segunda-feira, 24 de maio de 2010

O SAMBA DO CRIOULO GREGO

A primeira versão de “Fúrias de Titãs”, de 1981, era razoavelmente fiel à mitologia grega – apesar da presença de uma ridícula corujinha mecânica, para agradar aos fãs dos robôs de “Guerra nas Estrelas”. A coruja faz uma ponta no remake do filme, e até que é uma homenagem simpática. Muito pior é o samba do crioulo doido que virou o roteiro. Como é que essa cambada de Hollywood se sente autorizada a reescrever os mitos da Grécia antiga, tão cheios de significados? A lógica parece ser garantir um grande número de “levels” para o inevitável videogame. E as soluções encontradas são bem pobrinhas, como os escorpiões gigantes – por quê não usar então algum monstro grego sensacional, como a Esfinge ou a Hidra de Lerna? Com os recursos tecnológicos de hoje em dia, seria incrível ver na tela todos os deuses e heróis que me encantaram na infância. Mas o Olimpo que aparece em “Fúria…” parece um carro alegórico de escola de samba. Apesar do meu purismo ter se incomodado bastante, preciso confessar que me diverti com o filme. Fui com meus sobrinhos, e é muito legal ver uma criança pular de medo quando Zeus brada uma das frases mais cafonas da história do cinema: “Soltem o Kraken!”

3 comentários:

  1. E vai chegar o tão inimaginado dia no qual Jesus se chamará Genésio...

    ResponderExcluir
  2. Mais um que não vou ver graças a você, meu test drive particular, rs. Li toda a mitologia grega ainda criança e também sou purista. Se não aguento o que fizeram com a história da Pequena Sereia imagina com a mitologia.

    ResponderExcluir
  3. alguem ai lembrou do monstro sem olho do labirinto do fauno?

    ResponderExcluir