sexta-feira, 13 de novembro de 2009

O HOMEM DEGRADÉ

Michael Jackson negou, durante anos a fio, ter feito qualquer tipo de branqueamento artificial. Só quando pressionado por Oprah Winfrey ele “admitiu” que tinha vitiligo, uma doença de pele que disfarçava com maquiagem. Ninguém acreditou muito, e só depois de morto é que Jackson perdeu a aura de traidor da raça. Os tempos mudaram: semana passada, o ex-jogador de beisebol Sammy Sosa, nascido na República Dominicana, apareceu em público com a pele visivelmente mais clara que seu tom achocolatado natural, e anunciou garbosamente que está lançando um creme que branqueia a pele. Está sendo xingado de tudo quanto é nome, mas muita gente também o defende. Afinal, num mundo em que a pele clara merece todos os privilégios, quem pode ser criticado por querer ser branco? E isto me leva a outra questão. Se um cientista inventasse, por exemplo, uma pílula que transformasse gay em hétero, será que eu a tomaria?

9 comentários:

  1. Bem polemico. Mas acho que ai tem uma coisa maior e que deve ser maior que qq polemica: o respeito ao outro de escolher o caminho que se quer tomar. O problema eh que uma pilula para gays viraria uma obrigacao no mundo dos homofobicos... uma coisa meio X Men isso!

    ResponderExcluir
  2. GOSTARIA DE SER MAIS BONITO ( DUDINHA)MAIS RICO( HERRBERT) MAIS INTELIGENTE ( TONY) MAS NAO MENOS GAY( ADORO) ! SÓ GOSTARIA DE SER MAIS BI ( FICO COM MULHER, MAS EM UMA PORCETAGEM 5% APENAS), POIS APROVEITARIA MAIS O MELHOR DOS DOIS SEXOS, AFINAL PARA QUE SE LIMITAR!BEIJO

    ResponderExcluir
  3. Ok, clareou...and?
    Tem uma grande diferença entre ficar menos PRETO e menos NEGRO. Prá mim ele continua tão negro quanto antes... só que agora versão freak.

    ResponderExcluir
  4. tá, mas o creme vai clarear só o rosto? Imagina o trabalho de ter que passar no corpo todo durante trocentos dias... e será que pode passar no p*u também? E no saco? Imagina aquelas que gostam de customizar tudo... Sei não, mas essa história tá estranha...

    ResponderExcluir
  5. Existe um produto que os indianos tomam (ou passam, enfiam, sei lá), que diminui a produção de melanina e clareia a pele. Também é usada por alguns famosos (Beyonce branca na Vanity Fair, revista jura que não foi photoshop). Dura por algum tempo, mas o excesso do produto faz com que algumas regiões da pele deixem de fabricar a melanina para sempre, ficando com aspecto de vitiligo. Oi?

    ResponderExcluir
  6. é impressionante como em várias partes do mundo a pele mais clara é valorizada.
    nas Américas, por causa da escravidão, dá para entender fácil as causas - e é só olhar a TV, publicidade e as revistas brasileiras (gay inclusive) para ver que os mais claros (se for nórdico então...) ocupam um espaço desproporcional à sua participação na população em geral. e no México é quase impossível ver alguém com traços indígenas na programação da TV, muito diferente do que se vê nas ruas.

    até em países com 95% descendendo de africanos, como o Haiti, a elite é desproporcionalmente mais clara (mulata basicamente) que o resto do povo.

    já tinha lido sobre essa coisa na Índia tb, será que é por causa da época do domínio britânico? mas eles nem ficaram tanto tempo lá...

    na China, uma pele mais escura é associada ao trabalho na lavoura debaixo do sol e, por isso, desvalorizada tb.
    eu achava que era exagero quando se falava dos motoristas de táxi chineses usarem uma espécie de luva no braço para evitar o sol. até que eu vi em primeira mão.

    com tudo isso, fica claro (trocadilho...) pq ainda é tão forte esse desejo por parecer mais clarinho. complicadíssimo.

    e tenho vários amigos brasileiros que ficaram com a auto-estima MUITO abalada aos passarem períodos nos EUA e Europa e descobrirem que, diferentemente de no Brasil, lá não são considerados brancos.

    pergunta pra alguém no Brasil com o tipo físico da Vanessa Williams (a Wilhelmina de Ugly Betty) se ele/ela se considera negro.

    ResponderExcluir
  7. Que coisa não? e ele é muito pior branco...

    ResponderExcluir