domingo, 30 de maio de 2010

A CRISE DO EURO

Do Eurovision, quero dizer, não da moeda. Se bem que os problemas econômicos da Europa provavelmente são a razão pela qual a edição deste ano do festival mais brega do mundo foi muito mais contida que a do ano passado. Esperava muito mais da grande final, que assisti ao vivo na tarde de ontem pela Televisión Española. Certo, o palco em Oslo era tão grande ou até maior que o de Moscou em 2009. Mas os telões de vídeo estavam bem mais modestos e as produções mais pobrezinhas, sem tanta coreografia. Para dar uma ideia, o efeito mais impressionante foram as asas de borboleta que surgiram de repente atrás dos vestidos das cantora da Bielorrússia enquanto elas interpretavam uma balada insossa, evidentemente chamada “Butterflies”. Aliás, este foi o ano das baladas insossas. Mas claro que sempre há pérolas pop cafonas no meio de tanto porcaria. Adorei “Je Ne Sais Quoi”, a concorrente da Islândia, entoada com bravura por Hera Björk - que deve ser parente da própria. Uma cantora tão imensa que parece até a mulher-vulcão.E também me diverti com “Playing with Fire”, da dupla romena Paula Selling & Ovi. Não havia um franco favorito como no ano passado, quando “Fairy Tale”, da Noruega, venceu com mais de 400 pontos. Mesmo assim, a Alemanha surpreendeu – em mais de 50 anos, esta foi apenas a 2a. vez em que venceu o festival – e uma menina chamada Lena teve vitória folgada com “Satellite”. A música, cujo clipe está lá no alto deste post, é uma tolice descomunal, que só fica minimamente palatável depois de remixada pelo Tocadisco. E agora vamos torcer para que o euro se recupere e em 2011 o Eurovision retorne com o esplendor brega de sempre, que nos cega os olhos e nos entope os ouvidos.

5 comentários:

  1. Entrei no blog do Tony Ramos por engano hoje achando que era o teu, rs.

    ResponderExcluir
  2. Nossa! É a primeira vez que eu sei de algum brasileiro que conhece e se interessa por este festival. Moro na Alemanha e a vitória da Lena teve o efeito de uma "mini" Copa do Mundo de Futebol por aqui. Os alemaes, que sao bastantes reservados, soltaram a franga. Eu fiquei feliz por eles...mas concordo com vc, é brega bagarai!!!

    ResponderExcluir
  3. Nossa essa música da Lena é tão legalzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz...RONC...zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz

    Ahn, onde eu estava? Ah tá, Eurovision. Uma merda esse ano, socorro. A música mais legal foi a da Turquia mas como é TUDO COTADO [/garotadalaje], ficou em segundo lugar.

    ResponderExcluir
  4. Amo e odeio Eurovision. O que gosto mesmo é das reuniões entre amigos, uma coisa final de copa do mundo, que rola, no dia do festival. Fechação in extremis!

    Agora, me diz uma coisa, a Islândia tá ficando especialista em catrástrofes naturias, né?

    ResponderExcluir
  5. Eurovision é a competição entre as nações européias transformada em algo menos inofensivo do que guerra. Fácil. Uma amiga holandesa contou que em determinado ano a Holanda não votou na Bélgica para entrar na competição (os países votam entre si para entrarem na competição), os belgas ficaram putos e desde então Bélgica e Luxemburgo se aliaram a Alemanha (que NUNCA votaria na Holanda) e deixam os holandeses de fora da competição.

    Agora, imagina se existisse um SouthAmericavision, hein? Realiza só o festival de "conjunto tocando flautinha de madeira", maracas e babados que ia ser? :D E o nosso orgulho nacional em ver algo tipo Rebolation defendendo o nosso país? Diliça!

    ResponderExcluir