quarta-feira, 28 de julho de 2010

PROGRAMA DE GAROTOS


Não tem jornalístico mais fofo na televisão brasileira do que o “Profissão Repórter”. O veterano Caco Barcellos comanda uma equipe ultra-jovem, com sobrenomes incomuns e carinhas de recém-saídos da faculdade. A garotada se atira às reportagens com o entusiasmo e a ingenuidade de quem ainda está fazendo o TCC. O programa de ontem foi bem ilustrativo: o tema era caliente, garotos de programa. Um universo sombrio e cercado de tabus, o que não impediu a turminha de ir a campo como se fossem bandeirantes vendendo caixas de biscoito. Dava vontade de por no colo o jornalista lindinho, chateado porque o casal que contratou um michê não o deixou acompanhá-los ao quarto do motel com câmera e tudo. Em compensação, uma sauna modesta em Curitiba foi invadida por dois intrépidos diletantes, com autorização do proprietário mas sem aviso prévio aos frequentadores. Já pensou? Você lá de toalha na cintura e tentando engatar um xaveco, e de repente entra a rede Globo filmando tudo? “Pô, ninguém quer dar entrevista”.

Calma, sempre se encontra algum exibicionista sem noção do perigo. Como o coitado sem casa, sem família e sem clientes, talvez o prostituto mais feio de São Paulo. Ou o escort carioca que atendeu a reportagem com tanta desenvoltura que acabou transformando metade do programa num infomercial de si mesmo. O desembaraço era tamanho que o aprendiz de jornalista chegou a desconfiar: “acho que o cara tá armando, disse que ganhou 600 reais por uma noite mas só mostrou 400…” Peraí, 400 reais?? Só se fosse o Lukas Ridgeston. O espertalhão estava tentando valorizar seu passe, e sua freguesa – que não mostrava o rosto, só as unhas pintadas de verde – não cansava de dizer como ele era carinhoso, “muito mais que o meu namorado”. Só faltou aparecer um telefone de contato na tela. Mesmo com tantos tropeços, o “Profissão Repórter” é bacana. Além de ser simpatizante à causa gay, ainda traz aquele frescor de quem está vendo o mar pela primeira vez e precisa contar como é para o pessoal que ficou em casa. Aproveitem, meninos: a juventude passa rápido.

26 comentários:

  1. ...ainda traz aquele frescor de quem está vendo o mar pela primeira vez e precisa contar como é para o pessoal que ficou em casa.
    ♥♥♥♥♥♥♥♥
    Tony, se você já não fosse casado, corria um sério risco de eu te propor um agora !!!! Rsrsrsrsrsrs Adoro seus posts.

    ResponderExcluir
  2. Podiam ter contatado o Uomini. Eles seria o cicerone perfeito para os repórteres nesse mundo.

    ResponderExcluir
  3. Tirando o michê falando que queria largar essa vida mas mudaria de calçada pro lado dos que fazem por prazer ("viciei"), o resto achei zoológico, programa pra humano ver a bicharada.

    ResponderExcluir
  4. Tony,
    concordo com a sua crítica sem tirar uma única vírgula. No final das contas o jeito quase pueril dos repórteres acabou ajudando a suavizar o tema barra-pesada.
    Por outro lado, o fato de a gente sentir uma identificação com o tema faz com que enxerguemos o programa com olhos meio viciados. Se o programa fosse sobre frequentadores de uma seita evangélica secreta eu tenho certeza que eu teria uma visão bem mais crítica e menos simpática do assunto.
    Abraço,
    **

    ResponderExcluir
  5. Tá na cara que o michê do Rio faz uma encenação para valorização do seu programa. E ainda só mulher ligando... até parece, né!

    ResponderExcluir
  6. Olá meu amigo... novamente aqui para aplaudir o seu comentário. Tem razão, independente que realmente não se mostre a pura realidade, já está ótimo. O programa vai para milhares de casas e zilhões de pessoas assistem. E o programa queira ou náo, não dá a sua propria conotação. São fiéis ao que vêem e filmam. Como foi o caso da matéria com a travesti que bateu num cliente... Eles estão de parabéns e já me vejo correndo para casa para assistir o programa. Quase todos os temas são bem interessantes... xx

    ResponderExcluir
  7. O melhor foi ele dizer: "estão fazendo um documentário comigo".

    ResponderExcluir
  8. Um programa com um ator pornô nos EUA custa 250 dólares, mais ou menos os 450 paus que vc citou.
    Adoro informações acuradas. :P

    ResponderExcluir
  9. É, sem dúvida, o melhor programa jornalístico da tv aberta. Gosto da relação do Caco com seus aprendizes, meio professor, colega de trabalho e amigo.

    E fiquei morrendo de pena do garoto de programa sem clientes e sem família. Que futuro terá esse cara? Espero que consiga ‘sair dessa vida’, já que disse não gostar da profissão e está estudando para isso.

    Se o prostituto bombado recebeu mesmo 600 reais por um único programa, acho que vou largar a faculdade e investir na academia. É muito mais negócio.

    ResponderExcluir
  10. Estava eu linda na piscina do Fasano no Rio convidado por um amigo....e notei que o local estava LOTADO de PROFISSIONAIS e seus clientes nem ai pra galera....um verdadeiro bordel FINO....
    depois de horas de observasao o mais divertido era os garcons com cara de
    odio....
    DETALHE...sei de um gringo/carioca que paga 1500 DOLORES por um fim de semana com direito a almoco/jantar regado a muita champa...

    ResponderExcluir
  11. Dois momentos que me chamaram a atenção:

    1 - Repórter para o michê em frente à boate do Rio: "...er...er...desculpe o incômodo...você é gay?"

    2 - Avó comentando sobre o neto homossexual: "...é que além de ser idosa, eu sou antiga..."

    Abraços

    ResponderExcluir
  12. Falassério que aquele michezinho ganha 600 reais num programa com mulher... e falassério o cara ser pago pra fazer o acompanmhante de uma mulher loira nuim baile funk... muito FAKE, deu até raiva...

    ResponderExcluir
  13. Tony:
    novamente parabéns pelo post. Seu texto é atraente e fico sempre com a vontade de ver até onde vc vai!
    Tenho críticas ao programa tb, faltou edição e talvez (jargão jornalístico) uma amarração da matéria. Mas pelo menos não rolou preconceito babaca,como o CQC, com a matéria sobre "casamento gay"!!!!
    bjs
    Maurício
    Mellone

    ResponderExcluir
  14. Tudo bem que o programa não foi preconceituoso, que os repórteres são jovens, que o tema é tabu... mas li o seu post antes de ver o vídeo e me frustrei um pouco. Vc é mesmo um ótimo vendedor de peixe! ;)

    ResponderExcluir
  15. olha que eu sou osso duro de roer para ter pena dos outros, mas tb fiquei com pena do michê sem casa. pobreza é foda mesmo.

    se o cara for um mentiroso/trambiqueiro, vou ficar mais descrente na humanidade ainda, mas pareceu que ele realmente estava tentando se virar na vida do jeito que ele pode.
    qual a perspectiva de um cara pobre, da periferia etc etc e ainda rejeitado pela família?

    por outro lado, fiquei com uma ponta de esperança de que existe o tal centro de apoio, onde o cara tem espaço pra ter algum semblante de normalidade na vida dele... e ali tem alguém que tenta ajudar o cara a sair dessa merda total que ele se encontra.

    ResponderExcluir
  16. Agora que vi o vídeo.

    NAONDE que esse michê pseudo-carioca (desculpa, mesquitense não é carioca) com essa cara toda enrugada tem 30 anos? só se for em cada perna.

    Sério, a reportagem foi amplamente enganada por ele que realmente fez deles o seu infomercial.

    Agora, simpatizei com o michê paulista feiinho e ingênuo. boa sorte pra ele como atendente de lanchonete da ZL.

    ResponderExcluir
  17. O programa da travesti bagunça foi bemmm melhor

    ResponderExcluir
  18. Assisti aos vídeos. Tudo como sempre o preconceito ainda impera, nada mudou. Aquele Ricardo só mostrou a cara porque se diz scort de mulheres e casais só...rsrsr. Bem, deu para ver que aquele Ricardo armou no motel com aquela moça, pois não pareceu muito convicta ao falar porque traia parecia coisa armada, o que ele ganhou por um programa, etc.Coitados dos repórters que ficaram de plantão "segurando vela" até amanhecer...rsrsr. Depois não acredito que ele viva só de programas com mulheres e casais, fosse assim o Carlão Bazuca não estaria atendendo gay em SP, relatos de um GP com blog e que mostra a página em anúncio só para gays.
    Com tanto homossexual de boa pinta e fora do armário e resolvidos, bem que aquela sauna gay de Curitiba poderia dar um emprego para um deles de barman do que para heteros. Pior se o dono for um homossexual, eta classe desunida!
    Enfim o mais sincero de todos foi aquele homossexual pobre que não escondeu o rosto, falou a verdade. Achei ele o mais DIGNO de todos!! Quando ouvi a vó dele falar entendi porque tem tanto gay escondido atrás de um casamento hetero infeliz. Nem todos aguentam a barra de serem excluídos do seio familiar. Senti naquele moço abandonado a dignidade de querer ser simplismente o que ele é :UM CIDADÂO HOMOSSEXUAL. Desejo fortemente que ele consiga reconstruir a sua vida com dignidade!!

    ResponderExcluir
  19. Eles deviam fazer um programa inteiro do Profissão Repórter só com o UOMINI, mostrando toda dinâmica da pegação.

    ResponderExcluir
  20. QUE NADA o Uomini criou aquele personagem só para azaração ele não é nada disso e o povo acredita naquilo que ele escreve...kkkkkk

    ResponderExcluir
  21. Bright YounGAY Things29 de julho de 2010 23:13

    Concordo com o comentário do anônimo sobre o Uomini, é uma personagem sobre pegação, nada do que ele fala é real.
    Tudo bem que essa personagem já foi mais criativa e convincente, mas ultimamente...
    Sobre o post Tony, você é INCRIVEL!!!

    ResponderExcluir
  22. Como assim um programa sobre michês significa "simpatizante a causa"? Q causa???

    ResponderExcluir
  23. Os homossexuais foram tratados com respeito pela reportagem, que não emitiu nenhum juízo de valor.

    E não foi a primiera vez: há alguns meses o "Profissão Repórter" fez um programa sobre a aceitação dos gays por seus pais que virou um marco na televisão brasileira.

    ResponderExcluir
  24. Sim Tony, o PF não emitiu nenhum juízo de valor ponto pra TV aberta.

    O único escorregão foi a indagação feita pelo apresentador pra avó do BOY sem teto. Você sabia que ele é homosexual?

    Como se o (maior) problema dele fosse esse, e tudo que tivesse sido mostrado anteriormente fosse intrinsecamente ligado à (des)orientação do rapaz...

    Muito medo do senso-comum nessas horas.

    ResponderExcluir
  25. É verdade Marco, na impostação de voz do Caco na pergunta mais do que obvia para a avó acabou reforçando preconceito mesmo sem o reporter talvez ter tido intençã. Pois a avó ja sabia da orientação do neto.Porque o mesmo já tinha contado ao repórter. Por isto a pergunta poderia ter sido formulada diferente.

    ResponderExcluir
  26. Não emitir juízo de valores significa que é simpatizante?? Nossa, a sua auto-estima anda mesmo mto baixa não? Não emitir nenhum juízo de valor é bom jornalismo, isso sim. Se a gente considerar simpatizante cada um que não cuspir na gente estaremos fodidos ( e não no "bom sentido" ...heheheh). Essa obsessão pelo assunto tá te deixando vesgo na melhor das hipóteses. Na pior paranóico...hehehehehehe

    ResponderExcluir