segunda-feira, 30 de novembro de 2009

LIBERA AÊ

Faz tempo que sou a favor da descriminalização total das drogas. Mas li outro dia um dado estarrecedor, que me deu ainda mais certeza da minha convicção. Sabe quantas pessoas morreram de overdose no Rio de Janeiro em 2008? Menos de 100. E sabe quantas morreram por causa da violência ligada ao tráfico? Mais de 6.000 – um número 60 vezes maior. Ou seja, mesmo se as drogas fossem totalmente liberadas e o número de fatalidades provocadas por ela dobrasse (o que é improvável), ainda assim teríamos muito menos gente a caminho do cemitério.

Não sou ingênuo a ponto de achar que com isto os traficantes iriam todos se emendar, pagar impostos e viver dentro da lei. Toda vez que um tipo de crime é reprimido com sucesso, outro cresce em seu lugar. Portanto, se o tráfico acabasse, poderíamos esperar um aumento no número de sequestros, por exemplo. As causas da criminalidade são sociais, e enquanto existirem também haverá crime. Mas a liberação das drogas pode ser um passo para a redução da violência. Pelo menos morreria menos gente do que hoje.

11 comentários:

  1. Sim, também já pensei assim, mas no fundo é isso que vc falou, é trocar 6 por meia dúzia: quem se dedica ao tráfico ia passar a se dedicar a outros crimes, como assaltos e sequestros.

    ResponderExcluir
  2. Só descriminalizar não iria acabar com todos os problemas, ainda haveria um mercado negro ou paralelo de drogas, mas que iria desmontar o tráfico como rede de máfia que nós temos no Rio, isso iria.

    ResponderExcluir
  3. É bom ler pensamentos como o seu porque eles me fazem pensar sobre o assunto de uma forma mais fria e coerente. Ainda não tenho uma posição sobre o assunto, mas gostei do que li aqui.

    ResponderExcluir
  4. Seu raciocínio é válido, mas ele autoriza muitas pessoas a enxergarem o tráfico como um mal menor. Elas pensariam: "eu não uso drogas e não tenho nenhum amigo viciado, então isso não em afeta. Portanto, prefiro que existam um monte de traficantes do que um monte de seqüestradores soltos por aí, já que eu posso vir a ser vítima de um seqüestro".

    ResponderExcluir
  5. liberar geral não vai resolver todo o problema, penso.
    vai apenas encher os cofres públicos um pouco mais e fazer com que parte do crime migre para outras áreas do mesmo posto que o governo ou a iniciativa privada tomariam conta do lucrativo negócio ou vocês acham que o poder público não iria taxar as drogas também?
    é uma discussão complexa, mas acho que talvez algo que mesclasse liberação com investimentos pesados no social teria chance de melhorar as coisas.
    há que se pensar também que muita gente vai pensar que virou festa...

    ResponderExcluir
  6. Concordo com vc pelo ponto central que vc expõe, menos violência, menos mortes.

    ResponderExcluir
  7. veja mais um exemplo, quantas pessoas que tiveram uma overdose morreram na The Week ? Nenhuma, pois foram socorridas à tempo de serem levadas de ambulância pro hospital/pronto socorro.

    E quando a pessoa tem overdose em casa sozinha? quem acode?

    Legalizando e não reprimindo o uso como acontece na casa da malvada, diminuiria tbm o nº de mortes por overdoses

    ResponderExcluir
  8. Gente, é só entregar TUDO pra Philip Morris e para a Souza Cruz. Geração de empregos e renda, deixando as pessoas vivendo em paz. Outra coisa: a teoria da escadinha (X usa maconha, depois vai querer usar cocaína, depois vai querer usar heroína, etc) é uma realidade para pouquíssimas pessoas.

    ResponderExcluir
  9. tony: você faria campanha para alguma droga?

    ResponderExcluir
  10. Já fiz: para os cigarros Derby e para o gim Gilbey's. tecnicamente, são drogas.

    Mas antes de fazer campanha para qualquer outra droga, ou mesmo uma campanha pela liberalização das drogas, acho que o tema precisa ser muito debatido e analisado por todos os ângulos.

    ResponderExcluir
  11. Quando vc tem alguem próximo que se tornou usuário, vc ve a situação de forma diferente. Não é sóa overdose que mata, não é só o usuario que morre. A estatística nãodeve se basear só em mortes, mas também em assasinatos, em roubos, em lágrimas... Quem ganha com a descriminalização das drogas???

    ResponderExcluir