suas Dunas e Bosques a caminho da praia ! Un abraço !

    ResponderExcluir