terça-feira, 25 de maio de 2010

FERGALICIOUS

Foi duro acreditar que Sarah Ferguson está dura. Quando eu soube que ela tentou vender acesso a seu ex-marido, o príncipe Andrew, minha primeira reação foi de desdém: ela é uma milionária querendo levar uma vida de bilionária, coitadinha. Mas depois li mais sobre o assunto e fiquei mesmo com pena da duquesa de York. Como sua finada cunhada Diana, ela também teve pais ausentes, que jamais a prepararam para ser membro da família real. E, ao contrário de Diana, Fergie nunca teve beleza ou glamour, só um bom humor aparentemente eterno. Dizem que ela e Andrew ainda se amam, e que estariam casados se não fosse pela pressão da rainha. Ainda deve rolar algo entre os dois, pois Fergie mora numa ala do palácio de Andrew - os antigos alojamentos da criadagem, good gosh. Ela saiu do casamento praticamente de mãos abanando, sem casa própria e com uma renda anual de míseras 15 mil libras. Isto explica muitos dos escândalos e falcatruas em que a duquesa se viu envolvida nos últimos anos. Agora ela foi pega com a boca na botija: acho que não cometeu crime algum, mas com certeza destruiu qualquer chance de voltar com Andrew e ser aceita pela Rainha. Para completar a desgraça, ainda teve o apelido surrupiado pela cantora dos Black Eyed Peas.

8 comentários:

  1. Adorei que ela tem os livros de dieta "Reinventing Yourself with the Duchess of York : Inspiring Stories and Strategies for Changing Your Weight and Your Life" e "Dining with the Duchess: Making Everyday Meals a Special Occasion". Agora já pode lançar um de histórias e estratégias de como sanar as dívidas.

    ResponderExcluir
  2. Renda anual de *miseras* 15 mil libras? Com a atual crise rondando a Europa, acho que para o contribuinte ingles fica cada vez mais ridiculo bancar os luxos e tradicoes de uma parcela da sociedade que claramente nao fez muito por merecer isso nao.

    Tem horas que morar numa Republica tem suas vantagens...

    ResponderExcluir
  3. As repúblicas saem mais caras e geram menos dinheiro que as monarquias. Pelo menos na Europa, Há estudos feitos por exemplo o nosso Presidente da República fica 5 vezes mais caro que o Rei de Espanha :(((

    Além dissop com o dinheiro que as fofocas e as fotografias da realeza, as bugigangas de recordações e outro tanto merchendising as monarquias geram imenso dinheiro para os paises que as têm.

    Já viu alguem comprar um prato de recordação da visita do presidente, mas compram da visita do rei ou da rainha ( mesmo que sejam do maior mau gosto que possa haver)

    ResponderExcluir
  4. Fernando, 15 mil libras por ano dá menos que o equivalente a 5 mil reais por mês. OK, é um bom salário para o padrão brasileiro, mas para morar em Londres, uma das cidades mais caras do mundo? Fora que Fergie é ex-nora da rainha Elizabeth, que é ultra-trans-quaquilionária,. Isso foi falta de um bom advogado.

    ResponderExcluir
  5. Que tal trabalhar? Tipo ter um emprego ou um negócio?

    ResponderExcluir
  6. Eu jurava que ela tava fazendo um pé de meia nos EUA, figurinha fácil nos programas femininos.
    Ou ela gastou tudo já, ou é uma boba mesmo.

    ResponderExcluir
  7. um dia desfilando pra bvlgari com uma turquesa enorme no dedo e no outro fazendo cambalacho, a fama é assim mesmo...

    ResponderExcluir
  8. @Tony: Eu repeti e nao atentei para o "anual" de "renda anual", sorry! Realmente uma mixaria: nao dá nem para o Pret-a-Manger de cada dia e se eu fosse a Sarah teria sido bem mais inteligente (=chave de cadeia, "se você nao me der mais eu exponho teus TODOS podres no The Sun") na hora de se separar.

    Sobre o comentario do Daniel (de que as monarquias custam menos do que as republicas), eu sinceramente duvido, mas já que voce disse que leu em pesquisa, va lá. Mas sobre a história do merchandising, na falta de classe real na sociedade, a artística assume esse papel na maior boa vontade (afinal esse tipo de imprensa Caras se multiplica por repúblicas e monarquias, nao e?).

    Mas sinceramente, vamos combinar: enquanto turista é lindo ver todo aquele grupo de princesas e reis (amo de paixao o Carl Philip da Suécia), palácios e castelos. Mas quando a crise aparece, governo tem que apertar seriamente o cinto (como está acontecendo exatamente agora na Europa) e diminuir gastos... ver aquele bando de inúteis que se resumem a sorrir em eventos públicos torrando o dinheiro público enquanto os servicos básicos como educacao e saúde se tornam gradativamente piores... é de deixar puto, e com razao.

    Mas enfim, as monarquias estabelecidas na Europa até hoje se mantem porque sao vitais mesmo para a vida dos países que regem (a Bélgica só está ainda unida porque a família real teria que ser dividida caso o país se fragmentasse)...

    ResponderExcluir